sexta-feira, 12 de julho de 2013

Cap.6 - 2ª temporada HOT



               Minhas mãos estão fechadas em seus cabelos, enquanto minha boca está febril contra a de Joseph, consumindo-o, saboreando a sensação de sua língua contra a minha. E ele é o mesmo, devorando-me. É celestial. De repente, ele me arrasta para cima e agarra a barra da minha camiseta, tirando-a sobre minha cabeça e jogando-a no chão.

— Eu quero sentir você, — ele diz avidamente, contra a minha boca, enquanto move as mãos para trás e abre o meu sutiã.

               Em uma boa manobra, ele é aberto e lançado de lado. Ele me empurra de volta para a cama, pressionando-me no colchão, e sua boca e mão se movem nos meus seios. Meus dedos apertam em seu cabelo, enquanto ele leva um dos meus mamilos entre os lábios e puxa firme. Eu grito quando a sensação percorre meu corpo, em picos, e aperta todos os músculos ao redor da minha virilha.

— Sim, querida, me deixe ouvir você, — ele murmura contra a minha pele superaquecida.

              Cara, eu quero ele dentro de mim, agora. Com sua boca, ele brinca com o meu mamilo, puxando, me fazendo contorcer e me contorcer e ansiando por ele. Sinto seu desejo misturado com... o quê? Veneração. É como se ele me adorasse. Ele brinca comigo com os dedos, meu mamilo endurecendo e alongando sob seu toque habilidoso. Sua mão se move para os meus jeans, e ele habilmente desfaz o botão, puxa o zíper para baixo, e desliza a mão dentro de minha calcinha, deslizando os dedos contra o meu sexo.
Sua respiração sibila enquanto desliza o dedo em mim. Eu empurro minha pélvis para dentro da palma de sua mão, e ele responde, esfregando contra mim.

— Oh, querida, — ele respira enquanto paira sobre mim, olhando fixamente nos meus olhos.
— Você está tão molhada. — Sua voz é cheia de admiração.

— Eu quero você, — murmuro.

                Sua boca se junta novamente com a minha, e eu sinto seu desespero, sua fome, sua necessidade de mim. Isso é novidade, nunca foi assim antes, exceto talvez quando eu voltei da Geórgia, e suas palavras anteriores derivam de volta para mim... Eu preciso saber que estamos bem. Esta é a única maneira que eu sei. O pensamento me desvenda. Para eu saber que tenho esse efeito sobre ele, para que possa oferecer tanto alivio, fazê-lo, minha deusa interior ronrona de puro prazer. Ele senta-se, agarra a bainha da calça jeans, e puxa-a, seguida por minha calcinha. Ele mantém os olhos fixos nos meus, ele para, pega um envelope de preservativo do bolso e atira-o para mim, em seguida, remove a calça jeans e cuecas em um movimento rápido. Eu rasgo o envelope com sofreguidão, e quando ele está ao meu lado novamente, eu rolo lentamente a camisinha nele. Ele pega minhas duas mãos e rola de costas.

— Você. Em cima, — ele ordena, puxando-me para montá-lo. — Eu quero ver você.

Oh.

               Ele me guia, e hesitante eu deslizo facilmente para baixo dele. Ele fecha os olhos e flexiona os quadris para me encontrar, enchendo-me, estendendo-me, sua boca formando um “O” perfeito, quando ele exala. Oh, isso é tão bom, possuindo-o, possuindo-me.Ele segura minhas mãos, e eu não sei se é para me firmar ou para me impedir de tocá-lo, apesar de eu ter o meu mapa de roteiro.

— Você me faz sentir tão bem, — ele murmura.

Eu subo novamente, inebriada com o poder que tenho sobre ele, observando Joseph Jonas lentamente desmoronando embaixo de mim. Ele solta as minhas mãos e agarra meus quadris, e eu coloco as minhas mãos em seus braços. Ele empurra em mim fortemente, me fazendo gritar.

— É isso aí, querida, me sinta, — ele diz, com a voz tensa.

               Eu jogo minha cabeça para trás e faço exatamente isso. Isto é o que ele faz tão bem. Eu me movo, contrariando o seu ritmo, em perfeita simetria, entorpecendo todo o pensamento e a razão. Eu sou apenas uma sensação perdida, neste vazio de prazer. Para cima e para baixo... uma e outra vez... Ah, sim... Abro os olhos, eu olho para ele, minha respiração está irregular, e ele está olhando para mim, com os olhos em chamas.

— Minha Demi, — ele murmura.

— Sim, — eu digo em tom áspero. — Sempre.

               Ele geme alto, fechando os olhos novamente, inclinando a cabeça para trás. Oh meu Deus... Vendo Joseph desfeito é o suficiente para selar o meu destino, e eu gozo de forma audível, exaustivamente, girando para baixo e ao redor, caindo em cima dele.

— Oh, querida, — ele geme, enquanto encontra a sua liberação, ainda me segurando e soltando.

              Minha cabeça está no seu peito, na área não permitida, meu rosto aninhado contra o cabelo flexível em seu osso esterno. Estou ofegante, brilhando, e eu resisto à vontade de franzir os lábios e beijá-lo.
Eu só deito em cima dele, prendendo a respiração. Ele acaricia o cabelo, e sua mão corre pelas minhas costas, me acariciando, enquanto acalma sua respiração.

— Você é tão bonita.

                Eu ergo minha cabeça para olhar para ele, minha expressão é cética. Ele franze a testa, em resposta, ele se senta rapidamente, tomando-me de surpresa, o seu braço em minha volta para me segurar no lugar. Aperto seu bíceps quando estamos nariz com nariz.

— Você.... É..... Linda, — ele diz novamente, seu tom é enfático.

— E você é incrivelmente doce, às vezes. — Eu o beijo suavemente.

               Ele me levanta e sai de mim. Eu estremeço enquanto ele o faz. Inclinando para frente, ele me beija suavemente.

— Você não tem ideia de como você é atraente, não é?

Eu coro. Por que ele está falando sobre isso?

— Todos aqueles garotos que perseguem você, isso não é uma pista suficiente?

— Garotos? Que garotos?

— Você quer uma lista? — Joseph franze a testa.
O fotógrafo, ele é louco por você, aquele garoto na loja de ferragens, o irmão mais velho de sua companheira de quarto. Seu chefe, — ele acrescenta amargamente.

— Oh, Joseph, isso não é verdade.

— Confie em mim. Eles querem você. Eles querem o que é meu. — Ele me puxa contra ele, e eu levanto os braços até seus ombros, as minhas mãos agarram o seu cabelo, eu o considero com diversão.

— Minha, — ele repete, com os olhos brilhando possessivamente.

