quinta-feira, 18 de julho de 2013

Cap.11 big - 2ª temporada HOT DUPLO + Pergunta

               Com graça e habilidade Joseph bate a bola branca, de forma que ela desliza sobre a mesa, bate de leve na preta e, oh, vagarosamente a bola negra rola, oscila sobre a borda e, finalmente, cai na caçapa superior direita da mesa de bilhar.

Porra!

              Ele se levanta, e torce a boca em um sorriso triunfante de, eu já possuo você Lovato. Deixando de lado seu taco, ele caminha despreocupadamente em minha direção, seus cabelos despenteados, jeans e camiseta branca. Ele não se parece com um CEO, ele se parece com um bad boy do lado errado da cidade.

Caramba, ele é tão fodidamente sexy.

— Você não vai ser uma má perdedora, não é? — Ele murmura, mal contendo o sorriso.

— Depende o quão duro você me bata, — eu sussurro, segurando eu meu taco de bilhar como apoio. Ele toma o taco e o coloca de lado, engancha seu dedo no topo da minha camisa e me puxa em sua direção.

— Bem, vamos contar os seus delitos, Srta. Lovato. — Ele conta com seus longos dedos.
— Um, me deixar ciumento de minha própria equipe. Dois, discutindo comigo sobre o trabalho. E três, acenando com o seu traseiro delicioso para mim durante os últimos vinte minutos.

Seus olhos brilham de um cinza suave, com emoção, e inclinando-se para baixo, ele esfrega o nariz contra o meu.

— Eu quero que você tire o seu jeans e esta camisa muito atraente. Agora. — Ele planta um beijo suave como uma pena nos meus lábios, passeia tranquilamente até a porta, e a tranca.

Oh meu Deus.

              Quando ele se vira e olha para mim, seus olhos estão ardendo. Eu fico paralisada como um zumbi completo, o meu coração batendo forte, meu sangue bombeado, sem ser realmente capaz de mover um músculo. Na minha mente, tudo que eu posso pensar é: isso é para ele. O pensamento repetindo como um mantra uma e outra vez.

— As roupas, Demetria. Você parece estar as usando ainda. Tire-as, ou eu vou fazer isso por você.

— Você faria isso. — Eu finalmente encontro a minha voz, e soa baixa e aquecida. Joseph sorri.

— Oh, Srta. Lovato. É um trabalho sujo, mas eu acho que posso enfrentar o desafio.

— Você normalmente enfrenta a maioria dos desafios, Sr. Jonas. — Eu levanto uma sobrancelha para ele, e ele sorri.

— Por que, Srta. Lovato, o que você quer dizer? — Em seu caminho até mim, ele faz uma pausa na mesa pequena construída em uma das estantes.

               Se esticando, ele pega uma régua Perspex de 12 polegadas. Ele pega cada extremidade e flexiona, seus olhos não deixando os meus. Puta merda, aquela era a arma de sua escolha. Minha boca fica seca. De repente, estou quente e incomodada e úmida em todos os lugares. Somente Joseph poderia me excitar com apenas um olhar e uma régua. Ele a desliza no bolso traseiro da calça jeans e chega até mim, olhos escuros e cheios de promessas. Sem dizer uma palavra, ele cai de joelhos na minha frente e começa a
desfazer meus cadarços, com rapidez e eficiência, tirando o meu tênis All Star Converse e meias. Eu me inclino ao lado da mesa de bilhar para não cair. Olhando para ele enquanto desfaz meus cadarços, fico maravilhada com a profundidade do sentimento que tenho por esse homem falho e lindo. Eu o amo. Ele pega meus quadris, desliza os dedos no cós da calça jeans, e desfaz o botão e zíper. Ele olha para cima através de seus cílios longos, sorrindo seu sorriso mais picante enquanto lentamente retira meus jeans. Eu saio deles, contente que estou usando essas calcinhas lindas, ele agarra a parte de trás das minhas pernas e corre o nariz ao longo do ápice das minhas coxas. Eu praticamente derreto.

— Eu quero ser muito áspero com você, Demi. Você vai ter que me dizer para parar, se for demais, — suspira.

Oh meu Deus! Ele me beija. . . lá. Eu gemo baixinho.

— Palavra de segurança? — Murmuro.

— Não, nenhuma palavra segura, apenas me diga para parar, e eu vou parar. Entende? —Beija-me outra vez, me aninhando. Oh, isso parece bom. Ele se levanta, seu olhar intenso.

— Responde-me, — ele ordena a sua voz de veludo macio.

— Sim, sim, eu entendo. — Estou intrigada com sua insistência.

— Você esteve dando dicas e sinais mistos durante todo o dia, Demetria, — Ele diz.
— Você disse que estava preocupada que eu tinha perdido meu limite. Eu não sei o que você quis dizer com isso, e eu não sei o quão séria você estava, mas vamos descobrir. Eu não quero voltar para a sala de jogos ainda, antes de tentar isso agora, mas se você não gostar, você deve prometer que vai me dizer. — A intensidade ardente nascida de sua ansiedade substitui a arrogância anterior.

Ei, por favor, não fique ansioso, Joseph.

— Eu te direi. Nenhuma palavra segura, — reitero para tranquilizá-lo.

— Nós somos amantes, Demetria. Os amantes não precisam de palavras seguras. — Ele franze a testa.

— Precisam?

— Eu acho que não, — murmuro. Cristo, como eu saberia?
— Prometo que te direi.

              Ele procura em meu rosto qualquer indício de hesitação e eu estou nervosa, mas animada, também. Estou muito feliz de fazer isso, sabendo que ele me ama. É muito simples para mim, e agora, eu não quero pensar de mais sobre isso. Um sorriso lento se estende por todo o rosto, e ele começa a desabotoar minha camisa, os dedos hábeis fazem brevemente o trabalho, embora ele não a tira. Ele se inclina e pega a régua.
Oh merda, o que ele vai fazer com isso? Um calafrio de medo corre por mim.

— Você joga bem, Srta. Lovato. Devo dizer que estou surpreso. Por que você não derruba a bola preta?

            Meu medo esquecido, eu faço um beicinho, me perguntando por que diabos ele deveria estar surpreso, bastardo sexy e arrogante. Minha deusa interior está relaxando em segundo plano, fazendo seus exercícios de chão, um grande sorriso gordo em seu rosto. Eu posiciono a bola branca. Joseph passeia ao redor da mesa e fica bem atrás de mim enquanto me inclino mais para ter minha chance. Ele coloca a mão
na minha coxa direita e passa os dedos para cima e para baixo da minha perna, para trás e de volta, levemente me acariciando.

— Eu vou errar, se você continuar fazendo isso, — eu sussurro, fechando meus olhos e saboreando a sensação de suas mãos em mim.

— Eu não me importo se você acertar ou errar, bebê. Eu só queria te ver assim, parcialmente vestida, estendida sobre a minha mesa de bilhar. Você tem alguma ideia de quão quente você parece no momento?

Eu coro, e minha deusa interior agarra uma rosa entre os dentes e começa a dançar tango. Tomando uma respiração profunda, tento ignorá-lo e alinhar meu tiro. É impossível. Ele me acaricia atrás, uma e outra vez.

— Acima e a esquerda, — murmuro, em seguida, bato a bola branca. Ele me da um tapa duro, diretamente em meu traseiro.

É tão inesperado que eu grito. A branca bate na preta, que rebate na almofada ampla da caçapa. Joseph acaricia meu traseiro novamente.

— Ah, eu acho que você precisa tentar novamente, — ele sussurra.
— Você deve se concentrar, Demetria.

               Estou ofegante agora, animada com este jogo. Ele caminha até o fim damesa, coloca a bola preta de novo, em seguida, pega a bola branca de volta para mim. Ele parece tão sensual, olhar escuro com um sorriso lascivo. Como eu poderia resistir a esse homem? Eu pego a bola e a alinho, pronta para atacar
novamente.

— Ei, ei, — ele adverte.
— Espere. — Ah, ele adora prolongar a minha agonia. Ele caminha de volta e fica atrás de mim novamente. Eu fecho meus olhos mais uma vez enquanto ele acaricia minha coxa esquerda desta vez, em seguida, acaricia minhas costas novamente.

— Mira, — ele assopra.

