domingo, 21 de julho de 2013

Cap.15- 2ª temporada hot

— Hey, — Joseph diz suavemente enquanto puxa-me para seus braços,
—por favor, não chore, Demi, por favor. — implora.

Ele está no chão do banheiro, e eu estou em seu colo. Coloquei meus braços ao redor dele e chorei em seu pescoço. Arrulhando suavemente no meu cabelo, ele gentilmente acariciava minhas costas, minha cabeça.

— Desculpe, bebê, — ele sussurra e isso me faz chorar mais e abraçá-lo apertado.

                Sentamos assim para sempre. Eventualmente, enquanto eu choro Joseph, cambaleando, pegou-me no colo e me carregou para o seu quarto e me colocou na cama. Momentos depois, ele já estava, depois de apagar as luzes. Ele me puxou para seus braços, me abraçou com força e eu finalmente cai num sono
escuro e conturbado. Eu acordei com um solavanco. Minha cabeça estava confusa e eu estou com muito calor. Joseph está enrolado em torno de mim como uma videira. Ele resmunga em seu sono e eu tento escapar de seus braços, mas ele não acorda. Sento-me olhando para o despertador. São três da manhã. Eu preciso de um Advil e uma bebida. Eu balanço minhas pernas para fora da cama e faço o meu caminho para a cozinha na grande sala. Na geladeira, acho que uma caixa de suco de laranja e sirvo-me de um copo. Hmm... é delicioso, e minha cabeça confusa alivia imediatamente. Eu vou até os armários à procura de alguns analgésicos e, eventualmente, me deparo com uma caixa de plástico cheia deles. Eu pego dois Advil e me sirvo de outro copo de suco de laranja. Parando junto à parede grande de vidro, eu olho uma Seattle que está dormindo. O brilho e luzes piscam abaixo do castelo de Joseph no céu, ou devo dizer fortaleza? Eu aperto minha testa contra a janela fria e é um alívio. Eu tenho tanta coisa para pensar depois de todas as revelações de ontem. Eu coloco minhas costas contra o vidro e deslizo para o chão. A sala é grande cavernosa no escuro, a única luz vinda dos três lâmpadas acima da ilha de cozinha.

                Eu poderia viver aqui, casada com Joseph? Depois de tudo que ele fez aqui? Toda a história que este lugar tem para ele Casamento. É quase inacreditável e totalmente inesperado. Mas, tudo sobre Joseph é inesperado. Meus lábios se apertam com ironia. Joseph Jonas, espere o inesperado, Cinquenta Tons de uma mente fodida. Meu sorriso desaparece. Eu pareço com a mãe dele. Isso me fere, profundamente, o ar deixa meus pulmões rapidamente. Nós todas parecemos com a mãe. Com que diabos eu posso lidar com esses pensamento em segredo? Não admira que ele não quisesse me dizer. Mas certamente ele não se lembra muito da mãe. Eu me pergunto mais uma vez, se eu deveria falar com o Dr. Flynn. Será que Joseph iria deixar? Talvez ele pudesse preencher as lacunas. Sacudo a cabeça. Sinto-me imensamente cansada, mas estou gostando da calma serenidade da sala grande e suas belas obras de arte-fria e austera, mas em sua própria maneira, ainda bonita nas sombras e, que certamente, valem uma fortuna. Eu poderia viver aqui? Para o melhor ou para o pior? Na doença e na saúde? Eu fecho meus olhos, inclino a cabeça para trás contra o vidro, e tomando fôlego, tento limpar minha cabeça. A tranquilidade pacífica é abalada por um grito visceral que faz cada fio de cabelo no meu corpo se arrepiar. Joseph! Puta merda, o que aconteceu? Eu estou de pé, correndo de volta para o quarto antes que os ecos desse som horrível terem sumido, meu coração batendo de medo. Eu acendo as luzes, incluindo a da cabeceira e Joseph acorda. Ele está
tossindo e se revirando, se contorcendo em agonia. Não! Ele grita de novo, um som visceral, lançando seu medo através de mim, novamente. Merda, um pesadelo!

— Joseph, — eu inclino-me sobre ele, agarro seus ombros e o sacudo para acordá-lo. Ele abre os olhos e eles são selvagens e vagos, olhando rapidamente em volta da sala vazia antes de voltar a descansá-los em mim.

— Você me deixou, você me deixou, você deve ter ido, — ele murmura — seus olhos arregalados tornando-se acusadores e ele parecia tão perdido, que fere meu coração. Meu pobre Cinquenta.

— Eu estou aqui. — Sento-me na cama ao lado dele.
—Estou aqui, — murmuro suavemente em um esforço para tranquilizá-lo. Eu estendo minha mão para colocar ao lado de seu rosto, tentando acalmá-lo.