— Sim, sua. — Eu o tranquilizo, sorrindo.
               Ele me olha apaziguado, e eu me sinto perfeitamente à vontade nua em seu colo, em uma cama, em plena luz da uma da tarde de sábado. Quem teria pensado? As marcas de batom permanecem sobre seu corpo requintado. Embora eu note algumas manchas na capa do edredom, e me pergunto o que a Sra. Jones brevemente vai fazer com ele.

— A linha ainda está intacta, — murmuro e corajosamente sigo a marca em seu ombro com o meu dedo indicador. Ele endurece, piscando de repente.
 — Eu quero explorar.

Ele me olha com ceticismo.

— O apartamento?

— Não. Eu estava pensando no mapa do tesouro que desenhamos em você.

               Meus dedos coçam para tocá-lo. Ele levanta as sobrancelhas com surpresa, e ele pisca com a incerteza. Esfrego o meu nariz contra o dele.

— E o que isso implica exatamente, Srta. Lovato?

Eu levanto minha mão em seu ombro e corro meus dedos pelo seu rosto.

— Eu só quero tocar em você onde quer que eu esteja autorizada.

Joseph pega meu dedo indicador em seus dentes, mordendo suavemente.

— Auu, — eu protesto e ele sorri, com um rosnado baixo vindo de sua garganta.

— Tudo bem, — ele diz, liberando o meu dedo, mas sua voz está amarrada com apreensão.
— Espere. — Ele se inclina para trás, levantando-me de novo, e tira o preservativo, deixa-o cair no chão, sem a menor cerimônia, ao lado da cama.

— Eu odeio essas coisas. Estou pensando em chamar a Dra. Greene para uma consulta.

— Você acha que a melhor obstetra/ginecologista de Seattle vai vir correndo?

— Eu posso ser muito persuasivo, — ele murmura, enganchando o meu cabelo atrás da minha orelha.
— Franco fez um grande trabalho em seu cabelo. Eu gosto dessas camadas.

O quê?

— Pare de mudar de assunto.

              Movo-me de novo, agora estou sobre ele, apoiando-me sobre meus joelhos, meus pés separados, cada um do lado de seus quadris. Ele se inclina para trás em seus braços.

— Toque de longe, — ele diz, sem humor. Ele parece nervoso, mas ele está tentando esconder.

               Mantendo meus olhos nos dele, eu estendo a mão e traço meu dedo por baixo da linha do batom, em seus músculos abdominais bem esculpidos. Ele recua e eu paro.

— Eu não tenho que fazer isso, — eu sussurro.

— Não, está tudo bem. Apenas leva alguns... reajustes da minha parte. Ninguém me tocou por um longo tempo, — ele murmura.

— E a Sra. Robinson? — As palavras saem espontaneamente da minha boca, e incrivelmente, eu consigo manter toda a amargura e rancor em minha voz.

Ele balança a cabeça, o seu desconforto é óbvio.

— Eu não quero falar sobre ela. Ela vai azedar seu bom humor.

— Eu posso lidar com isso.

— Não, você não pode, Demi. Você vê vermelho quando eu a menciono. Meu passado é meu passado. É um fato. Não posso mudá-lo. Tenho sorte que você não tem um, porque me deixaria louco se você tivesse um.

Eu faço uma carranca para ele, mas eu não quero lutar.

— Deixá-lo louco? Mais do que você já está? — Eu sorrio, na esperança de aliviar a atmosfera entre nós.

Ele torce os lábios.

— Louco por você, — ele sussurra.

Meu coração se regozija com alegria.

— Quer que eu chame o Dr. Flynn?

— Eu não acho que será necessário, — ele diz secamente.

               Movendo-se de volta, então ele cai sobre suas pernas, eu coloco meus dedos de volta em seu estômago e deixe-os à deriva por sua pele. Ele se tranquiliza mais uma vez.

— Eu gosto de tocar em você. — Meus dedos patinam até o umbigo, em seguida, em direção ao sul ao longo de sua feliz, trilha da felicidade. Seus lábios se abrem, sua respiração muda, seu olhos escurecem, sua ereção se mexe e a minha parte de baixo contrai. Caralho. Segundo round.

— Mais uma vez? — Murmuro.

Ele sorri.

— Oh sim, Srta. Lovato, outra vez.






xxx



               Que maneira deliciosa de passar uma tarde de sábado. Eu estou debaixo do chuveiro, lavando-me distraída, com cuidado para não molhar o cabelo amarrado para trás, contemplando o último par de horas. Joseph e baunilha, eles parecem estar indo bem. Ele revelou muito hoje. É incrível, eu tento assimilar todas as informações e refletir sobre o que aprendi: o detalhe de seu salário, Uau, ele é podre de rico, e para alguém tão jovem, é simplesmente surpreendente, e o dossiê que ele tem sobre mim e sobre todas as suas submissas morenas. Eu me pergunto se eles estão todos em um arquivo seguro? Meu subconsciente aperta os lábios para mim e balança a cabeça, não vá por ai. Eu franzo a testa. Apenas uma rápida olhada? E Leila, com uma arma, possivelmente, esta em algum lugar, e seu gosto ruim para música ainda em seu iPod. Mas pior ainda, a Sra. Pedófila Robinson, eu não devo gastar meus neurônios com ela, e eu não quero. Eu não quero que ela seja um espectro de cabelos brilhantes em nosso relacionamento. Ele está certo, eu fico cega de raiva quando penso nela, por isso talvez seja melhor não pensar. Eu saio do chuveiro e me enxugo, e eu estou de repente, tomada por raiva inesperada. Mas quem não fica com raiva? Que pessoa normal e sã faria isso com um garoto de quinze anos de idade? Quanto ela contribuiu para a sua situação tão fodida? Eu não a entendo. E pior ainda, ele diz que ela o ajudou. Como? Eu acho que de suas cicatrizes, a personificação física e gritante de uma infância terrível e a lembrança revoltante das cicatrizes mentais que ele deve suportar. Meu doce e triste Cinquenta Tons. Ele disse coisas de amor hoje. Ele é louco por mim. Olhando para o meu reflexo, eu sorrio ao lembrar de suas palavras, meu coração transborda, mais uma vez, e meu rosto se transforma com um sorriso ridículo. Talvez possamos fazer isto funcionar. Mas por quanto tempo ele vai querer fazer isso, sem querer bater em retirada só porque eu atravessei alguma linha arbitrária? Meu sorriso se dissolve. Isto é o que eu não sei. Esta é a sombra que paira sobre nós. Foda depravada, sim, eu posso fazer isso, mas e mais? Meu subconsciente olha para mim fixamente, sem oferecer palavras de sabedoria. Eu volto para o meu quarto para me vestir.