              Eu não posso evitar meu gemido com torções de desejo e dando voltas dentro de mim. E eu tento, realmente tento, pensar onde eu deveria bater a preta com a branca. Eu mudo um pouco à minha direita, e ele me segue. Me curvo sobre a mesa mais uma vez. Usando qualquer vestígio de força interior, que diminuiu consideravelmente desde que eu sei o que vai acontecer quando eu bater na bola branca, miro e acerto a branca novamente. Joseph me da uma tapa mais uma vez, duro.

Ai! Erro de novo.

— Oh não! — eu solto um gemido.

— Uma vez mais, bebê. E se você perder dessa vez, eu realmente vou deixar que você consiga o que quer.


O quê? Ter o que?

Ele coloca a bola preta mais uma vez e caminha, dolorosamente lento, de volta para mim até que ele está de pé atrás de mim, acariciando minhas costas mais uma vez.

— Você pode fazer isso, — lisonjeia.

Oh, não quando você está me distraindo assim. Eu empurro meu traseiro para trás contra a mão dele, e ele me da uma tapa levemente.

— Ansiosa, Srta. Lovato? — Ele murmura.

Sim. Eu quero você.

— Bem, vamos nos livrar delas. — Ele desliza suavemente minha calcinha para baixo pelas minhas coxas e as tira. Eu não posso ver o que ele faz com elas, mas ele me deixa exposta e planta um beijo suave em cada lado do meu traseiro.

— Dê a tacada, bebê.

               Eu quero choramingar, eu não vou conseguir. Eu sei que vou perder. Eu alinho a branca e a atinjo, na minha impaciência, erro a bola preta completamente. Eu espero o golpe, mas ele não vem. Ao contrário, ele se inclina para a direita sobre mim, me achatando contra a mesa, pega o taco da minha mão
e rola para a almofada de lado. Eu posso senti-lo, duro, contra meu traseiro.

— Você perdeu, — ele disse baixinho no meu ouvido. Minha bochecha está pressionada contra o tecido da mesa.

— Ponha as mãos espalmadas sobre a mesa.

Eu faço como ele diz.

— Ótimo. Eu vou bater em você agora e na próxima vez, talvez você ganhe. — Ele se move então e está em pé ao meu lado esquerdo, sua ereção contra meu quadril.

               Eu solto um gemido e meu coração pula dentro da minha boca. Minha respiração vem em suspiros curtos e uma excitação quente e pesada faz um percurso através das minhas veias. Gentilmente, ele acaricia o meu traseiro e enrola a outra mão ao redor da minha nuca, seus dedos enroscaram em meu cabelo, com o cotovelo nas minhas costas, me segurando para baixo. Estou completamente indefesa.

— Abra as pernas, — ele murmura e por um momento, hesito. Ele me bate duramente, com a régua! O barulho é mais duro do que um tapa, e ele me pega de surpresa. Eu suspiro, e ele me bate de novo.

— Pernas, — ele ordena. Abro minhas pernas, ofegante. A régua ataca novamente. Ai, isso pica, mas o barulho pela minha pele parece pior do que se sente.

               Eu fecho meus olhos para absorver a dor. Não é muito ruim, e a respiração de Joseph se torna mais dura. Ele me bate uma e outra vez, e eu começo a lançar pequenos murmúrios. Não tenho certeza de quantos golpes posso suportar, mas ouvi-lo e saber como ele está excitado, alimenta a minha excitação e minha vontade de continuar. Estou de passagem para o lado negro, um lugar na minha psique que eu não conheço bem, mas já visitei antes na sala de jogos, com Tallis. (N/A: trilha sonora) A régua ataca mais uma vez, e eu solto um gemido alto, e Joseph geme em resposta. Ele me bate de novo e de novo... e uma vez mais... mais duro desta vez, e eu estremeço.

— Para. — A palavra está fora da minha boca antes mesmo de eu estar ciente. Joseph solta a régua imediatamente e me libera.

— O suficiente? — Ele sussurra.
— Sim.

— Quero transar com você agora, — ele disse, a voz tensa.

— Sim, — murmuro com saudade.

               Ele desfaz a braguilha, enquanto estou deitada ofegante em cima da mesa, sabendo que ele vai ser duro. Admira-me mais uma vez como eu consegui, e sim, gostei. O que ele fez para mim até este ponto é tão escuro, mas tão ele. Ele insere dois dedos dentro de mim e os move em um movimento circular. A sensação é excelente. Fechando os olhos, me deleito na sensação. Ouço o rasgar da embalagem da camisinha, então ele está de pé atrás de mim, entre minhas pernas, empurrando-as mais abertas. Lentamente, ele afunda em mim, me enchendo. Eu ouço seu gemido de puro prazer, e desperta a minha alma. Ele agarra firmemente meus quadris, tira e bate de volta em mim, me fazendo chorar. Ele me tranquiliza por um momento.

— De novo? — Ele pergunta em voz baixa.

— Sim... Eu estou bem. Perca-se...  e me leve com você, — sussurro sem fôlego.

               Ele deixa sair um gemido rouco de sua garganta, tira mais uma vez, então bate em mim, repete isso mais e mais lentamente, deliberadamente, uma punição, um ritmo brutal celestial. Oh merda minhas... Minhas entranhas começam a acelerar. Ele sente, também, e aumenta o ritmo, empurrando-me, mais alto, mais forte, mais rápido e eu me rendo, explodindo ao redor dele. Um orgasmo da alma, que me drenou, me deixa usada e exausta. Estou vagamente consciente de que Joseph, também, se deixa ir, chamando meu nome, os dedos cavando em meus quadris, em seguida, ele acalma e cai em mim. Afunda-nos no chão, e ele me embala em seus braços.

— Obrigado, querida, — ele sussurra, cobrindo meu rosto com beijos suaves como uma pena. Abro os olhos e olho para ele, ele enrola os braços mais apertados ao meu redor.

— Seu rosto está rosado devido à mesa, — ele murmura, esfregando meu rosto com ternura.
— Como foi? — Seus olhos estão arregalados e cautelosos.

— Bom, — eu murmuro, com os dentes cerrados.
— Eu gosto que seja áspero, Joseph, e gosto suave, também. Eu gosto que seja com você.

Ele fecha os olhos e me abraça ainda mais apertado.

Caramba, estou cansada.

— Você nunca falha, Demi. Você é bonita, brilhante, estimulante, divertida, sexy, e eu agradeço a providência divina a cada dia que você veio me entrevistar e não Miley Cyrus. — Ele beija o meu cabelo. Eu sorrio e bocejo contra seu peito.

— Desgastei-a — ele continuou.
— Venha. Banho, então, cama.

Estamos ambos no banheiro de Joseph, nos encarando o queixo cheio de espuma, o cheiro doce de jasmim nos envolve. Joseph está massageando meus pés, um de cada vez. É tão bom que deveria ser ilegal.

— Posso te perguntar uma coisa? — Murmuro.

— Claro. Qualquer coisa, Demi, você sabe disso.

Eu respiro fundo e decido, hesitando apenas ligeiramente.

— Amanhã, quando eu for trabalhar, Sawyer pode simplesmente me deixar na porta do escritório, então me pegar no final do dia? Por favor, Joseph. Por favor, — eu imploro.

Suas mãos param enquanto ele franze a testa.

— Eu pensei que nós concordamos, — resmunga.

— Por favor, — eu imploro.

— E quanto à hora do almoço?

— Vou fazer algo para levar daqui, então eu não tenho que sair, por favor.

Ele beija o peito do meu pé.

— Acho muito difícil dizer não para você, — ele resmunga como se sentisse que esta é uma falha da sua parte.

— Você não vai sair?

— Não.

— Ok.

Eu sorrio para ele.

— Obrigada. — Inclino-me, derramando água por toda parte, e o beijo.

— De nada, Srta. Lovato. Como está seu traseiro?

— Dolorido. Mas não é tão ruim. A água é calmante.

— Estou feliz que você me disse para parar, — ele falou, olhando para mim.

— Assim como meu traseiro.

Ele sorri.

xxx


Estico-me na cama, tão cansada. É só dez e meia, mas parece que são três da manhã. Isso tem de ser um dos fins de semana mais cansativos da minha vida.

— A Sra. Acton não forneceu nenhuma roupa de dormir? — Joseph pergunta, sua voz misturada com desaprovação enquanto olha para mim.

— Eu não tenho ideia. Eu gosto de usar as suas camisetas, — murmuro sonolenta.

Seu rosto suaviza, e ele se inclina e beija minha testa.

— Eu preciso trabalhar. Mas eu não quero deixá-la sozinha. Posso usar seu laptop para fazer login no escritório? Vou incomodar se eu trabalhar aqui?