— Você foi embora, — ele sussurra rapidamente. Seus olhos estão ainda selvagens e assustados, mas ele parecia estar calmo.

— Eu fui pegar uma bebida. Eu estava com sede.

Ele fecha os olhos e esfrega o rosto. Quando ele os abre novamente, ele parece tão desolado.

— Você está aqui. Oh, graças a Deus. — Ele chega perto de mim e me agarrando com força, ele me puxa para baixo, na cama, ao lado dele.

— Eu só fui pegar uma bebida,— murmuro.

               Oh, a intensidade do seu medo... Eu posso senti-lo. Sua camiseta está encharcado de suor, e seu batimento cardíaco está rápido enquanto ele me abraça apertado. Ele está olhando para mim como se para se tranquilizar de que eu estou realmente aqui. Eu suavemente aliso seu cabelo e depois sua bochecha.

— Joseph, por favor. Eu estou aqui. Eu não vou a lugar nenhum, — eu digo suavemente.

— Oh, Demi, — ele respira. Ele agarra meu queixo para me segurar no lugar e depois sua boca está sobre a minha. O desejo o assoma e espontaneamente meu corpo responde. Tão unido em sintonia com o dele. Seus lábios estão no meu ouvido, minha garganta, depois de volta para minha boca, os dentes suavemente
puxando meu lábio inferior, sua mão viaja do meu quadril para o meu peito, arrastando minha camiseta para cima. Acaricia-me eu sinto seu toque em cada lugar da minha pele, ele provoca a mesma reação familiar, seu toque enviando calafrio por meu corpo. Eu gemo quando suas mãos alcançam meus seios e ele aperta meus mamilos.

— Quero você, — ele murmura.

— Estou aqui para você. Só para você, Joseph.

               Ele geme e me beija mais uma vez, apaixonadamente, com um fervor e um desespero que eu nunca senti antes nele. Agarrando a bainha de sua camiseta, eu a puxo e ele me ajuda a tirá-la, passando-a por sua cabeça. Ajoelhando-se entre minhas pernas, ele se apressa em me parar e termina de tirar a minha camiseta. Seus olhos estão sérios, me querendo e tão cheios dos seus segredos sombrios, finalmente expostos. Ele cruza as mãos em volta do meu rosto e me beija e eu afundo na cama mais uma vez, sua coxa entre as minhas, deitando-se parcialmente em cima de mim. Sua ereção rígida contra meu quadril através de
suas cuecas boxer. Ele me quer, mas o que ele me disse mais cedo, volta subitamente para me assombrar: o que ele disse sobre sua mãe. E é como um balde de água fria na minha libido. Porra. Eu não posso fazer isso. Agora não.

— Joseph... Para. Eu não posso fazer isso, — eu sussurro de forma urgente contra sua boca, minhas mãos empurrando seus braços.

— O quê? O que há de errado? — Ele murmura e começa a beijar meu pescoço, correndo a ponta da língua levemente na minha garganta. Oh...

— Não, por favor. Eu não posso fazer isso, não agora. Preciso de algum tempo, por favor.

— Oh, Demi, não pense demais nisso, — ele sussurra enquanto ele morde minha orelha.

— Ah! — Eu suspiro, sentindo isso na minha virilha e meu corpo se curva, me traindo. Isto é tão confuso.

— Eu sou o mesmo, Demi. Eu te amo e eu preciso de você. Toque-me. Por favor. — Ele esfrega o nariz contra o meu e seu apelo silencioso faz meu coração bater mais rápido e emocionado.

               Tocá-lo. Tocá-lo enquanto fazemos amor. Oh meu Deus! Ele se ergue em cima de mim, olhando para baixo e a meia-luz da cabeceira vai se esmaecendo, eu posso dizer que ele está esperando, esperando por minha decisão e ele está preso em meu feitiço. Eu coloco delicadamente minha mão nos pelos de seu peito. Ele suspira e aperta os olhos, fechado-os como se estivesse com dor, mas eu não tiro minha mão. Eu a movo até seus ombros, sentindo o tremor que o atravessa. Ele geme e eu o puxo e minha direção, colocando minhas mãos em suas costas, onde nunca tinha colocado antes, em seus ombros, segurando-o contra mim. Seu gemido estrangulado me excita ainda mais. Ele enterra a cabeça no meu pescoço, beijando e chupando e me mordendo, antes arrastando seu nariz até o queixo e me beijando, sua língua possuindo
minha boca, as mãos movendo-se sobre meu corpo mais uma vez. Seus lábios se movem para baixo... para baixo... até os meus seios os adorando, e minhas mãos permanecem em seus ombros e em suas costas, aproveitando da flexibilidade e curvatura de seus músculos firmemente trabalhados, sua pele ainda úmida de seu pesadelo. Seus lábios se fecham em meu mamilo, os puxando... puxando de modo que se elevam para saudar sua gloriosa e talentosa boca. Eu gemo e passo minhas unhas em suas costas. E ele suspira, um gemido abafado.