                Joseph está em baixo se preparando, fazendo suas coisas, então eu tenho o quarto só para mim. Assim como todos os vestidos no armário, eu tenho gavetas cheias de roupa de baixo nova. Eu seleciono uma criação de bustiê com espartilho preto, com um preço de quinhentos e quarenta dólares. Tem um
acabamento com filigrana de prata e em breve usarei uma calcinha que combine com o vestido. Meias 7/8 da mais fina seda, também, em uma cor natural. Uau, elas parecem... pele... e do tipo quente... sim.
Estou procurando o vestido quando Joseph entra sem avisar. Uau, você poderia bater! Ele fica imobilizado, olhando para mim, com os olhos cinzentos brilhando de fome. Eu coro, até ficar vermelha por toda parte, ele sente isso. Ele está vestindo uma camisa branca e a calça do terno preto, a gola de sua camisa está aberta. Eu posso ver a linha de batom ainda no lugar, e ele ainda está olhando.

— Posso ajudá-lo, Sr. Jonas? Suponho que há um propósito para sua visita, além de ficar de boca aberta e olhar estupidamente para mim.

— Estou desfrutando de olhá-la abobalhado, obrigado, Srta. Lovato, — ele murmura sombriamente, entrando mais no quarto ele me devora com os olhos.

—Lembre-me de enviar uma nota de agradecimento a Caroline Acton.

Eu franzo a testa. Quem diabos é ela?

— A compradora pessoal na Neiman, — ele diz, assombrosamente respondendo a minha pergunta silenciosa.

— Oh.

— Eu estou muito distraído.

— Eu posso ver isso. O que você quer, Joseph? — Dou-lhe o meu olhar ‘sem brincadeiras’.

Ele responde com seu sorriso cheio de segundas intenções e tira do bolso bolinhas de prata, redonda como ovos, me parando no caminho. Puta merda! Ele quer bater em mim? Agora? Por quê?

— Não é o que você pensa, — ele diz rapidamente.

— Ilumine-me, — eu sussurro.

— Eu pensei que você poderia usar estes esta noite.

E a implicação dessa frase fica pendurada entre nós, até que a ideia afunda em mim.

— Para este evento? — Eu estou chocada.

Ele balança a cabeça lentamente, com seus olhos escurecendo.

Oh meu Deus.

— Você vai me espancar mais tarde?

— Não.

Por um momento, eu sinto uma pequena decepção.

Ele ri.

— Você quer que eu faça?

Eu engulo. Simplesmente não sei.

— Bem, com certeza eu não vou te tocar assim, só se você me pedir.

Oh! Esta é nova.

— Você quer jogar este jogo? — Ele continua, segurando as bolas.
— Você sempre pode tirá-las se for demais.

               Eu olho para ele. Ele parece tão perversamente tentador, despenteado, com o cabelo recentemente lavado, seus olhos escuros dançam com pensamentos eróticos, a linda boca esculpida, seus lábios levantados em um sorriso sexy e divertido.

— Está bem, — eu concordo suavemente.

Inferno, sim! Minha deusa interior encontrou a sua voz e está gritando aos quatro ventos.

— Boa menina, — Joseph sorri.
— Venha aqui, e eu vou colocá-los em você, depois de colocar os seus sapatos.

               Meus sapatos? Viro-me e olho para os sapatos de salto alto de camurça cinza que combinam com o vestido que eu escolhi para vestir. Agrade-o! Minha deusa interior grita para mim. Ele estende a mão para me apoiar, enquanto eu ando com os sapatos Louboutin, um roubo de três mil duzentos e noventa e cinco dólares. Eu devo estar, pelo menos, cinco centímetros mais alta agora. Ele me leva a beira da cama e não se senta, caminha para a única cadeira no quarto. Ele a pega, carrega e coloca-a na minha frente.

— Quando eu aceno com a cabeça, você se abaixa e segura a cadeira. Entendeu? — Sua voz está rouca.

— Sim.

— Ótimo. Agora abra a boca, — ele ordena, sua voz ainda baixa.

Eu faço como eu disse, pensando que ele vai colocar as bolas na minha boca para lubrificá-las. Não, ele desliza o dedo indicador dentro...

Oh...

— Chupe, — ele diz.

               Eu aperto a sua mão, segurando-a firme, e eu faço como mandou, vê, eu posso ser obediente, quando eu quero. Ele tem gosto de sabonete... hmm. Eu chupo duro, e eu sou recompensada, quando seus olhos se arregalarem e seus lábios se separam enquanto inala. Eu não vou precisar de qualquer lubrificante, a este ritmo. Ele coloca as bolas em sua boca enquanto eu faço sexo oral com o seu dedo, girando a minha língua em volta dele. Quando ele tenta retirá-lo, eu aperto os dentes. Ele sorri, então balança a cabeça advertindo-me, então o deixo ir. Ele balança a cabeça, e eu abaixo e seguro os lados da cadeira. Ele remove minha calcinha para um lado e muito lentamente desliza o dedo em mim, fazendo círculos, eu o sinto em todos os lados. Eu não posso me conter e um gemido escapa de meus lábios. Ele retira o dedo rapidamente e com muito cuidado, insere as bolas uma de cada vez, empurrando-as dentro de mim. Uma vez que estão em posição, ele recoloca a minha calcinha de volta no lugar e beija minha bunda. Correndo as
mãos para cima de cada uma das minhas pernas do tornozelo à coxa, ele gentilmente beija a parte superior de cada coxa, onde minhas meias acabavam.

— Você tem pernas belas, Srta. Lovato, — ele murmura.

De pé, ele agarra meus quadris e puxa meu traseiro contra ele, então, eu sinto sua ereção.

— Talvez eu a tenha desta forma quando chegarmos em casa, Demetria. Você pode levantar agora.

Sinto-me tonta, além de excitada, conforme os pesos das bolas empurram e puxam dentro de mim. Inclinando-se atrás de mim, Joseph beija o meu ombro.

— Comprei isto para você usar durante o baile gala de sábado. — Ele coloca o braço em volta de mim e estende a mão. Na palma da mão repousa uma pequena caixa vermelha com Cartier inscrito na tampa. — Mas você me deixou, então eu nunca tive a oportunidade de dar a você.

Oh!

— Esta é minha segunda chance, — ele murmura, com sua voz forte e alguma emoção sem nome. Ele está nervoso.

                Timidamente, eu alcanço a caixa e abro. Dentro brilha um par de brincos. Cada um tem quatro diamantes, um na base, depois uma lacuna, e depois três diamantes perfeitamente espaçados, pendurados um após o outro. Eles são lindos, simples e clássicos. O que eu iria escolher para mim, se alguma vez me fosse dada a oportunidade de fazer compras na Cartier.

— Eles são adoráveis, — eu sussurro, e porque eles são brincos de segunda chance, eu amei.
— Obrigada.