— Ele não é meu laptop. — E adormeço.



xxx


               O alarme desperta, surpreendendo-me ao acordar com a notícia de tráfego. Joseph ainda está dormindo ao meu lado. Esfregando os olhos, olho para o relógio. Seis e trinta, cedo demais. Está chovendo lá fora pela primeira vez em séculos, e a luz é silenciosa e suave. Estou aconchegada e confortável nesta cama vasta e moderna com Joseph ao meu lado. Estico-me e viro para o homem delicioso ao meu lado. Seus olhos abrem e ele pisca sonolento.

— Bom dia. — Eu sorrio e acaricio seu rosto, inclinando-me para beijá-lo.

— Bom dia, querida. Eu geralmente acordo antes do alarme disparar, — ele murmura, maravilhado.

— É muito cedo.

— É sim, Srta. Lovato. — Joseph sorri.
— Eu tenho que levantar. — Ele me beija, e então está em pé e fora da cama. Eu me enterro contra os travesseiros.

Nossa, acordar em um dia de trabalho ao lado de Joseph Jonas. Como tudo isso aconteceu? Fecho meus olhos e cochilo.

— Vamos, dorminhoca, levante-se. — Joseph se inclina sobre mim. Ele está barbeado, limpo, fresco. Hum cheira tão bem, em uma camisa branca e terno preto, sem gravata. O CEO está de volta. Santo Moisés, ele parece bom assim, também.

— O quê? — Ele pergunta.

— Eu gostaria que você voltasse para a cama.

Seus lábios se abrem, surpreso com a minha provocação, e ele sorri quase com timidez.

— Você é insaciável, Srta. Lovato. Tanto quanto a ideia apela, eu tenho uma reunião às oito e meia, então eu tenho que ir logo.

               Oh, eu dormi por uma hora ou assim. Merda. Pulo da cama, para grande diversão de Joseph.
Tomo banho e me visto rapidamente, colocando as roupas que eu escolhi ontem: uma saia justa cinza lápis; camisa de seda cinza clara e escarpin de salto alto preto, todos os cuidados do meu guarda-roupa novo. Escovo meu cabelo e cuidadosamente o coloco para cima, então vagueio para a sala grande, sem saber o
que esperar. Como é que eu vou começar a trabalhar? Joseph está tomando café no bar. Sra. Jones está na cozinha fazendo panquecas e bacon.

— Você está linda, — Joseph murmura. Envolvendo um braço a minha volta, e beija debaixo da minha orelha. Com o canto do meu olho, eu pego o sorriso Sra. Jones. Eu coro.

— Bom dia, Srta. Lovato, — ela diz, enquanto coloca panquecas e bacon na minha frente.

— Oh, obrigada. Bom dia, — murmuro. Puxa, eu poderia me acostumar com isso.
— O Sr. Jonas disse que você gostaria de levar o almoço para o trabalho. O que você gostaria de 
comer?

Olho para Joseph, que está tentando muito duro não sorrir maliciosamente. Eu estreito meus olhos para ele.

— Um sanduíche... salada. Eu realmente não me importo. — Eu sorrio para Sra. Jones.

— Vou apanhar e embalar um almoço para você, senhora.

— Por favor, Sra. Jones, me chame de Demi.

— Demi. Ela sorri e se vira para me fazer chá.

Uau... isso é tão legal.

Viro-me e inclino a cabeça para Joseph, desafiando-o, vá em frente, me acuse de flertar com a Sra. Jones.

— Eu tenho que ir, bebê. Taylor vai voltar e deixá-la no trabalho com Sawyer.

— Só na porta.

— Sim. Só na porta. — Joseph revira os olhos.
— Tenha cuidado, porém.

Olho ao redor e espio Taylor de pé na entrada. Joseph fica em pé e me beija, segurando meu queixo.

— Mais tarde, bebê.

— Tenha um bom dia no escritório, querido, — eu chamo atrás dele. Ele se vira e pisca o seu belo sorriso, em seguida, ele se foi. Sra. Jones me dá uma xícara de chá, e de repente eu me sinto desconfortável com apenas nós duas aqui.

— Há quanto tempo você trabalha para Joseph? — Eu pergunto, pensando que deveria fazer algum tipo de conversa.
— Quatro anos mais ou menos, — ela diz agradavelmente, enquanto se põe a fazer o meu almoço.

— Você sabe, eu posso fazer isso, — eu resmungo, envergonhada que ela estivesse fazendo isso por mim.

— Você come seu café da manhã, Demi. Isto é o que eu faço. Eu gosto disso. É bom cuidar de alguém que não seja o Sr. Taylor e Sr. Jonas. — Ela sorri docemente para mim.

               Minhas bochechas ficam rosadas com prazer, e eu quero bombardear essa mulher com perguntas. Ela deve saber muito sobre Cinquenta e, à sua maneira, é acolhedora e simpática, é também muito profissional. Eu sei que só vou envergonhar nós duas se começar a interrogá-la, assim termino meu café da
manhã em um silêncio razoavelmente confortável, pontuado apenas por suas perguntas sobre minhas preferências de alimentos para o almoço. Vinte e cinco minutos depois, Sawyer aparece na entrada da grande sala. Eu escovei os dentes, e estou esperando para ir. Segurando meu almoço em um saco de papel marrom. Eu nem me lembro da minha mãe fazendo isso por mim. Sawyer e eu vamos para o primeiro andar através do elevador. Ele é muito calado, também não dando nada de graça. Taylor está esperando no Audi, e eu subo no banco do passageiro traseiro quando Sawyer abre a porta.

— Bom dia, Taylor, — eu digo brilhantemente.

— Srta. Lovato. — Ele sorri.

— Taylor, eu sinto muito sobre ontem e meus comentários inapropriados. Espero que eu não o tenha deixado em apuros.

Taylor franze a testa em surpresa no espelho retrovisor enquanto arranca pelo tráfego de Seattle.

— Srta. Lovato, eu estou raramente em apuros, — ele diz tranquilizador.

Ah bom. Talvez Joseph não o repreenda. Apenas eu, então, penso amargamente.

— Estou feliz em ouvir isso, Taylor. — Eu sorrio.


xxx



Jack olha para mim, avaliando a minha aparência, enquanto faço meu caminho para a minha mesa.


— Bom dia, Demi. Bom final de semana?

— Sim, obrigada. E o seu?

— Foi bom. Se instale. Eu tenho trabalho para você fazer.

               Concordo com a cabeça e sento no computador. Parece anos desde que eu estive no trabalho. Eu ligo meu computador e inicio o programa de correio eletrônico e é claro que há um e-mail de Joseph.


De: Joseph Jonas
Assunto: Chefe
Para: Demetria Lovato
Bom dia, Srta. Lovato eu só queria dizer obrigado por um fim de semana
maravilhoso, apesar de todo o drama. Espero que você nunca me deixe, nunca. E
apenas para lembrá-la que a notícia da SIP é embargada por quatro semanas.
Delete este e-mail assim que você lê-lo.
Seu Joseph Jonas
CEO, Jonas Participações e Empreendimentos Inc. e Chefe do seu Chefe.


Espera nunca me deixar? Será que ele quer que eu me mude? Santo Deus... Eu mal conheço o homem. Eu pressiono delete.

De: Demetria Lovato
Assunto: Mandão
Para: Joseph Jonas
Caro Sr. Jonas você está me pedindo para morar com você? E claro, eu me
lembro a evidencia de sua épica capacidade de perseguição estão embargadas por
mais quatro semanas. Devo fazer um cheque para Coping Together e enviar ao seu
pai? Por favor, não apague este e-mail. Por favor, o responda.
Te amo, xxx
Demetria Lovato
Assistente de Jack Hyde, Coordenador Editorial, SIP



— Demi! — Jack me faz pular.

— Sim, — eu coro e Jack faz uma carranca para mim.

— Tudo bem?

— Claro. — Eu me atrapalho e levo meu notebook para seu escritório.

— Ótimo. Como você provavelmente se lembra, eu vou para Coordenação do Simpósio em Ficção, em Nova York na quinta-feira. Eu tenho bilhetes e reservas, mas eu gostaria que você viesse comigo.

— Para Nova York?

— Sim. Vamos precisar ir quarta-feira e passar a noite. Eu acho que você vai achar uma experiência muito educativa. — Seus olhos escurecem enquanto ele diz isso, mas seu sorriso é educado.