— Oh! Meu Deus, Demi — ele engasga, meio gritando, meio gemendo. Isso aperta meu coração, mas também aperta todos os músculos abaixo da minha cintura. Oh, o que eu não faço por ele! Minha deusa interior se contorce com desejo e eu estou ofegante agora, igualando sua respiração torturada com a minha.
Sua mão viaja para o sul, sobre a minha barriga, até meu sexo e colocando dedos em mim, depois dentro de mim. Eu gemo enquanto ele move seus dedos dentro de mim e eu empurro minha pélvis para acolher o seu toque.

— Demi — ele suspira. De repente, ele me liberta e se senta, removendo suas cuecas boxer e se inclinando para a mesa de cabeceira para pegar um pacote de camisinhas. Seus olhos são de um cinza ardente enquanto ele me passa o preservativo.

— Você quer fazer isso? Você ainda pode dizer não. Você sempre pode dizer não — ele murmura.

— Não me dê a chance de pensar Joseph. Eu quero você, também. — Eu rasgo o pacote com os meus dentes, ele se ajoelha entre minhas pernas e com os dedos trêmulos eu deslizo o preservativo para ele.

— Calma — ele diz.
— Você vai me matar, Demi .

                Fico maravilhada com o que posso fazer a este homem, simplesmente com o meu toque. Ele se estende por cima de mim, e agora minhas dúvidas são empurradas para baixo e trancadas no escuro, o terror no fundo da minha mente. Estou intoxicada com este homem, meu homem, meu Cinquenta. Ele me vira, colocando-me por cima. Uau!

— Você me toma — ele murmura, seus olhos brilhando com uma intensidade feroz.

               Oh meu Deus! Lentamente, oh tão lentamente, eu o coloco dentro de mim. Ele inclina a cabeça para trás e fecha os olhos enquanto geme. Pego suas mãos e começo a me mover desfrutando da plenitude da minha posse, deleitando-me com sua reação, observando-o se desvendar embaixo de mim. Eu me sinto como uma deusa. Eu me inclino para baixo e beijo seu queixo, correndo meus dentes por sua mandíbula com sua barba mal feita. Ele tem um gosto delicioso. Ele aperta meus quadris e estabiliza o meu ritmo, lento e fácil.

— Demi, me toque... por favor.

Oh. Eu me inclino para a frente e me equilibro com as mãos no seu peito. E ele grita, seu grito quase um soluço e ele se empurra ainda mais dentro de mim.

— Ahh, — Eu choramingo e passo minhas unhas suavemente sobre seu peito, por seus pelos e ele geme alto e me vira abruptamente, me colocando mais uma vez embaixo dele.

— Basta. — Ele geme.
— Não mais, por favor. — E é um apelo sincero.

               Alcançado seu rosto, eu o envolvo com minhas mãos, sentindo a umidade em suas bochechas e o puxe em direção aos meus lábios para que eu possa beijá-lo. Eu enrolo as minhas mãos em torno de sua cabeça. Ele geme profundamente e baixo em sua garganta enquanto ele se move dentro de mim, me empurrando para frente e para cima, mas não consigo encontrar minha libertação. Minha cabeça está muito nublada, nublada com problemas. Estou muito envolvida neles.

— Vamos lá, Demi, — ele convida-me.

— Não.

— Sim, — ele rosna. Ele se move ligeiramente e gira seus quadris, de novo e de novo.

Deus... argh!

— Vamos lá, bebê, eu preciso disso. Goza para mim.

               E eu explodo, meu corpo um escravo do seu, e me enrolo ao seu redor, agarrando-me a ele como uma videira enquanto ele grita meu nome, chegando ao clímax comigo. Então ele desmorona e seu peso me pressiona no colchão. Eu envolvo Joseph em meus braços, apoiando sua cabeça em meu peito, enquanto esperamos o dispersar do nosso amor. Corro os dedos por seus cabelos, enquanto ouço nossas respirações voltarem ao normal.

— Nunca me abandone — ele sussurra, e eu desvio o olhar sabendo que ele não pode me ver.
— Eu sei que você está desviando o olhar de mim, — ele murmura e ouço um traço de humor em sua voz.

— Você me conhece bem — murmuro.

— Eu gostaria de conhecê-la melhor.

— De volta a você, Jonas. Sobre o que era o seu pesadelo?