Ele relaxa contra mim conforme a tensão sai de seu corpo, e beija meu ombro novamente.

— Você está usando o vestido de cetim prata? — Ele pergunta.

— Sim? Tudo bem?

— Claro. Eu vou deixar você se aprontar. — Ele sai pela porta sem olhar para trás.




xxx



               Eu entrei num universo alternativo. A jovem olhando para mim parece digna de um tapete vermelho. Seu vestido longo e sem alças de cetim prata é simplesmente deslumbrante. Talvez eu escreva um agradecimento para Caroline Acton. É ajustado e realça as poucas curvas que tenho. Meu cabelo cai em ondas suaves ao redor do meu rosto, escorregando sobre os meus ombros, para os meus seios. Eu boto um lado atrás da minha orelha, revelando os meus brincos de segunda chance. Eu mantive a minha maquiagem
no mínimo, para ter um olhar natural. Delineador, rímel, um pouco de blush rosa e batom rosa pálido. Eu realmente não preciso do blush. Estou um pouco ruborizada pelo constante movimento das bolas de prata. Sim, elas vão garantir que tenha um pouco de cor no meu rosto esta noite. Balançando a cabeça para a ousadia de ideias eróticas de Joseph, eu me inclino para recolher a minha bolsa de cetim prata e vou em busca dos meus Cinquenta Tons. Ele está conversando com Taylor e outros três homens no corredor, de
costas para mim. Suas expressões de surpresa e apreço alertam Joseph da minha presença. Ele se vira, enquanto eu fico em pé e espero sem jeito. Caramba! Minha boca seca. Ele parece impressionante... Smoking preto, gravata borboleta preta, e sua expressão quando olha para mim é de espanto. Ele vem para mim e beija o meu cabelo.

— Demetria. Você está de tirar o fôlego.

Eu coro com este elogio na frente de Taylor e dos outros homens.

— Um copo de champanhe antes de ir?

— Por favor, — murmuro, muito rapidamente.

Joseph acena para Taylor, que se dirige para o hall de entrada com seus três companheiros. Na grande sala, Joseph pega uma garrafa de champanhe na geladeira.

— A equipe de segurança? — Eu pergunto.

— Proteção pessoal. Eles estão sob o controle de Taylor. Ele é treinado nisso, também. — Joseph me entrega uma taça longa de champanhe.

— Ele é muito versátil.

— Sim, ele é. — Joseph sorri.
— Você está linda, Demetria. Saúde. — Ele levanta o copo e bate com o meu. O champanhe é de uma cor rosa pálido. Tem um sabor deliciosamente fresco e leve.

— Como você está se sentindo? — Ele pergunta, com os olhos aquecidos.

— Muito bem, obrigada. — Eu sorrio docemente, não transparecendo nada, sabendo muito bem que ele está se referindo às bolas de prata.

Ele sorri para mim.

— Aqui, você vai precisar disso. — Ele me entrega uma bolsa de veludo grande que estava descansando na ilha da cozinha.

— Abra, — ele diz, entre goles de champanhe. Intrigada, eu alcanço dentro do saco e retiro uma intrincada
máscara prateada, com uma pluma azul cobalto coroando o topo.

— É um baile de máscaras, — ele afirma com naturalidade.

— Eu vejo. — A máscara é bonita. Uma fita de prata é enfiada em torno das bordas prateadas e um requintado filigrana é gravado ao redor dos olhos.

— Isso vai mostrar seus belos olhos, Demetria.

Sorrio para ele, timidamente.


— Você vai usar uma?

— Claro. Elas são muito libertadoras, de uma forma, — ele acrescenta, levantando uma sobrancelha, e sorri.

Oh. Isso vai ser divertido.

— Venha. Eu quero lhe mostrar uma coisa. — Segurando sua mão, ele me leva para o corredor e uma porta ao lado das escadas. Ele abre, revelando uma grande sala de aproximadamente o mesmo tamanho que a sua sala de jogos, que deve estar diretamente acima de nós. Esta é preenchida com livros. Uau, uma
biblioteca, cada parede repleta do chão ao teto. No centro, está uma grande mesa de bilhar, iluminada por uma luminária longa da Tiffany, em forma de prisma.

— Você tem uma biblioteca — Eu chio com reverência, sobrecarregada com emoção.

— Sim, a sala de bolas como Elliot chama. O apartamento é bem espaçoso. Eu percebi hoje, quando você mencionou explorá-lo, que eu nunca te levei para um passeio. Nós não temos tempo agora, mas eu queria mostrar-lhe esta sala, e talvez desafiá-la para uma partida de bilhar em um futuro não muito distante.

Sorrio para ele.

— Mão a obra. — Em segredo, me abraço cheia de alegria. José e eu fizemos muito isso. Nós jogamos nos últimos três anos. Eu sou craque com um taco. José foi um bom professor.

— O quê? — Joseph pergunta, divertido.

Oh! Eu realmente devo parar de expressar todas as emoções no instante em que eu sinto, eu me repreendo.

— Nada, — eu digo rapidamente.

Joseph aperta os olhos.

— Bem, talvez o Doutor Flynn possa descobrir os seus segredos. Você vai encontrá-lo esta noite.

— O charlatão caro? — Puta merda.

— O mesmo. Ele está morrendo de vontade de conhecê-la.

             Joseph pega a minha mão e suavemente desliza o dedo em meus dedos, quando nos sentamos na parte de trás do Audi, em direção ao norte. Eu me contorço, sentindo aquela sensação na minha virilha. Eu resisto à vontade de gemer, enquanto Taylor está na frente, não usando o seu iPod, junto com um dos
homens da segurança, cujo nome eu acho que é Sawyer. Estou começando a sentir uma dor maçante e agradável no fundo da minha barriga, causada pelas bolas. Cruzo os braços e me pergunto, quanto tempo vou ser capaz de gerir isso sem algum, um... alívio? Cruzo as pernas. Enquanto faço isso, algo que vem me incomodando no fundo da minha mente, sobe à superfície.

— Onde você conseguiu o batom? — Pergunto a Joseph suavemente.

Ele sorri para mim e aponta para frente.

— Taylor, — ele murmura.

Eu começo a rir.

— Oh. — E paro rapidamente, as bolas.

Eu mordo meu lábio. Joseph sorri para mim, os olhos brilhando maliciosamente. Ele sabe exatamente o que está fazendo, a besta sexy que ele é.

— Relaxe, — ele respira.
Se for demais... — Sua voz some, e ele gentilmente beija cada dedo da minha mão, uma de cada vez, em seguida, delicadamente suga a ponta do meu dedo mindinho.