— Você faria os arranjos de viagem necessários? E reservar um quarto adicional no hotel onde estou hospedado? Acho que Sabrina, minha assistente anterior, deixou todos os detalhes úteis em algum lugar.

— Ok. — Eu sorrio languidamente para Jack.

Droga. Ando de volta à minha mesa. Isso não vai ficar bem com o Cinquenta. Mas o fato é que eu quero ir. Parece uma oportunidade real, e eu tenho certeza que posso manter Jack afastado, se esse é o seu motivo. De volta à minha mesa há uma resposta de Joseph.

De: Joseph Jonas
Assunto: Eu, Mandão?
Para: Demetria Lovato
Sim. Por favor.
Joseph Jonas,
CEO, Jonas Participações e Empreendimentos Inc.



              Caramba... ele quer que eu me mude. Oh, Joseph é muito cedo. Coloco minha cabeça em minhas mãos para tentar recuperar meu juízo. Isso é tudo que eu preciso depois do meu fim de semana extraordinário. Não tive um momento para eu mesma pensar e entender tudo o que experimentei e descobri estes dois últimos dias.



De: Demetria Lovato
Assunto: Absurdo
Para: Joseph Jonas
Joseph
O que aconteceu com o caminhar antes de correr?
Podemos falar sobre isso esta noite, por favor? Fui convidada para ir a uma
conferência em Nova York na quinta-feira. Isso significa um pernoite na quarta feira.
Somente achei que você deveria saber.
Dx
Demetria Lovato
Assistente de Jack Hyde, Coordenador Editorial, SIP


De: Joseph Jonas
Assunto: O QUE?
Para: Demetria Lovato
Sim. Vamos conversar a noite. Você vai por conta própria?
Joseph Jonas
CEO, Jonas Participações e Empreendimentos Inc.



De: Demetria Lovato
Assunto: Sem Letras Capitais Gritantes em Negrito Em Uma Manhã 
Para: Joseph Jonas
Podemos falar sobre isso hoje à noite?
Dx
Demetria Lovato
Assistente de Jack Hyde, Coordenador Editorial, SIP




De: Joseph Jonas
Assunto: Você Ainda Não Viu O Gritante.
Para: Demetria Lovato
Diga-me.
Se for com o odioso e desprezível com quem você trabalha, então a resposta
é não, nem sobre o meu cadáver.
Joseph Jonas
CEO, Jonas Participações e Empreendimentos Inc.


Meu coração afunda. Merda. É como se ele fosse meu pai.

De: Demetria Lovato
Assunto: Não VOCÊ não viu o gritante ainda.
Para: Joseph Jonas
Sim. É com Jack.
Eu quero ir. É uma excelente oportunidade para mim.
E eu nunca fui para Nova York.
Não deixe que suas calças se revirem.
Demetria Lovato
Assistente de Jack Hyde, Coordenador Editorial, SIP


De: Joseph Jonas
Assunto: Não VOCÊ não viu o gritante ainda.
Para: Demetria Lovato
Demetria
Não é com a porra das minhas calças que estou preocupado.
A resposta é NÃO.
Joseph Jonas
CEO, Jonas Participações e Empreendimentos Inc.



— Não! — Eu grito com meu computador, fazendo com que o escritório inteiro chegue a um impasse e olhe para mim. Jack olha para fora de seu escritório.

— Tudo bem, Demi?

— Sim. Desculpe, — Eu murmuro.
— Er eu... simplesmente não salvei um documento. — Estou escarlate de vergonha. Ele sorri para mim, mas com uma expressão perplexa. Respiro profundamente várias vezes e rapidamente digito uma resposta.

Estou tão brava.



De: Demetria Lovato
Assunto: Cinquenta Tons
Para: Joseph Jonas
Joseph
Você precisa se segurar.
Eu não vou dormir com Jack, nem por todo o chá da China.
Eu AMO você. Isso é o que acontece quando as pessoas se amam.
Elas CONFIAM umas nas outras.
Eu não acho que você vai DORMIR, ESPANCAR, FODER, ou AÇOITAR
ninguém mais. Eu tenho FÉ e CONFIANÇA em você.
Por favor, estenda a mesma CORTESIA para mim.
Demi
Demetria Lovato
Assistente de Jack Hyde, Coordenador Editorial, SIP


Eu me sento à espera de sua resposta. Nada chega. Eu ligo para companhia aérea e reservo uma passagem para mim mesma, garantindo que estou no mesmo voo que Jack. Ouço o som do novo e-mail.



De: Lincoln, Elena
Assunto: Data Almoço
Para: Demetria Lovato
Querida Demetria
Eu realmente gostaria de almoçar com você. Acho que começamos com o pé
errado, e eu gostaria de fazer isso direito. Você tem um tempo livre ainda esta
semana?
Elena Lincoln



Puta merda, não Sra. Robinson! Como diabos ela descobriu o meu endereço de e-mail? Coloco minha cabeça em minhas mãos. Esse dia pode ficar pior? Meu telefone toca e cansada levanto a minha cabeça em minhas mãos e atendo, olhando para o relógio. É apenas dez e vinte, e eu já desejo que eu não tivesse deixado a cama de Joseph.

— Escritório de Jack Hyde, Demi Lovato falando.

Um emaranhado de voz dolorosamente familiar para mim.

— Por favor, exclua o último e-mail que me enviou, e tente ser um pouco mais cautelosa na linguagem que você usa em seu e-mail de trabalho? Eu te disse, o sistema é monitorado. Vou tentar fazer alguma limitação de danos a partir daqui. — Ele desliga.


               Puta que pariu... Eu sento olhando para o telefone. Joseph desligou na minha cara. Aquele homem está pisoteando em toda a minha nova carreira, e desliga na minha cara? Eu olho para o receptor, e se não fosse completamente inanimado, eu sei que iria encolher de horror sob o meu olhar fulminante. Eu abro meus e-mails e excluo o que eu lhe enviei. Não é tão ruim assim. Acabei de mencionar espancamento e bem, chicotadas. Caramba, se ele está tão envergonhado disso, ele certo como o inferno não deveria fazê-lo. Eu pego meu Blackberry e o chamo pelo celular.


— O quê? — Ele vocifera.

— Eu estou indo para Nova York quer você queira ou não, — resmungo.

— Não conte...



              Desligo, interrompendo-o no meio da frase. A adrenalina está correndo pelo meu corpo. Aí, que eu lhe disse. Estou tão brava. Respiro fundo, tentando me recompor. Fechando os olhos, imagino que estou em meu lugar feliz. Hum... uma cabine de barco com Joseph. Eu agito a imagem para fora, estou muito brava com o Cinquenta para ele estar agora em qualquer lugar do meu lugar feliz. Abrindo os olhos, eu calmamente pego o meu notebook e cuidadosamente corro através da minha lista para fazer. Dou uma longa e profunda respiração, meu equilíbrio restaurado.


— Demi! — Jack grita, assustando-me.

— Não reserve o voo!

— Oh, muito tarde. Eu já fiz isso, — respondo enquanto ele sai de seu escritório para mim. Ele parece bravo.

— Olhe, há algo acontecendo. Por alguma razão, de repente, todas as despesas de viagem e hotel para o pessoal tem que ser aprovada pela direção. Isto veio direito do topo. Vou até o velho Roach para verificar. Aparentemente, uma moratória sobre todos os gastos acaba de ser implementada. Eu não entendo isso. Jack aperta a ponte de seu nariz e fecha os olhos.


A maioria do sangue escorre de meu rosto e alguns nós formam em meu estômago. Cinquenta!


— Pegue minhas ligações. Eu vou ver o que Roach tem a dizer. — Ele pisca para mim e caminha para ver o seu chefe. Não o chefe do chefe.


Droga. Joseph Jonas. . . Meu sangue começa a ferver novamente.


De: Demetria Lovato
Assunto: O que você fez?
Para: Joseph Jonas

Por favor, me diga que você não irá interferir com o meu trabalho.
Eu realmente quero ir a esta conferencia.
Eu não deveria ter que pedir a você.
Excluí o e-mail ofensivo.
Demetria Lovato
Assistente de Jack Hyde, Coordenador Editorial, SIP


De: Joseph Jonas
Assunto: O que você fez?
Para: Demetria Lovato
Estou apenas protegendo o que é meu.
O e-mail que você tão imprudentemente enviou está limpo a partir do
servidor SIP agora, assim como são os meus e-mails para você.
A propósito, eu confio em você cegamente. É nele que eu não confio.
Joseph Jonas
CEO, Jonas Participações e Empreendimentos Inc.