— O de sempre.

— Diga-me.

Ele respira, tomando fôlego e coragem.

— Eu devo ter de cerca de três anos e o cafetão da prostituta drogada está louco e promovendo um inferno. Ele fuma e fuma, um cigarro atrás do outro e ele não consegue encontrar um cinzeiro. — Ele para e eu congelo com um frio insidioso invadindo meu coração.

— Doeu — ele diz,
É a dor que me lembro. Isso é o que me dá pesadelos. Isso e o fato de que ela não fez nada para detê-lo.

                Ah, não. Isso é insuportável. Eu o aperto forte, as minhas pernas e braços o segurando contra mim, e eu tento não deixar que meu desespero me sufoque. Como poderia alguém tratar uma criança assim? Ele levanta a cabeça e os me fita intensamente com seus olhos cinza.

— Você não gosta dela. Não pense nunca sobre isso. Por favor...

Eu pisco para ele. É reconfortante ouvir isso. Ele coloca a cabeça no meu peito de novo, e quando eu acho que acabou, ele me surpreende por continuar.

— Às vezes, nos sonhos, ela está apenas deitada no chão. E acho que ela está dormindo. Mas ela não se move. Ela nunca se move. E eu estou com fome. Realmente com fome.

Oh! foda.

— Há um ruído alto e ele está de volta e ele me bate com tanta força, maldizendo a prostituta drogada. Sua primeira reação foi sempre de usar seus punhos ou o seu cinto.

— É por isso que você não gosta de ser  tocado?

Ele fecha os olhos e me abraça mais  apertado.

— É complicado, — ele murmura. 

Ele coloca seu nariz entre os meus seios, inalando profundamente, tentando me distrair.

— Diga-me, — eu peço.

Ele suspira.

— Ela não me amava. Eu não me amava. O único toque que eu conhecia era... duro. Ele surgiu a partir daí. Flynn explica isso melhor do que eu posso.

— Posso ver Flynn?

Ele levanta a cabeça para olhar para mim.

— Meus Cinquenta Tons incomodam você?

— Alguns, mas eu gosto quando eles se mostram, como agora. — Eu me remexo provocantemente debaixo dele e ele sorri.

— Sim, Srta. Lovato, eu gosto disso também. — Ele se inclina para cima e me beija. Ele olha para mim por um momento.

— Você é tão preciosa para mim, Demi. Eu estava falando sério sobre me casar com você. Podemos nos conhecer melhor depois disso. Eu posso cuidar de você. Você pode cuidar de mim. Podemos ter filhos, se quiser. Eu vou colocar o meu mundo a seus pés, Demetria. Eu quero você, de corpo e alma, para sempre. Por favor, pense sobre isso.

— Vou pensar sobre isso, Joseph. Eu vou, — eu o tranquilizo, recuperando-me mais uma vez. Crianças? Eita! 

— Eu realmente gostaria de falar com o Dr. Flynn, se você não se importa.

— Qualquer coisa para você, bebê. Qualquer coisa. Quando você gostaria de vê-lo?

— O quanto antes.

— Ok. Vou fazer os arranjos amanhã. -Ele olha para o relógio.
 — É tarde. Devemos dormir. — Ele se desloca para desligar a sua luz de cabeceira e me puxa contra ele. Olho para o despertador. Merda, são 3:45. Ele enrola seus braços em volta de mim, seu peito em minhas costas e fuça meu pescoço.

— Eu te amo, Demi Lovato e quero você ao meu lado, sempre, — ele murmura como ele beija meu pescoço. 

— Agora vamos dormir.

Eu fecho meus olhos. 



                Relutantemente, eu abro as minhas pálpebras pesadas e a luz enche o quarto. Eu solto um gemido. Sinto-me atordoada, desconectada, meus membros pesam como chumbo e Joseph está enrolado em torno de mim como hera. Estou com muito calor, como de costume. Certamente é apenas cinco da manhã. O alarme não soou ainda. Eu me estico para me libertar de seu calor, girando em seus braços e ele murmura algo ininteligível em seu sono.  Olho para o relógio. 8:45.Merda, eu vou chegar atrasada. Porra. Eu saio da cama e corro para o banheiro.

                Saio do banho em quatro minutos. Joseph se senta na cama me olhando com uma mal disfarçada diversão junto com um que de cautela. Eu continuo a me secar enquanto escolho a roupa. Talvez ele esteja esperando minhas reações às revelações de ontem. Agora, eu simplesmente não tenho tempo. Eu verifico minhas roupas – calças pretas, blusa preta um pouco Sra. R, mas eu não tenho um segundo para mudar de ideia. Eu apressadamente visto meu sutiã e calcinha preta, consciente de que ele está assistindo a cada movimento meu. É.. enervante. Esta calcinha e sutiã vão ter de servir.