              Agora eu sei que ele está fazendo isso de propósito. Eu fecho meus olhos, enquanto um desejo fatal atravessa todo o meu corpo. Eu me rendo brevemente a sensação, meus músculos apertam dentro de mim. Oh meu Deus. Quando abro meus olhos novamente, Joseph está bem perto de mim, um príncipe sombrio. Deve ser o smoking e a gravata borboleta, mas ele parece mais velho, sofisticado, um libertino devastadoramente bonito, com uma intenção licenciosa. Ele simplesmente tira o meu fôlego. Eu estou no seu encalço sexual, e se eu posso acreditar nele, ele está no meu. O pensamento traz um sorriso ao meu rosto
e seu sorriso de resposta está me cegando.

— Então o que podemos esperar neste evento?

— Oh, as coisas de sempre, — Joseph diz despreocupadamente.

— O que não é habitual para mim, — eu o lembro.

Joseph sorri e beija com carinho a minha mão de novo.

— Muitas pessoas que esbanjam dinheiro. Leilão, rifa, jantar, dança, minha mãe sabe como
dar uma festa. — Ele sorri e pela primeira vez durante todo o dia, eu me permito sentir um pouco animada com a festa.

xxx

Há uma fila de carros de luxo estacionados até a garagem da mansão Jonas. Longas lanternas de papeis cor de rosa, estão penduradas em todo o caminho, enquanto nós chegamos mais perto com o Audi, posso ver que elas estão por toda parte. No claro início da noite, elas parecem mágicas, como se estivéssemos entrando num reino encantado. Olho para Joseph. Muito adequado para o meu príncipe, e em mim floresce uma excitação infantil, superando todos os outros sentimentos.

—Ponha a máscara, — Joseph sorri, e quando ele veste sua simples máscara preta, meu príncipe torna-se mais sombrio, mais sensual. Tudo o que posso ver do seu rosto é a boca bonita, esculpida e a mandíbula
forte. Puta merda... Meu batimento cardíaco dispara com a visão dele. Eu aperto a minha máscara e sorrio para ele, ignorando a fome no fundo do meu corpo. Taylor puxa para a entrada de automóveis, e um manobrista abre a porta para Joseph. Sawyer pula para abrir a minha.

— Pronta? — Joseph pergunta.

— Como eu sempre estive.

— Você está linda, Demetria. — Ele beija a minha mão e sai do carro.

               Um tapete verde escuro corre ao longo da grama num lado da casa, conduzindo-nos ao impressionante terreno da parte traseira. Joseph tem um braço protetor em torno de mim, descansando a mão na minha cintura, enquanto seguimos o tapete verde, um fluxo constante da elite de Seattle, vestidos com suas melhores roupas e usando todos os tipos de máscaras, e lanternas que iluminam o caminho. Dois fotógrafos guiam os convidados para posar para fotos, contra o pano de fundo de um caramanchão de hera.

— Sr. Jonas! — Um dos fotógrafos chama. Joseph acena com a cabeça em reconhecimento e me puxa para perto e nos posicionamos rapidamente para uma foto. Como eles sabem quem é ele? Sua marca registrada, o rebelde cabelo cor de cobre, sem dúvida.

— Dois fotógrafos? — Pergunto a Joseph.

— Um é do Seattle Times, o outro é para uma lembrança. Nós poderemos comprar uma cópia mais tarde.

               Oh, minha foto na imprensa novamente. Leila entra brevemente em minha mente. Foi assim que ela me encontrou, posando com Joseph. O pensamento é inquietante, embora reconfortante, pois estou irreconhecível atrás da minha máscara. No final da linha, de terno branco, os garçons servem nas bandejas, copos cheios de champanhe, e eu sou grata quando Joseph passa-me um copo, efetivamente me distraindo de meus pensamentos escuros. Nós nos aproximamos de uma grande pérgula branca, com versões menores das lanternas de papel penduradas. Abaixo dela, brilha uma pista de dança quadriculada em preto e branco, rodeada por uma cerca baixa, com entradas por três lados. Em cada entrada estão duas esculturas elaboradas, de gelo, de cisnes. O quarto lado da pérgula é ocupado por um quarteto de cordas que toca suavemente, uma assombrosa e etérea peça, que eu não reconheço. Aparentemente o palco será de uso de alguma grande banda, mas ainda não há sinal dos músicos. Eu acho que isto deve ser para mais tarde. Pegando minha mão, Joseph me leva entre cisnes na pista de dança, onde os outros convidados estão reunindo, conversando com suas taças de champanhe. Em direção ao litoral, encontra-se uma enorme tenda, aberta no lado mais próximo a nós, onde eu posso vislumbrar as mesas formalmente organizadas e as
cadeiras. Há tantas!

— Quantas pessoas estão previstas? — Pergunto a Joseph, observando o tamanho da tenda.

— Acho que cerca de trezentas. Você terá que perguntar à minha mãe. — Ele sorri para mim, e talvez seja porque eu só posso ver o sorriso que ilumina em seu rosto, mas minha deusa interior desmaiou.

— Joseph! 

              Uma jovem aparece fora da multidão e joga os braços em volta de seu pescoço, e imediatamente eu sei que é Mia. Ela está vestida com um elegante, vestido longo de chiffon rosa pálido, com uma deslumbrante máscara veneziana, delicadamente detalhada para combinar. Ela parece incrível. E por um momento, me sento gratíssima pelo vestido que Joseph me deu.

— Demi! Querida, você está linda! — Ela me dá um abraço rápido.
— Você precisa vir e encontrar minhas amigas. Nenhuma delas pode acreditar que Joseph finalmente tem uma namorada.

              Eu dou uma rápida olhada, em pânico, para Joseph, que encolhe os ombros de modo resignado, ‘eu sei que ela é impossível e eu tive que viver por anos com o seu jeito’, e ele deixa Mia me levar para um grupo de quatro mulheres jovens, todas vestidas com roupas caras e impecáveis. Mia faz as devidas apresentações de forma apressada. Três delas são doces e gentis, mas Lily, eu acho que é o seu nome, me olha amargamente por debaixo de sua máscara vermelha.

— Claro que todas nós pensamos que Joseph era gay, — ela diz maliciosamente, ocultando o seu rancor com um grande e falso sorriso.

Mia fez beicinho para ela.

— Lily, comporte-se. É óbvio que ele tem bom gosto para mulheres. Ele estava esperando a pessoa certa, e essa não era você!

Lily cora ao mesmo tom de sua máscara, assim como eu. Poderia ser mais desconfortável?

— Senhoras, eu poderia reclamar a minha acompanhante de volta, por favor? — Joseph serpenteia o braço em volta da minha cintura, me puxa para o seu lado. Todas as quatro mulheres sorriem, nivelando as suas inquietações, seu sorriso deslumbrante faz o que sempre faz. Mia olha para mim e desvia o olhar, e
eu tenho que rir.