Eu verifico para ver se ainda tenho seus e-mails, e eles desapareceram. A influência desse homem não conhece limites. Como ele faz isso? Quem sabe ele pode furtivamente mergulhar nas profundezas dos servidores SIP e remover e-mails? Estou tão fora do meu alcance aqui.




De: Demetria Lovato
Assunto: Crescida
Para: Joseph Jonas
Joseph
Eu não preciso de proteção do meu próprio chefe.
Ele pode passar uma cantada em mim, mas eu vou dizer NÃO.
Você não pode interferir. É errado e controlador em tantos níveis.
Demetria Lovato
Assistente de Jack Hyde, Coordenador Editorial, SIP



De: Joseph Jonas
Assunto: A resposta é NÃO
Para: Demetria Lovato
Demi
Eu vi como, eficaz, você é lutando contra uma atenção indesejada. Lembro me
como eu tive o prazer de passar minha primeira noite com você. Pelo menos o
fotógrafo tem sentimentos por você. O odioso e desprezível, por outro lado, não o
tem. Ele é um conquistador em série, e ele vai tentar seduzi-la. Pergunte a ele o
que aconteceu com sua assistente anterior e a outra antes dela.
Eu não quero brigar por isso.
Se você quer ir para Nova York, eu vou levá-la. Nós podemos ir neste fim de
semana. Eu tenho um apartamento lá.
Joseph Jonas
CEO, Jonas Participações e Empreendimentos Inc.



Oh, Joseph! Esse não é o ponto. Ele é tão frustrante. E é claro que ele tem um apartamento lá. Onde mais será que ele tem propriedade? Eu confio em José. Será que eu vou reviver essa cena? Eu estava bêbada, pelo amor de Deus. Eu não vou me embriagar com Jack. Balanço a cabeça para a tela, mas acho que eu não posso continuar discutindo com ele por e-mail. Terei de esperar meu tempo, até esta noite. Checo o
relógio. Jack ainda não voltou de seu encontro com Jerry, e eu preciso lidar com Elena. Leio seu e-mail de novo e decido que a melhor maneira de lidar com isso é enviá-lo para Joseph. Deixe-o se concentrar nela em vez de mim.


De: Demetria Lovato
Assunto: FW data Almoço ou bagagem Irritante
Para: Joseph Jonas
Joseph
Enquanto você tem ficado ocupado interferindo na minha carreira e
salvando seu rabo de meus e-mails descuidados, recebi o seguinte e-mail da Sra.
Lincoln. Eu realmente não quero encontrar com ela, mesmo se fizesse, eu não
estou autorizada a deixar o edifício. Como ela entrou em contato com o meu
endereço de e-mail, eu não sei. O que você sugere que eu faça? Seu e-mail está
abaixo:
"Querida Demetria, Eu realmente gostaria de almoçar com você. Acho que
começamos com o pé errado, e eu gostaria de fazer isso direito. Você tem um
tempo livre ainda esta semana?"
Elena Lincoln

Demetria Lovato
Assistente de Jack Hyde, Coordenador Editorial, SIP


De: Joseph Jonas
Assunto: Bagagem Irritante
Data: 13 de junho de 2011 11:23
Para: Demetria Lovato
Não fique brava comigo. Eu tenho seus melhores interesses no coração.
Se qualquer coisa acontecesse com você, eu nunca iria me perdoar.
Vou lidar com a Sra. Lincoln.
Joseph Jonas,
CEO, Jonas Participações e Empreendimentos Inc.


De: Demetria Lovato
Assunto: Mais tarde
Data: 13 de junho de 2011: 11:32
Para: Joseph Jonas
Podemos por favor, discutir isso esta noite?
Estou tentando trabalhar, e sua interferência contínua é muito
perturbadora.
Demetria Lovato
Assistente de Jack Hyde, Coordenador Editorial, SIP



               Jack retorna após o meio-dia e me diz que Nova York está fora para mim e que ele ainda está indo e não há nada que ele possa fazer para mudar a política de gestão sênior. Ele avança para seu escritório, batendo a porta, obviamente, furioso. Por que ele está tão bravo? No fundo, eu sei que suas intenções não são honrosas, mas tenho certeza de que posso lidar com ele, me pergunto o que Joseph sabe sobre as assistentes anteriores de Jack. Eu deixo de lado esses pensamentos e continuo com algum trabalho, mas resolvo tentar fazer Joseph mudar de ideia, embora as perspectivas sejam desoladoras.

À uma hora, Jack põe a cabeça para fora da porta do escritório.

— Demi, por favor, você poderia ir buscar um almoço para mim?

— Claro. O que você gostaria?

— Pastrami com pão de centeio, cheio de mostarda. Vou te dar o dinheiro quando você voltar.

— Alguma coisa para beber?

— Coca-Cola, por favor. Obrigado, Demi. — Ele volta em seu escritório enquanto eu pego a minha bolsa.

               Droga. Prometi ao Joseph que não iria sair. Eu suspiro. Ele nunca vai saber, e eu vou ser rápida.
Claire da recepção me oferece seu guarda-chuva, uma vez que ainda está derramando chuva. Quando coloco a cabeça para fora das portas da frente, puxo a minha jaqueta em volta de mim e dou um olhar furtivo em ambas às direções a partir de debaixo do grande guarda-chuva de golfe. Nada parece errado. Não há nenhum sinal da menina Fantasma. Caminho rapidamente e desejo chegar imperceptivelmente, abaixo no bloco da lanchonete. No entanto, quanto mais perto chego da lanchonete, mais eu tenho um pressentimento assustador de que estou sendo vigiada, e eu não sei se é o meu sentimento elevado de paranoia ou uma realidade. Merda. Eu espero que não seja Leila com uma arma. É apenas sua imaginação, o meu subconsciente estala. Quem diabos iria querer atirar em você? Dentro de quinze minutos, estou de volta, a salvo, mas aliviada. Eu acho que a paranoia extrema de Joseph e sua vigilância super protetora estão
começando a me afetar.

Quando levo o almoço para Jack, ele olha acima do telefone.

— Demi, obrigado. Desde que você não vem comigo, vou precisar que você trabalhe até tarde. Precisamos ter esses resumos prontos. Espero que você não tenha planos. — Ele sorri para mim calorosamente, e eu coro.

— Não, tudo bem, — eu digo com um sorriso brilhante e um coração apertado.

              Isso não vai ficar bem. Joseph vai pirar, tenho certeza. Enquanto volto para minha mesa decido não lhe dizer imediatamente, caso contrário ele pode ter tempo para interferir de alguma forma. Eu sento e como o sanduíche de frango e salada que a Sra. Jones fez para mim. Esta uma delícia. Ela faz um belo sanduíche. Claro, se eu morar com Joseph, ela faria o almoço para mim todos os dias úteis. A ideia é inquietante. Eu nunca tive sonhos de riqueza obscena e todas as armadilhas, somente amor. Para encontrar alguém que me ame e não tente controlar cada movimento meu. O telefone toca.

— Escritório Jack Hyde.

— Você me garantiu que não sairia, — Joseph interrompe, sua voz fria e dura.

Meu coração afunda pela milionésima vez este dia. Merda. Como diabos ele sabe?

— Jack me mandou para fora para buscar o almoço. Eu não podia dizer não. Você está me observando? — Meu couro cabeludo se arrepia com a ideia. Não admira que eu me sentisse tão paranoica, alguém estava me observando. O pensamento me dá raiva.

— É por isso que eu não queria que você voltasse a trabalhar, — Joseph estala.

— Joseph, por favor. Você está sendo... — tão Cinquenta
—... tão sufocante.

— Sufocante? — Ele sussurra, surpreso.

— Sim. Você tem que parar com isso. Eu vou falar com você esta noite. Infelizmente, eu tenho que trabalhar até mais tarde porque eu não posso ir à Nova York.

—Demetria, eu não quero sufocar você, — ele diz em voz baixa, assustado.

— Bem, você está. Eu tenho trabalho a fazer. Eu vou falar com você depois. — Desligo, me sentindo drenada e vagamente deprimida.