— Maravilhosa — Joseph ronrona da cama. 
— Você sempre pode dizer que está doente. — Ele me dá seu devastador, desequilibrador, 150% de alta voltagem, sorriso de arrancar as calcinhas. Oh, ele é tão tentador. Minha deusa interior faz um beicinho provocante para mim.

— Não, Joseph, não posso. Eu não sou um CEO megalomaníaco com um belo sorriso que pode ir e vir como lhe agrada.

— Gosto de vir como me der prazer. — Ele sorri e seu sorriso brilha e provoca ainda mais.

— Joseph — eu ralho. Eu jogo a toalha nele e ele ri.

— Sorriso bonito, hein?

— Sim. Você sabe o efeito que você tem em mim. — Eu coloco meu relógio.

— Eu? — Ele pisca inocentemente.

— Sim, você mesmo. O mesmo efeito que você tem em todas as mulheres. Fica muito cansativo vê-las se jogarem em você.

— É mesmo? — Ele levanta sua sobrancelha para mim, com diversão..

— Não banque o inocente, o Sr. Jonas, realmente não combina com você — eu murmuro distraída prendendo meu cabelo em um rabo de cavalo e colocando meus sapatos negros de salto alto. Sim, tem de servir. Quando eu me curvo para lhe dar um beijo de adeus, ele me agarra e me puxa para cima da cama, inclinando-se sobre mim e sorrindo de orelha a orelha. Oh meu Deus. Ele é tão bonito com seus olhos brilhantes de malícia, seu cabelo de quem acabou de sair da cama, aquele sorriso deslumbrante. Agora ele é brincalhão. Estou cansada, ainda me recuperando de todas as revelações de ontem, enquanto ele esta brilhante como um botão, e sexy pra caralho. Oh, Cinquenta exasperante.

— O que posso fazer para tentá-la a ficar? — Diz ele em voz baixa, e meu coração para e começar a bater bem rápido. Ele é a tentação personificada.

— Você não pode — eu resmungo, esforçando-me para me sentar.  Deixe-me ir.

               Ele faz um beicinho e eu desisto. Sorrindo, eu traço meus dedos sobre os lábios esculpidos do meu Cinquenta. Eu o amo com todos os seus problemas monumentais. Eu nem sequer comecei a processar os acontecimentos de ontem e como me sinto sobre eles. Eu me inclino até beijá-lo, grata por ter escovado os dentes. Ele me beija longa e duramente e em seguida, rapidamente me deixa de pé, deixando-me atordoada, sem fôlego e um pouco vacilante.

— Taylor irá levá-la. É muito mais rápido do que encontrar um lugar para estacionar. Ele está esperando fora do prédio — Joseph diz gentilmente e ele parece aliviado. Ele está preocupado com a minha reação esta manhã? Certamente a última noite — bem, esta manhã — provou lhe que eu não vou correr.

— Ok. Obrigada, — eu resmungo, decepcionada por que eu estou de pé novamente, confusa por sua hesitação, e vagamente irritada porque mais uma vez eu não vou dirigir meu Saab. Mas ele está certo, é claro, vai ser mais rápido com Taylor.

— Aproveite o seu dia preguiçoso, Sr. Jonas. Eu gostaria de poder ficar, mas o homem que possui a empresa em que trabalho não aprovaria sua equipe faltando apenas para ter sexo quente.— Pego minha bolsa.

— Pessoalmente, Srta. Lovato, eu não tenho nenhuma dúvida de que ele aprovaria. Na verdade, ele pode insistir sobre isso...

— Por que você vai ficar na cama? Isso não se parece com você.

Ele cruzou as mãos atrás da cabeça e sorriu para mim.

— Porque eu posso, Srta. Lovato, apenas por isso.

Sacudo a cabeça para ele.

— Mais tarde, bebê. — Eu lhe sopro um beijo, e saio do quarto. Taylor está esperando por mim e ele parece entender que eu estou atrasada, porque ele dirige como um louco para me levar e eu consigo chegar às 9:15. Fico agradecida quando ele para na calçada, agradeço estar viva, principalmente, já que seu modo de dirigir é assustador. E grata porque eu não estou terrivelmente atrasada, apenas quinze minutos.

— Obrigada, Taylor — eu murmuro, com o rosto pálido. Lembro-me de Joseph dizendo que ele dirigia tanques, talvez ele dirija para a NASCAR, também.

— Demi, — Ele acena um adeus e eu rumo para meu escritório, percebendo quando eu abro a porta para a recepção, que Taylor parece ter superado a formalidade da Senhorita Lovato. Ele me faz sorrir. Claire sorri para mim enquanto eu corro através da recepção e vou para a minha mesa.