— Foi adorável conhecê-las, — eu digo, enquanto ele me arrasta para longe.

— Obrigada, — eu murmuro para Joseph quando estamos a alguma distância.

— Eu vi que Lily estava com Mia. Ela é um pedaço desagradável de pessoa.

— Ela gosta de você, — eu murmuro secamente.

Ele estremece.

— Bem, o sentimento não é mútuo. Venha, deixe-me apresentá-la para algumas pessoas.

              Passei a meia hora seguinte em um turbilhão de apresentações. Eu conheci dois atores de Hollywood, mais dois CEOs, e vários médicos eminentes. Puta merda... de forma alguma vou lembrar o nome de todos. Joseph me mantém perto, ao seu lado, e eu lhe sou grata. Francamente, a riqueza, o glamour e o próprio evento luxuoso me intimida. Eu nunca fui a qualquer coisa deste tipo em minha vida. Os garçons de terno branco, se movem sem esforço por entre a multidão crescente de clientes, com garrafas de champanhe, trocando o meu copo com uma regularidade preocupante. Eu não devo beber demais. Eu não devo beber demais, repito para mim mesma, mas eu estou começando a me sentir tonta, e eu não sei
se é o champanhe, a atmosfera carregada de mistério e emoção criada pelas máscaras, ou as bolas de prata secretas. A dor surda abaixo da minha cintura está se tornando impossível de ignorar.

— Então você trabalha na SIP? — Pergunta um senhor careca, com uma meia máscara de urso ou será um cão? — Ouvi rumores de uma aquisição hostil.

Eu coro. Existe uma aquisição hostil de um homem que tem mais dinheiro que eu possa imaginar e é um caçador por excelência.

— Eu sou apenas uma humilde assistente, Sr. Eccles. Eu não sei nada sobre essas coisas.

Joseph diz nada e sorri suavemente para Eccles.

— Senhoras e senhores! — O mestre de cerimônias, vestindo uma máscara impressionante de arlequim em preto e branco, interrompe-nos. — Por favor, tomem seus lugares. O jantar será servido.

                Joseph pega a minha mão, e nós seguimos a multidão vibrante para uma grande tenda. O interior é deslumbrante. Três enormes, lustres jogam brilhos de arco-íris sobre o forro de seda marfim do teto e paredes. Deve haver, pelo menos, trinta mesas, e elas me lembram a sala de jantar privada do Heathman, com copos de cristal, linho branco cobrindo as mesas e cadeiras, e no centro, uma exposição primorosa de peônias rosa pálido, reunidas em torno de um candelabro de prata. Envolta em gaze de seda ao lado é uma cesta de guloseimas. Joseph consulta o plano de lugares e leva-me a uma mesa no centro. Mia e Denise já estão sentadas, em profunda conversa com um rapaz que eu não conheço. Denise está usando um vestido verde hortelã brilhante, com uma máscara veneziana para combinar. Ela parece radiante, sem sinal de estresse, e ela me cumprimenta cordialmente.

— Demi, que delícia ver você de novo! E, está tão bonita, também.

— Mãe, — Joseph cumprimenta-a com firmeza e a beija em ambas as faces.

— Oh, Joseph, que formalidade! — Ela o repreende provocadoramente.

Os pais de Denise, se juntam a nós, em nossa mesa. Eles parecem exuberantes e jovens, mas é difícil dizer sob suas máscaras de bronze. Eles estão muito satisfeitos por ver Joseph.

— Vovó, Vovô, eu apresento-lhes Demetria Lovato.

A vó de joe avança sobre mim como uma erupção cutânea.

— Oh, ele finalmente encontrou alguém, que maravilhoso, e ela é tão bonita! Bem, eu espero que você faça dele homem honesto, — ela diz, apertando minha mão.

Caralho. Agradeço aos céus por minha máscara.

— Mãe, não embarace a Demi. — Denise vem em meu socorro.

— Ignorem esta velha tola, meus queridos. — O vô aperta minha mão.
 — Ela acha que porque é tão velha, tem o direito dado por Deus de dizer qualquer absurdo que apareça em sua cabeça oca.

— Demi, este é o meu acompanhante, Sean. — Mia timidamente apresenta um homem jovem. Ele me dá um sorriso perverso, e seus olhos castanhos dançam com diversão, enquanto nós apertamos as mãos.

— Prazer em conhecê-lo, Sean.

             Joseph aperta a mão de Sean, enquanto o considera com astúcia. Não me diga que a pobre Mia sofre com seu irmão arrogante também. Eu sorrio para Mia com simpatia. Lance e Janine, amigos de Denise, são o último par na nossa mesa, mas não há ainda nenhum sinal do Sr. Jonas. De repente, há o silvo do microfone, e a voz do Sr. Jonas retumbou sobre o sistema de PA, fazendo com que o murmúrio de vozes a morresse. Paul está em um pequeno palco em uma extremidade da demarcação, vestindo uma
impressionante máscara dourada de Punchinello.

— Bem vindos, senhoras e senhores, ao nosso baile anual de caridade. Espero que vocês aproveitem o que temos preparado para vocês nesta noite e que vocês abram bastante os bolsos, para apoiar o trabalho fantástico que a nossa equipe faz com a Coping Together. Como vocês sabem, é uma causa que é muito próxima ao coração da minha esposa e do meu.

Eu olhei nervosamente para Joseph, que está olhando impassível, eu acho que, para o palco. Ele olha para mim e sorri.

— Vou deixá-los agora com o nosso mestre de cerimônias. Por favor,
sentem e desfrutem, — Paul termina.

               Aplausos educados o seguem, então o murmúrio na tenda começa novamente. Estou sentada entre Joseph e seu avô. Eu admiro o cartão pequeno, branco com fina caligrafia prata, que leva o meu nome, enquanto um garçom acende o candelabro com uma vela longa. Paul se une a nós, beijando-me em
ambas as faces, surpreendendo-me.

— Bom ver você de novo, Demi, — ele murmura. Ele realmente parece muito marcante com sua extraordinária máscara dourada.

— Senhoras e senhores, por favor, devem nomear um chefe de mesa, — o MC (mc de mestre de cerimonia)  fala.

— Ooo, eu, eu! — Mia diz imediatamente, saltando com entusiasmo, em seu assento.

— No centro da mesa você encontrará um envelope, — o MC continua.
— Será que todos encontraram, implore, peça emprestado ou roube um valor com a maior denominação que você possa gerenciar, escreva o seu nome, e coloque-o dentro do envelope. Chefes das mesas, por favor, guardem esses envelopes com cuidado. Nós vamos precisar deles mais tarde. Caramba. Eu não trouxe nenhum dinheiro comigo. Que estupidez, é um evento de caridade!