               Após nosso fim de semana maravilhoso, percebi a realidade. Eu nunca mais havia querido correr. Correr para um refúgio tranquilo para poder pensar sobre esse homem, sobre como ele é e sobre como lidar com ele. Em um nível, eu sei que ele está quebrado. Eu posso ver claramente agora, que é tanto doloroso e desgastante. Desde os pequenos pedaços de informações preciosas que ele me deu sobre sua vida, eu entendo o porquê. Uma criança amada; um ambiente terrivelmente abusivo, uma mãe que não podia protegê-lo, que ele não poderia proteger, e que morreu na frente dele. Tremo. Meu pobre Cinquenta. Eu sou dele, mas não para ser guardada em alguma gaiola dourada. Como é que eu vou fazê-lo ver isso? Com o coração pesado, eu arrasto um dos manuscritos que Jack quer me resuma em meu colo e continuo a ler. Não posso pensar em nenhuma solução fácil para os problemas de Joseph com seu fodido controle. Eu só tenho que falar com ele depois, veremos cara a cara. Meia hora depois, Jack me envia um e-mail com um documento que eu preciso arrumar e deixar elegante, pronto para a impressão de amanhã em tempo para sua conferência. Isso tomará não apenas o resto da tarde, mas até a noite, também. Eu comecei a trabalhar.
Quando olho para cima, é depois das sete e o escritório está deserto, embora a luz no escritório de Jack ainda esteja ligada. Eu não tinha notado todos saindo, mas eu estou quase terminando. Eu envio por e-mail o documento de volta para Jack para sua aprovação e verifico minha caixa de entrada. Não há nada de novo de Joseph, então olho rapidamente para meu Blackberry, e isso me
assusta pelo zumbido, é Joseph.

— Oi, — murmuro.

— Oi, quando você vai terminar?

— Por sete e meia, eu acho.

— Te encontro lá fora.

— Ok.

Ele parece quieto, nervoso até. Por quê? Desconfiado da minha reação?

— Eu ainda estou brava com você, mas isso é tudo, — eu sussurro.
— Temos muito que falar.

— Eu sei. Vejo você às sete e meia.

Jack sai de seu escritório.

— Eu tenho que ir. Vejo-te mais tarde. — Eu desligo.

Olho para Jack enquanto ele caminha despreocupadamente em minha direção.

— Eu só preciso de um par de ajustes. Eu enviei o e-mail com o resumo de volta para você.

Ele inclina-se sobre mim enquanto recupero o documento, bastante perto, desconfortavelmente perto. Seu braço toca o meu. Acidentalmente? Eu recuo, mas ele finge não perceber. Seu outro braço repousa sobre as costas da minha cadeira, tocando minhas costas. Sento-me então não estou encostada no encosto.

— Páginas dezesseis e vinte e três, e deve ser isso, — ele murmura, sua boca a centímetros do meu ouvido.

Minha pele se arrasta com sua proximidade, mas eu escolho ignorá-la. Abrindo o documento, eu tremulamente começo as mudanças. Ele ainda está debruçado sobre mim, e todos os meus sentidos estão hiper conscientes. É perturbador e difícil, e por dentro eu estou gritando, Cai fora!

— Quando isso estiver feito, estará pronto para imprimir. Você pode organizar isso amanhã. Obrigado por ficar até mais tarde e fazer isso, Demi. — Sua voz está suave e gentil, como se ele estivesse falando com um animal ferido. Meu estômago torce.

— Eu acho que o mínimo que eu poderia fazer é recompensá-la com uma bebida rápida. Você merece uma. — Ele enfia uma mecha do meu cabelo que está se soltando do meu rabo de cavalo atrás da minha orelha e a acaricia suavemente.

Eu tremo rangendo os dentes e balanço a minha cabeça. Merda! Joseph estava certo. Não me toque!

— Na verdade, eu não posso esta noite. — Ou qualquer outra noite, Jack.

— Só uma bebida rápida? — Ele persuade.

— Não, eu não posso. Mas obrigada.

Jack senta-se no final da minha mesa e franze a testa. Um alarme soa alto na minha cabeça. Estou no meu próprio escritório. Eu não posso sair. Olho nervosamente para o relógio. Mais cinco minutos antes de Joseph estar pronto.

— Demi, eu acho que fazemos uma grande equipe. Lamento que eu não possa conseguir essa viagem para Nova York. Não será a mesma sem você.

Tenho certeza que não. Eu sorrio fracamente para ele, porque eu não consigo pensar no que dizer. E pela primeira vez durante todo o dia, sinto o menor indício de alívio que eu não vou.

— Então, você teve um bom fim de semana? — Ele pergunta sem problemas.

— Sim, obrigada. — Onde ele está indo com isso?

— Viu seu namorado?

— Sim.

— O que ele faz?

Possui o seu rabo...

— Ele está nos negócios.
— Isso é interessante. Que tipo de negócio?

— Ah, ele tem seus dedos em todos os tipos de coisas.

Jack empertiga a cabeça para um lado enquanto se inclina em minha direção, invadindo meu espaço pessoal, de novo.

— Você está sendo muito modesta, Demi.

— Bem, ele está em telecomunicações, manufatura e agricultura.

Jack levanta as sobrancelhas.

— Tantas coisas. Para quem ele trabalha?

— Ele trabalha para si mesmo. Se você está feliz com o documento, eu gostaria de ir, se estiver tudo bem?

Ele se inclina para trás. Meu espaço pessoal está seguro novamente.

— Claro. Desculpe, eu não tive a intenção de mantê-la, — ele diz sem ingenuidade.

— Que horas o prédio fecha?

— A segurança está aqui até as onze.

— Bom. — Eu sorrio, e meu subconsciente cai pesadamente em sua poltrona, aliviada ao saber que não estamos sozinhos no prédio. Desligo meu computador, pego minha bolsa e fico de pé, pronta para sair.

— Você gosta dele, então? Seu namorado?

— Eu o amo, — eu respondo, olhando Jack diretamente nos olhos.

— Eu vejo. — Jack franze a testa e se levanta da minha mesa.
— Qual é seu sobrenome?

Eu coro.

— Jonas. Joseph Jonas, — murmuro.

A boca de Jack cai aberta.

— O solteiro mais rico de Seattle? Aquele Joseph Jonas?

— Sim. O mesmo. — Sim, aquele Joseph Jonas, seu futuro chefe que terá você para o café da manhã se você invadir meu espaço pessoal novamente.

— Eu pensei que ele parecia familiar, — Jack diz sombriamente e a testa aumenta novamente.
— Bem, ele é um homem de sorte.

Eu pisco para ele. O que posso dizer sobre isso?

— Tenha uma boa noite, Demi. — Jack sorri, mas o sorriso não toca os olhos, e ele anda com dificuldade de volta para seu escritório sem olhar para trás.


               Deixo escapar um longo suspiro de alívio. Bem, esse problema pode ser resolvido. Cinquenta funciona sua magia novamente. Apenas seu nome é o meu talismã, e tem este homem recuando com o rabo entre as pernas. Permito-me um pequeno sorriso vitorioso. Você vê, Joseph? Mesmo o seu nome me protege. Você não tem que ir para todos os problemas de reprimir as despesas. Eu arrumo minha mesa e verifico meu relógio. Joseph deve estar lá fora. A Audi está estacionada contra a calçada e Taylor salta para abrir a porta do passageiro traseiro. Eu nunca estive tão feliz em vê-lo, e eu me atrapalho para
entrar no carro e sair da chuva. Joseph está no banco de trás, olhando para mim, os olhos arregalados e
cautelosos. Ele está preparando-se para a minha raiva, o maxilar apertado e tenso.

— Oi, — murmuro.

— Oi, — ele responde com cautela. Ele estende o braço e agarra a minha mão, apertando-a firmemente, e meu coração está derretendo um pouco. Eu estou tão confusa. Eu nem sequer planejei o que preciso dizer a ele.

— Você ainda está furiosa? — Ele pergunta.
— Eu não sei, — murmuro. Ele levanta a mão e roça levemente meus dedos com beijos suaves como borboletas.

— Tem sido um dia ruim, — Ele diz.

— Sim, foi. — Mas pela primeira vez desde que ele saiu para trabalhar esta manhã, eu começo a relaxar.

Só de estar em sua companhia é um bálsamo reconfortante, e toda a merda de Jack, e os e-mails irritados para lá e para cá, e o incômodo que é Elena desaparece no fundo. Sou só eu e meu excesso de controle
na parte de trás do carro.

— Está melhor agora que você está aqui, — ele murmura.

               Nós sentamos em silêncio, enquanto Taylor tece com o tráfego à noite, nós dois aninhados e
contemplativos, mas sinto Joseph lentamente descontrair ao meu lado como ele, também, relaxa, gentilmente correndo seu polegar em meus dedos em um ritmo suave e calmante. Taylor nos deixa do lado de fora do prédio, e nós dois entramos nos esquivando da chuva. Joseph aperta minha mão e nós esperamos o elevador, seus olhos escaneando a frente do edifício.