— Demi! — Jack me chama.
— Entre aqui.

Oh merda!.

— Que horas você chama isso? — Ele me pressiona.

— Sinto muito. Dormi demais. — Eu fico levemente corada.

— Não deixe isso acontecer novamente. Traga-me um pouco de café e então eu preciso que você faça algumas revisões. Ande logo — ele grita, me fazendo recuar.

                 Porque ele estava tão bravo? Qual é o problema? O que eu fiz? Corro para a cozinha para fazer seu café. Talvez eu devesse ter faltado. Eu poderia estar... bem, fazendo algo quente com Joseph, ou tomando café da manhã com ele, ou apenas falando, o que iria ser uma novidade. Jack mal reconhece a minha presença quando eu me aventuro de volta ao seu escritório para entregar o café. Ele empurra uma folha de papel para mim, esta escrita a mão com uma letra quase ilegível.

— Digite isto, traga-me para assinar e em seguida, copie e envie para todos os nossos autores.

— Sim, Jack.

                 Ele não olha para cima enquanto eu saio. Rapaz, ele é louco. É com algum alívio que eu finalmente sento na minha mesa. Tomo um gole de chá enquanto eu espero meu computador ligar. Eu verifico meus e-mails.


De: Joseph Jonas
Assunto: Sentindo sua falta
Para: Demetria Lovato
Por favor, use seu Blackberry.
X
Joseph Jonas
CEO, Jonas Participações e Empreendimentos Inc.



De: Demetria Lovato
Assunto: Tudo certo para algumas
Para: Joseph Jonas
Meu chefe é louco. Eu o culpo por me manter acordada até tarde com as
suas... travessuras. Você deveria ter vergonha de si mesmo.
Demetria Lovato
Assistente de Jack Hyde, Coordenador Editorial, SIP


De: Joseph Jonas
Assunto: Travessuras?
Para: Demetria Lovato
Você não tem que trabalhar, Demetria.
Você não têm ideia de como eu estou chocado com minhas... travessuras.
Mas eu gosto de fazer você se atrasar ;)
Por favor, use seu Blackberry.
Oh, e case comigo, por favor.
Joseph Jonas
CEO, Jonas Participações e Empreendimentos Inc.


De: Demetria Lovato
Assunto: Trabalhar para viver
Para: Joseph Jonas
Eu sei que sua tendência natural é ser insistente, mas apenas pare. Eu preciso falar com o seu psiquiatra. Só depois te darei minha resposta. Não me oponho em viver no pecado.
Demetria Lovato
Assistente de Jack Hyde, Coordenador Editorial, SIP



De: Joseph Jonas
Assunto: BLACKBERRY
Para: Demetria Lovato
Demetria, se você começar a discutir sobre Dr. Flynn então use seu BLACKBERRY. Isto não é um pedido.
Joseph Jonas,
Agora Enfadado CEO, Jonas Participações e Empreendimentos Inc.


Oh merda. Agora ele está com raiva de mim, também. Bem, ele pode se danar, se eu me importo. Tiro o meu Blackberry da minha bolsa e o olho com ceticismo. Tal como eu, ele começa a tocar. Ele não pode me deixar sozinho?


— Sim, — eu atiro.

— Demi, oi...

— José! Como você está? — Ah, é bom ouvir sua voz.

— Eu estou bem, Demi. Olha, você ainda está vendo aquele cara o Jonas?

— Er, sim. . . Por quê? — Onde ele pretende ir com isso?

— Bem, ele comprou todas as suas fotos e eu pensei que poderia entregá-los em Seattle. A exposição fecha quinta-feira, então eu posso levá-los na sexta à noite e deixá-los, você sabe. E talvez a gente pudesse beber algo. Na verdade, eu estava esperando por um lugar para dormir, também.

— José, isso é legal. Sim, eu tenho certeza que podemos arrumar alguma coisa. Deixe-me falar com Joseph e eu ligo de volta, ok?

— Legal, vou esperar sua ligação. Tchau, Demi.

— Tchau — E ele desliga.


                   Puta merda! Eu não vejo ou falo com José desde a sua exposição. Eu nem sequer lhe perguntei como foi ou se ele vendeu mais alguma foto. Que espécie de amiga eu sou? Assim, eu poderia passar a noite com José na sexta-feira. Como Joseph iria reagir? Eu me toco que estou mordendo os lábios até doer. Oh, um homem que tem dois pesos e duas medidas. Ele pode - tremo só de pensar – dar banho em sua ex-amante, mas provavelmente virá cheio de reclamações porque eu desejo sair para beber com José. Como vou lidar com isso?