Joseph pega a carteira, pega duas notas de cem dólares.

— Aqui, — ele diz.

O quê?

— Eu te pago de volta, — eu sussurro.

               Sua boca torce um pouco, e eu sei que ele não está feliz, mas ele não comenta. Eu assino o meu nome usando sua caneta-tinteiro, que é preta com uma flor branca na tampa, e Mia passa o envelope ao redor. Na minha frente eu encontro um outro cartão inscrito com caligrafia prata, nosso menu.

BAILE DE MÁSCARAS EM AUXÍLIO DA COPING TOGETHER
MENU

"SALMÃO TÁRTARO COM CREME FRESCO
PEPINO NO BRIOCHE TORRADO
ALBAN ESTATE ROUSSANNE 2OO6
PEITO DE PATO ASSADO À MOSCOU
PURÊ DE SUNCHOKE CREMOSO
TOMILHO TORRADO COBERTO COM CEREJAS,
FOIE GRAS
CHÂTEAUNEUF-DU-PAPE VIEILLCS VIGNES 2006
DOMAINE DE LA JANASSE
CROSTA AÇUCARADA CHIFFON
FIGOS CRISTALIZADOS, SABAYON, SORVETE DE BORDO
VIN DE CONSTANCE 2004 KLEIN CONSTANTIA
SELEÇÃO DE QUEIJOS E PÃES LOCAIS
ALBAN ESTATE GRENACHE 2006
CAFÉ E PETITS FOURS"


               Bem, isso explica o número de copos de cristal de cada tamanho, colocado na minha frente. Nosso garçom está de volta, oferecendo vinho e água. Atrás de mim, os lados da tenda através da qual entramos, estão sendo fechadas, enquanto na frente, dois servidores puxam para trás uma tela, revelando o por do sol sobre Seattle e Bay Meydenbauer. É uma visão absolutamente de tirar o fôlego, as luzes de Seattle cintilam à distância e o laranja escuro, calmo, da baía reflete o céu de opala. Uau. É tão calmo e pacífico. Dez servidores, cada um segurando um prato, vem para ficar entre nós. Com um sinal silencioso, servem as nossas entradas na sincronização completa, em seguida, desaparecer novamente. O salmão parece delicioso, e eu percebo que estou morrendo de fome.

— Com fome? — Joseph murmura tão baixo, que só eu posso ouvir. Eu sei que ele não está se referindo ao alimento, e os músculos profundos na minha barriga respondem.

— Muito, — eu sussurro, ousadamente reunindo o meu com o seu olhar,

Joseph separa os lábios enquanto inala. Ha! Veja... dois podem jogar este jogo.

              O avô de Joseph envolve-me em uma conversa imediatamente. Ele é um homem maravilhoso, tão orgulhoso de sua filha e de seus três netos. É tão estranho pensar em Joseph como uma criança. A memória de suas cicatrizes de queimaduras vem espontaneamente à mente, mas rapidamente descarto-a. Eu não quero pensar nisso agora, embora, ironicamente, é a razão por trás desta festa. Eu queria que Miley estivesse aqui com Elliot. Ela se encaixaria tão bem, o grande número de garfos e facas colocados diante dela, não assustariam Miley, ela iria comandar a mesa. Eu a imagino brigando com Mia sobre quem deveria ser a cabeça da mesa. O pensamento me faz sorrir. A conversa na mesa tem fluxos e refluxos. Mia é divertida, como sempre, tanto que eclipsa o pobre Sean, que costuma ficar quieto como eu. A avó de Joseph é a mais vocal. Ela também tem um senso de humor mordaz, geralmente à custa de seu marido. Eu começo a sentir um pouco de pena do vovô de joe. Joseph e Lance falam animadamente sobre um dispositivo que a empresa de Joseph está desenvolvendo, inspirado no princípio de Schumacher: Pequeno
é Bonito. É difícil acompanhar. Joseph parece ter a intenção de capacitar às comunidades carentes, em todo o mundo, uma tecnologia à vento, com dispositivos que não necessitam de eletricidade ou baterias e manutenção mínima. Vê-lo em plena atividade é surpreendente. Ele é apaixonado e comprometido com a melhoria da vida dos menos afortunados. Através de sua empresa de telecomunicações, ele tem a intenção de ser o primeiro no mercado, com um telefone móvel com energia a vento. Uau. Eu não tinha ideia. Quer dizer, eu sabia sobre sua paixão sobre a alimentação do mundo, mas isto... Lance parece incapaz de compreender o plano de Joseph de dar a tecnologia e não patenteá-la. Pergunto-me vagamente como Joseph fez toda a sua fortuna, se ele está tão disposto a dar tudo. Durante o jantar, um fluxo constante de homens em smokings, habilmente confeccionados e máscaras escuras, param na nossa mesa, interessados em conhecer Joseph, apertar sua mão e trocar gentilezas. Ele me apresenta para alguns, mas para outros não. Estou intrigada para saber como e por que ele faz a distinção. Durante uma conversa, Mia se inclina e sorri.

— Demi, você vai ajudar no leilão?

— Claro, — eu respondo muito disposta.

               Quando a sobremesa é servida, a noite já caiu, e eu estou realmente desconfortável. Eu preciso me livrar das bolas. Antes que eu possa me desculpar, o mestre de cerimônias aparece na nossa mesa, e com ele, se não me engano, está a Senhorita Tranças Européias. Qual é seu nome? Hansel, Gretel... Gretchen. Ela está mascarada é claro, mas eu sei que é ela, quando o seu olhar não se move para além de Joseph. Ela cora, e egoísta, eu estou muito contente que Joseph não toma conhecimento dela. O MC pede o nosso envelope e com um floreio muito praticado e eloquente, pede para Denise tirar a proposta vencedora. É do Sean, e a cesta embrulhada em papel de seda é atribuída a ele. Aplaudo educadamente, mas eu estou achando impossível me concentrar em mais nada do que acontece.

— Se você me dá licença, — murmuro para Joseph.

Ele olha para mim atentamente.

— Você precisa retocar a maquiagem?

Concordo com a cabeça.

— Eu vou lhe mostrar, — ele diz sombriamente.

Quando eu levanto, todos os outros homens ao redor, levantam da mesa comigo. Oh, tais maneiras.

— Não, Joseph! Você não vai levar a Demi, eu vou.