— Acho que você não encontrou Leila ainda.

— Não. Welch ainda está procurando por ela, — ele resmunga desanimado.

              O elevador chega e nós entramos. Joseph olha para mim, seus olhos cinzentos ilegíveis. Ah, ele parece glorioso, cabelo desgrenhado, camisa branca, terno escuro. E de repente ele está lá, do nada, esse sentimento. Oh meu Deus. O desejo, a luxúria, a eletricidade. Se fosse visível, seria uma aura azul intensa ao
redor e entre nós é tão forte. Seus lábios separam-se enquanto ele olha para mim.

— Você sente isso? — Ele toma fôlego.
— Sim.

— Oh, Demi. — Ele geme e me agarra, serpenteando os braços em volta de mim, uma mão na minha nuca, inclinando a cabeça para trás enquanto seus lábios encontram o meu. Meus dedos estão em seu cabelo e acariciando seu rosto enquanto ele me empurra contra a parede do elevador.

— Eu odeio discutir com você, — ele respira contra minha boca, e há uma natureza, desesperada de paixão em seu beijo, que espelha o meu. Desejo explode em meu corpo, toda a tensão do dia procurando uma saída, apertando contra ele, pedindo mais. Somos línguas e respiração, mãos e toque, sensação doce, doce. Sua mão está sobre meu quadril, e de repente ele está puxando a minha saia, seus dedos acariciando minhas coxas.

— Doce Jesus, você está vestindo meias. — Ele geme em reverência apreciativa quando seu polegar acaricia a carne acima da linha da meia.

— Eu quero ver isso, — ele respira, e ele puxa minha saia bem para cima, expondo o alto das minhas coxas.


               Andando para trás, ele se estica para pressionar o botão de parada, e o elevador para sem problemas a um impasse entre os andares vigésimo segundo e vigésimo terceiro. Seus olhos estão escuros, lábios entreabertos, ele está respirando tão duro quanto eu. Nós olhamos um para o outro, sem se tocar.
Agradeço a parede contra as minhas costas, me segurando enquanto eu aqueço apreciando este homem lindo, sensual e carnal.


— Solte o seu cabelo, — ele ordena, sua voz rouca. Eu levanto os braços e o desamarro, liberando meu cabelo para que ele caia em uma nuvem espessa sobre os meus ombros para os meus seios.

— Solte os dois botões de cima da sua camisa, — ele sussurra, os olhos selvagens agora.


               Ele me faz sentir tão devassa. Minha deusa interior está se contorcendo em sua espreguiçadeira, esperando, querendo e ofegante. Eu alcanço e desfaço cada botão, dolorosamente, lentamente, de modo que os topos dos meus seios estão tentadoramente revelados.


Ele engole.


— Você tem alguma ideia de como você parece sedutora agora?


               Muito deliberadamente, eu mordo meu lábio e balanço a cabeça. Ele fecha os olhos brevemente, e quando ele abre novamente, eles estão em chamas. Ele avança e coloca as mãos sobre as paredes do elevador em cada lado do meu rosto. Ele está tão perto quanto ele pode estar sem me tocar. Eu inclino meu rosto até encontrar o olhar dele, e ele se inclina para baixo e corre o nariz contra o meu então esse é o único contato entre nós. Eu estou tão quente nos limites deste elevador com ele. Eu o quero, agora.

— Eu acho que sim, Srta. Lovato. Eu acho que você gosta de me deixar selvagem.

— Eu te deixo selvagem? — Eu sussurro.

— Em todas as coisas, Demetria. Você é uma mulher tentadora, uma deusa. — E ele chega até mim, segurando minha perna acima do meu joelho e puxando-a em torno de sua cintura, de modo que eu estou em pé sobre uma perna, apoiando-me nele. Eu o sinto contra mim, o sinto duro e querendo acima do topo das minhas coxas, ele corre os seus lábios na minha garganta. Eu solto um gemido e enrolo meus braços em volta do seu pescoço.


— Eu vou tomar você agora, Demetria, — ele respira e eu arqueio as costas, em resposta, pressionando-me contra ele, ansiosa pelo atrito. Ele geme profundo e baixo na parte de trás de sua garganta e impulsiona-me mais enquanto desfaz a braguilha.


— Segure firme, querida, — ele murmura, e magicamente produz um pacote de camisinha que ele segura na frente da minha boca. Eu o coloco entre os dentes, e ele puxa com força, de modo que entre nós, o rasgamos para abri-lo.


— Boa menina. — Ele dá um passo para trás uma fração quando ele desliza sobre o preservativo.
— Deus, eu não posso esperar para os próximos seis dias, — ele rosna e olha para baixo para mim através de olhos semicerrados.
— Eu espero que você não se importe com essa calcinha. — Ele a rasga com dedos hábeis, e se desintegram em suas mãos. Meu sangue está batendo nas minhas veias. Eu estou ofegante com a necessidade.


                   Suas palavras são inebriantes, toda a angústia do meu dia esquecida. É somente ele e eu, fazendo o que fazemos melhor. Sem tirar os olhos dos meus, ele afunda lentamente em mim. Arqueio meu corpo e inclino a cabeça para trás, fecho os olhos, saboreando a sensação dele dentro de mim. Ele puxa de volta e, em seguida, move-se para mim de novo, tão lento, tão doce. Eu solto um gemido.


— Você é minha, Demetria, — ele murmura contra a minha garganta.

— Sim. Sua. Quando você vai aceitar isso? — Eu arquejo. Ele geme e começa a se mover, realmente se mover. E eu me entrego ao seu ritmo implacável, saboreando cada empurrar e puxar, sua respiração irregular, sua necessidade por mim, que reflete a minha.


Faz-me sentir poderosa, forte, desejada e amada. Amada por este homem cativante, complicado, a quem eu amo de volta com todo o meu coração. Ele empurra cada vez mais duro, a sua respiração irregular, perdendo-se em mim como eu me perco nele.


— Oh, bebê, — Joseph geme, seus dentes mordendo meu queixo, e eu gozo forte ao redor dele. Ele tranquiliza, me agarra, e segue terno, sussurrando meu nome.




Agora que Joseph está exausto, calmo e beijando-me suavemente, sua respiração normaliza. Ele me mantém de pé contra a parede do elevador, nossas testas pressionadas juntas, meu corpo está como geleia, fraco, mas gratificante saciado do meu clímax.


— Oh, Demi, — ele murmura.
— Eu preciso tanto de você. — Ele beija minha testa.

— E eu de você, Joseph.


Liberando-me, ele endireita minha saia e abotoa os dois botões da minha camisa, depois digita a combinação no teclado que reinicia o elevador. Ele sobe com uma sacudida de modo que eu chego e aperto seus braços.


— Taylor vai estar se perguntando onde estamos, — ele sorri lascivamente para mim.


Oh droga. Eu arrasto os dedos pelo meu cabelo em uma vã tentativa de combater a aparência de acabei de transar, então desisto e o amarro em um rabo de cavalo.


— Você está bem. — Joseph sorri enquanto fecha a braguilha e coloca o preservativo no bolso da calça.


Mais uma vez ele parece a personificação de um empresário americano, e desde que seu cabelo parece apenas fodido na maioria das vezes, há muito pouca diferença. Só que agora ele está sorrindo, relaxado, seus olhos enrugando com charme de menino. Todos os homens são assim facilmente aplacados?

Taylor está esperando quando as portas se abrem.

— Problema com o elevador, — Joseph murmura enquanto saímos, eu não posso encarar nenhum deles.

Eu me apresso para as portas duplas para o quarto de Joseph em busca de uma calcinha limpa. Quando eu volto, Joseph retirou o casaco e está sentado no bar conversando com a Sra. Jones. Ela sorri gentilmente para mim enquanto põe dois pratos de comida quente para nós. Mmm, cheira delicioso – coq au vin( frango ao vinho), se não me engano. Estou faminta.

— Aproveite, Sr. Jonas, Demi, — ela diz e nos deixa.


              Joseph busca uma garrafa de vinho branco na geladeira e, enquanto sentamos e comemos, ele me diz sobre o quanto mais próximo ele está se aperfeiçoando para um telefone móvel movido a energia solar. Ele está animado e empolgado com o projeto como um todo, e eu sei, então, que ele não teve um dia
totalmente de merda. Pergunto-lhe sobre suas propriedades. Ele sorri, e acontece que ele só tem o apartamento em Nova York e Aspen, e Escala. Nada mais. Quando terminamos, eu pego seu prato e o meu e os levo até a pia.