— Demi! — Jack me puxa abruptamente para fora do meu devaneio. Ele é louco? 

— Onde está a carta?

— Quase pronta. — Merda. O que deu nele?

Eu digito a sua carta o mais rápido que pude, imprimo e nervosamente vou até seu escritório.

— Aqui está. — Coloco a carta em sua mesa e rumo para fora de seu escritório. Jack rapidamente lança seus olhos penetrantes na carta e dispara suas críticas.

— Eu não sei o que você está fazendo lá fora, mas eu te pago para trabalhar — ele late.

— Eu estou ciente disso, Jack, — eu murmuro, me desculpando. Eu sinto um mal estar lento rastejar sob minha pele.

— Está cheio de erros — ele diz.
— Faça novamente.

Porra. Ele está começando a soar como alguém que eu conheço, mas a grosseria de Joseph eu posso tolerar. Jack está começando a me irritar.

— E me traga outro café, enquanto você está nisso.

— Desculpe — eu sussurro e corro para fora de seu escritório o mais rápido possível.

                   Puta merda. Ele está insuportável. Sento-me de volta à minha mesa, e refaço às pressas sua carta, que tinha dois erros mesmo, e verifico tudo antes de imprimir. Agora está perfeito. Eu vou lhe buscar um outro café, deixando Claire saber, com um revirar de meus olhos que eu estou com problemas. Respiro profundamente e me aproximo do escritório dele novamente.

— Melhor, — ele murmura relutantemente enquanto assina a carta. 

— Tire cópias, guarde o original, e mande e-mails a todos os autores. Entendeu?

— Sim. — Eu não sou um idiota. 
— Jack, há algo de errado?

Ele olha para cima, seus olhos azuis escuros sobem e descem pelo meu corpo. Isso me dá arrepios.

— Não. — Sua resposta é concisa, rude e sem consideração. Eu estou lá como uma idiota que eu professo não ser e então me embaralho toda para fora de seu escritório. Talvez ele também sofra de um transtorno de personalidade. Deuses, estou cercado por eles. Eu vou para a máquina de xerox, que naturalmente está sofrendo de uma esmagadora crise de ineficiência e quando eu ver o que é, percebo que não tem papel. Este não é o meu dia. Quando eu finalmente volto à minha mesa ouço zumbidos do meu BlackBerry. Eu posso ver através da parede de vidro que Jack está no telefone. Eu respondo, é Ethan.

— Oi, Demi. Como foi ontem à noite?

A noite passada. Várias imagens atravessam minha mente, Joseph ajoelhado, sua revelação, a sua proposta, macarrão com queijo, meu pranto, seu pesadelo, o sexo, tocá-lo...

— Eh... bem — eu murmuro convincente.

Ethan faz uma pausa e decide conspirar na minha negação.

— Legal. Posso recolher as chaves?

— Claro.

— Eu vou demorar cerca de meia hora. Você vai ter tempo para tomar um café?

— Não hoje. Eu cheguei tarde e meu chefe está parecendo um urso irritado com uma dor de cabeça e hera venenosa no rabo.

— Parece desagradável.

— Desagradável e feio. — Eu rio.

Ethan ri e meu humor melhora um pouco.

— Ok. Nos vemos em meia hora. — Ele desliga.

Olho para cima e Jack está olhando para mim. Oh merda. Eu cuidadosamente o ignoro e continuo a colocar as cartas nos envelopes. Meia hora depois, meu telefone vibra. É Claire.

— Ele está aqui de novo, na recepção. O deus loiro.



Ver Ethan é uma alegria depois de toda a angústia de ontem e do mau humor do meu patrão infligido a mim hoje, mas muito em breve, ele está se despedindo.

— Será que vou vê-la esta noite?

— Eu provavelmente vou ficar com Joseph. — Eu digo.

— Você está caidinha mesmo. — Ethan observa com bom humor.


                  Eu dou de ombros. Isso não é nem a metade, eu percebo nesse momento que eu não acho isso ruim. Eu vejo essa situação como algo para a vida inteira. E, surpreendentemente,  oseph parece sentir o mesmo. Ethan me dá um abraço rápido.

— Mais tarde, Demi.

                   Volto à minha mesa, lutando contra minha descoberta. Oh, o que eu não faria para ter um dia inteiro para mim, para poder pensar, sozinha, sobretudo o que estava acontecendo!

— Onde você esteve? — Jack aparece de repente perto de mim.

— Eu tinha alguns negócios para atender na recepção. — Ele realmente está me dando nos nervos.

— Eu quero o meu almoço. O de sempre- ele diz abruptamente e volta para seu escritório pisando duro.