                Mia está em pé antes mesmo que Joseph possa protestar. Sua mandíbula aperta, eu sei que ele não está satisfeito. Francamente, não é só eu que tenho... necessidades. Eu dou de ombros como desculpa para ele, e ele se senta rapidamente, resignado. Em nosso retorno, eu me sinto um pouco melhor, embora o alívio de remover as bolas não foi tão instantâneo quanto eu esperava. Elas agora estão escondidas, em segurança, na minha bolsa. Como eu pensei que poderia durar a noite inteira? Eu ainda estou ansiosa, talvez eu possa convencer Joseph a me levar para a casa de barcos mais tarde. Eu coro com o pensamento e olho para ele, enquanto me sento. Ele olha para mim, o fantasma de um sorriso cruza os seus lábios. Ufa... ele não está mais com raiva de uma oportunidade perdida, embora talvez eu esteja. Eu me sinto frustrada, irritada mesmo. Joseph aperta a minha mão, e nós dois ouvimos Paul com atenção, ele está de volta ao palco, falando sobre a Coping Together. Joseph passa-me outro cartão com uma lista dos prêmios e leilões. Eu leio rapidamente.

PRESENTES DE LEILÕES E DOADORES GRACIOSOS

  1. BASTÃO DE BEISEBOL ASSINADO DOS NAVEGANTES - DRA. EMILY MAINWARINC
  2. BOLSA, CARTEIRA & CHAVEIRO GUCCI - ANDREA WASHINGTON
  3. UM PASSAPORTE PARA DUAS PESSOAS PARA UM DIA NO ESCLAVA, BRAEBURN CENTER - ELENA LINCOLN
  4. DESENHO DE PAISAGEM E JARDIM - GIA MATTEO
  5. COCO DE MER COFFRET & PERFUME BEAUTY SELECTION - ELIZABETH AUSTIN
  6. ESPELHO VENEZIANO - SR. E SRA. J. BAILEY
  7. DUAS BOLSAS DE VINHO DE SUA ESCOLHA DE ALBAN ESTATES – ALBAN ESTATES
  8. DOIS BILHETES VIPS PARA O XTY IN CONCERT – SRA. L. YEYOV
  9. UM DIA DE CORRIDAS EM DAYTONA - EMC BRITT INC.
  10. ORGULHO & PRECONCEITO, DE JANE AUSTEN, PRIMEIRA EDIÇÃO - DR. A. F. M. LACE-FIELD
  11. DIRIGIR UM ASTON MARTIM D87 POR UM DIA - MR. & SRA. L. W. NORA
  12. PINTURA EM ÓLEO ‘INTO THE BLUE’ DE J. TROUTON - KELLY TROUTON
  13. LIÇÃO DE VÕO - SEATTLE SSOARERS CLUB
  14. FIM DE SEMANA PARA DOIS NO THE HEATHMAN, PORTLAND – THE HEATHMAN
  15. ESTADIA DE UM FIM DE SEMANA EM ASPEN (6 LEITOS) - SR. D. Jonas
  16. ESTADIA DE UMA SEMANA A BORDO DO IATE THE SUSIECUE (6 LEITOS) ATRACADO EM ST. LUCIA - DR. & SRA. LARIN
  17. UMA SEMANA NO LAGO ADRIDANA, MONTANA (8 LEITOS) - SR. & DRA. Jonas


Puta merda. Eu pisquei para Joseph.

— Você possui uma propriedade em Aspen? — Eu assobio.

            O leilão está em curso, e eu tenho que baixar a minha voz. Ele balança a cabeça, surpreso com a minha explosão e irritado, eu acho. Ele põe o dedo nos lábios para me silenciar.

— Você tem algum imóvel em outro lugar? — Eu sussurro.

               Ele acena com a cabeça novamente e inclina a cabeça para um lado em uma advertência. A sala inteira entra em erupção com aclamações e aplausos, um dos prêmios foi para doze mil dólares.

— Eu vou te dizer mais tarde, — Joseph diz em voz baixa.
— Eu queria ir com você, — ele acrescenta um pouco de mau humor.

               Bem, você não fez. Eu amuo e percebo que ainda estou queixosa e, sem dúvida, é o efeito frustrante das bolas. Meu humor escurece depois de ver a Sra. Robinson na lista dos doadores generosos.
Olho em volta da delimitação, para ver se posso encontrá-la, mas eu nã posso ver seu cabelo revelador. Certamente Joseph teria me avisado se ela fosse convidada para esta noite. Eu sento e zangada, aplaudindo quando necessário, à medida que cada lote é vendido por quantidades impressionantes de dinheiro. O leilão se move para a propriedade de Joseph em Aspen e chega a vinte mil dólares.

— Dou-lhe uma, dou-lhe duas, — o MC chama.

E eu não sei o que me possui, mas de repente, eu ouvi minha própria voz soando claramente sobre a multidão.

— Vinte e quatro mil dólares!

               Cada máscara na mesa vira para mim, com espanto chocado, a maior reação de todos que vem do meu lado. Eu ouço sua ingestão aguda de respiração e sinto a sua ira lavar-me como uma onda.

— Vinte e quatro mil dólares, para a senhora bonita, de vestido prata, doulhe uma, dou-lhe duas... Vendido!


Comentem :((( 
Comentários respondidos e tal. Hoje to :(( mas enfim, foda-se jkdnsjsma bjs

14 comentários:

  1. Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa dona Demi é terrivel, nao deixa nada escapar né u.u Kkkkkkkkkkkkkk'
    Amei o capitulo ta lindo demais, como sempre :**

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OBRIGADA!!!!!!!!11 DAQUI A POUCO EU POSTO

      Excluir
  2. AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH POSTA O PROXIMO CAPITULO POR FAVORR! QUANDO EU TERMINEI DE LER ESSE CAPITULO DEU UMA VONTADE ME QUEBRAR TUDO, EU PRECISO DO PROXIMO CAPITULO URGENTE, DEMETRIA É DOIDA SÓ PODE!KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. QUEBRAR TUDO? JDSFDSNFLKDSNAFDMAN SOCORRO DEMI É FODA

      Excluir
  3. ahhhhhh o cap acabou na melhor parte pqp cada vez essa fic fica melhor scrr to amando ela demais posta logo pfvr haha bjss

    ResponderExcluir
  4. OI SOU EU A GAROTA DO CAPS DE NOVO PEDINDO PRA VC POSTAR LOGO PQ EU NAO CONSIGO COMER QNDO VC NAO POSTA TE AMO SE VC TIVER TWITTER FALA COMIGO LA SOU A THATSJONATO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OIEEEEEEEEE. LOGO MENOS SURPRESINHA PRA VC

      Excluir
  5. Essa fic é super boa mais é complicda de entende tenta postar uma shortfic enquanto agente rele a 1 temporada pra entende a 2 temporada

    ResponderExcluir
  6. Essa fic é super boa mais é complicda de entende tenta postar uma shortfic enquanto agente rele a 1 temporada pra entende a 2 temporada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nadaa a ver , vc tem qe prestar atenção nos detalhes, apenas isso

      Excluir