— Deixe isso. Gail vai lavá-los, — ele diz. Viro-me e olho para ele, e ele está me observando atentamente. Será que eu vou me acostumar a ter alguém para limpar minhas coisas?


— Bem, agora que você está mais dócil, Srta. Lovato, vamos falar sobre hoje?


— Eu acho que você é o único que está mais dócil. Eu acho que estou fazendo um bom trabalho em domá-lo.


— Domar a mim? — Ele bufa, divertido. Quando eu aceno, ele franze a testa como se reflete em minhas palavras.

— Sim. Talvez você esteja, Demetria.


— Você estava certo sobre Jack, — Eu sopro, séria agora, e eu inclino-me do outro lado da mesa da cozinha medindo sua reação. O rosto de Joseph cai e seus olhos endurecem.

— Ele já tentou alguma coisa? — Ele sussurra sua voz mortalmente fria.

Sacudo a cabeça para tranquilizá-lo.

— Não, e ele não vai, Joseph. Eu disse a ele hoje que eu sou sua namorada, e ele retrocedeu em seguida.


— Você tem certeza? Eu poderia demitir o filho da puta. — Joseph franze a testa.

Eu suspiro, encorajada pelo meu copo de vinho.

— Você realmente tem que me deixar lutar minhas próprias batalhas. Você não pode constantemente adivinhar e tentar me proteger. É sufocante, Joseph. Eu nunca vou florescer com sua interferência incessante. Eu preciso de alguma liberdade. Eu não sonharia em me intrometer em seus assuntos.


Ele pisca para mim.

— Eu só quero que você fique segura, Demetria. Se alguma coisa acontecer com você, Eu... — Ele para.


— Eu sei, e eu entendo porque você se sente tão impulsionado a me proteger. E parte de mim ama. Eu sei que se eu preciso de você, você vai estar lá, como eu estou para você. Mas, se quisermos ter alguma esperança de um futuro juntos, você tem que confiar em mim e confiar no meu julgamento. Sim, eu vou
errar algumas vezes. Vou cometer erros, mas eu tenho que aprender. 

Ele olha para mim, sua expressão ansiosa, estimulando-me a caminhar em sua direção então estou de pé entre suas pernas, enquanto ele se senta no banco do bar. Agarrando as mãos, eu as coloco ao meu redor e coloco minhas mãos em seus braços.


— Você não pode interferir no meu trabalho. É errado. Eu não preciso de você liderando como um cavaleiro branco para salvar o dia. Eu sei que você quer controlar tudo, e eu entendo o porquê, mas você não pode. É uma meta impossível... você tem que aprender a deixar ir. — Eu me estico e acaricio seu rosto, quando ele olha para mim, os olhos arregalados.

— E se você pode fazer isso, me dar isso, vou morar com você, — eu adicionar suavemente.


Ele inala bruscamente, surpreendido.

— Você faria isso? — Ele sussurra.

— Sim.

— Mas você não me conhece. — Ele franze a testa e soa chocado e em pânico tudo de repente, muito não Cinquenta.

— Eu o conheço bem o suficiente, Joseph. Nada que você me disser sobre você irá me assustar. — Eu corro gentilmente meus dedos em sua bochecha. Sua expressão muda de ansioso para duvidoso.

— Mas se você pudesse facilitar as coisas para mim, — eu imploro.


— Eu estou tentando, Demetria. Eu não poderia ficar de braços cruzados e deixar você ir para Nova York com aquele... idiota. Ele tem uma reputação alarmante. Nenhuma de suas assistentes durou mais de três meses, e elas nunca são retidas pela empresa. Eu não quero isso para você, bebê. — Ele suspira.

— Eu não quero que nada aconteça com você. Você sendo ferida... o pensamento me enche de pavor. Eu não posso prometer que não vou interferir, não se eu achar que você vai se prejudicar. — Ele faz uma pausa e respira fundo.
— Eu te amo, Demetria. Eu farei tudo ao meu alcance para protegê-la. Eu não posso imaginar minha vida sem você.


Caraca! Minha deusa interior, meu subconsciente, e eu, nos três ficamos pasmo e em estado de choque.
Caramba, três pequenas palavras. Meu mundo para, inclina-se, então, gira em torno de um novo eixo, e eu saboreio o momento, olhando em seus sinceros, lindos olhos cinzentos.


— Eu também te amo, Joseph. — Eu me inclino e o beijo, e o beijo se aprofunda.


Entrando invisível, Taylor pigarreia. Joseph se afasta, olhando fixamente para mim. Ele levanta o braço em volta da minha cintura.


— Sim? — Ele estala para Taylor.

— Sra. Lincoln está subindo, senhor.

— O quê?

Taylor dá de ombros se desculpando. Joseph suspira pesadamente e balança a cabeça.


— Bem, isso deve ser interessante, — ele resmunga e me dá um sorriso torto de resignação.


Porra! Por que essa maldita mulher não pode nos deixar em paz?




comentem.... Obrigada pra quem divulgou, quem quiser, só pedir aqui nos comentários...
HOT DUPLO!!!! VOCÊS MERECEM... AH! QUEM APOSTOU QUE DEMI GANHAVA PERDEU, LEMBRAM? "Precisamos andar, antes de correr"  Olha quem apareceu, Sra. Lincoln, Robison, ou Elena... tanto faz. O que será que ela quer? Comentem bastante

EU AMEI MADE IN THE USA E VOCÊS? DEMI PQP MARAVILHOSA

AH! DIVULGUEM BASTANTE MADE IN THE USA, TODOS SABEMOS QUE A GRAVADORA DA DEMI É UMA MERDA NESSA PARTE...


pergunta... vocês gostam dos capítulos desse tamanho ou querem menor? Respondam por favor bjs

18 comentários:

  1. AMEI! hahahah
    Achei que a Demi ia ganhar :(
    Posta sempre desse tamanho
    Posta logo
    Beijos
    Lorena xoxo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Não foi dessa vez que Demi ganhou...
      Vou postar desse tamanho então.
      Obrigada por comentar bjs

      Excluir
  2. Lindo, fofo, perfeito... slá ta mto.. não sei como descrever a perfeição

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada, obrigada, obrigada! Fico muito feliz em saber que gosta

      Excluir
  3. Sabia q o Joseph ia ganhar, ele nao ia deixar uma chance dessa escapar. Eu amo os seus capitulos grande assim, continua desse jeito, por favor rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha acertou!!! Joseph tem um ego enorme. Vou postar sempre assim então, bjs!

      Excluir
  4. Socorro, confesso que queria eles outra vez no quarto vermelho da dor, porém esse capitulo foi... QUENTE

    Essa Elena merece um tabefe né? Socorro que mulher chata.
    Só acho que ela vai ficar com a cara no chão quando ver a Demi ali com o Joseph.

    FICOU PERFEITO SEUS CAPÍTULOS AAAA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eles estão se conhecendo de novo, joe precisa conhecer o mundo da demi pra ela poder entrar no mundo dele sem se assustar....
      Elena é fod* não dá paz pra eles...
      ela fica sim, chocada..

      Excluir
  5. Posta por favooooooor!!! Faz uma maratona :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. maratona não da :(
      compenso vcs com capitulos grandes

      Excluir
  6. Estou divulgando um blog de criticas de fanfics.
    Foi criado um blog de criticas de fanfics. Faz também betagem de capítulos e dá ideias para novas fanfics.
    Se quiser participar o link é este:
    http://criticasdefanfics.blogspot.pt/

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro, dou uma olhadinha... muito obrigada!

      Excluir
  7. QUE CAP PFTO <3
    VC E MTO TALENTOSA!
    O capitulo grande assim ta perfeito, e eu amei o hot!
    E eu esqueci de comentar sobre a demi gravida... imaginem só... imagina a reacao do joseph?!
    posta logo e bjao.
    Nanda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagina um filho da Demi com o cinquenta? MEU DEUS JOE IA PIRAR, ou não né....
      postei já :)

      Excluir
  8. eu pensei que a demi ganhava, mas eu errei, vc podia posta sempre desse tamanho,amei o capitulo posta logo ta peeeeerfeito <3 bjsss<3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. todos os capítulos serão desse tamanho, só tirei a palavra "big" pq sei lá hahahau
      Obrigada por comentar, bjs!

      Excluir