                  Por que eu não fiquei em casa com Joseph? Minha deusa interior cruza os braços e aperta os lábios, ela quer saber a resposta para essa pergunta também. Pegando minha bolsa e meu Blackberry, eu me dirijo para a porta. Verifico minhas mensagens.


De: Joseph Jonas
Assunto: Sentindo sua falta
Para: Demetria Lovato
Minha cama é muito grande sem você. Bem, eu vou ter que ir trabalhar,
mesmo os CEOs megalomaníacos precisam de alguma para fazer, às vezes.
X
Joseph Jonas
Brincando com seus polegares CEO, Jonas Participações e Empreendimentos
Inc.


E há uma outra dele, desta mesma manhã.


De: Joseph Jonas
Assunto: Discrição
Para: Demetria Lovato
É a melhor parte da coragem.
Por favor, seja discreta... os e-mails do seu trabalho são monitorados. QUANTAS VEZES TENHO DE LHE DIZER ISTO? Sim. Em Letras Gritantes, como você diz. USE SEU BLACKBERRY.
Dr. Flynn pode nos ver amanhã à noite.
Joseph Jonas,
Ainda Puto CEO, Jonas Participações e Empreendimentos Inc.
E ainda tem mais um... Ah, não.



De: Joseph Jonas
Assunto: Grilos
Para: Demetria Lovato
Eu não ouvi nada de você.
Por favor me diga que você está bem.
Você sabe como eu me preocupo.
Eu irei enviar Taylor para verificar!
X
Joseph Jonas,
Super Ansioso CEO, Jonas Participações e Empreendimentos Inc.

Reviro os olhos e ligo para ele. Eu não quero que ele se preocupe.

— Telefone de Joseph Jonas, Andrea Parker falando.

                  Oh. Eu fico sem graça por não ser Joseph, que paro subitamente no meio da rua e o jovem que vem logo atrás de mim murmura irritadamente ao se desviar para não colidir comigo. Eu paro embaixo da cobertura verde da lanchonete.

— Olá? Em que posso ajudar? — Andrea preenche o vazio do silêncio constrangedor.

— Desculpe... Er... Eu estava esperando falar com Joseph ...

— O Sr. Jonas está em uma reunião no momento. — Ela corta com eficiência.
— Você gostaria de deixar um recado?

— Pode dizer-lhe que Demi ligou?

— Demi? É a Demetria Lovato?

— Er... Sim. — Sua pergunta me confunde.

— Espere um segundo, por favor, senhorita Lovato.

Eu ouço com atenção enquanto ela me coloca para esperar, mas não posso dizer o que está acontecendo. Poucos segundos depois, Joseph está na linha.

— Você está bem?

— Sim, eu estou bem.

Eu ouço a liberação rápida de sua respiração presa. Ele está aliviado.

— Joseph, por que não estaria bem? — Eu sussurro de forma tranquilizadora.

— Você normalmente é tão rápida em responder aos meus e-mails. Depois do que eu te disse ontem, eu estava preocupado — ele diz calmamente e então ele está falando com alguém em seu escritório.

— Não, Andrea. Diga-lhes para esperar— ele diz com firmeza. Oh, eu conheço esse tom de voz.

Eu não posso ouvir a resposta de Andrea.

— Não. Eu disse para esperar — ele reforça.

— Joseph, você está obviamente ocupado. Eu só liguei para que você saiba que eu estou bem e muito ocupada hoje. Jack passou a manhã estalando o chicote. Er... Eu quero dizer... Eu fico vermelha e me calo.

Joseph não diz nada por um momento.

— Estalando o chicote, hein? Bem, houve um tempo em que eu o teria chamado de um homem de sorte. — Sua voz é cheia de humor seco. 

— Não o deixe ele te massacrar, bebê.

— Joseph, — eu ralho com ele e sei que ele está sorrindo.

— Tome cuidado com ele, isso é tudo. Olha, eu estou feliz por você estar bem. A que horas devo buscá-la?

— Eu vou mandar um e-mail para você.

— Pelo seu Blackberry — ele diz com firmeza.

— Sim, senhor, — eu respondo.

— Mais tarde, bebê.
— Tchau...

Ele ainda não tinha desligado.

— Desligue — Eu brigo, sorrindo.

Ele suspira fortemente no telefone.

— Eu gostaria muitíssimo que você nunca tivesse ido trabalhar esta manhã.

— Eu também. Mas eu estou ocupada. Desligue.

— Você desliga. — Eu ouço seu sorriso. Oh, brincalhão Joseph. Eu amo Joseph brincalhão. Hmm... Eu amo Joseph. Ponto.

— Nós já passamos por isso antes.

— Você está mordendo o lábio.

Merda, ele está certo. Como ele sabe?

— Você vê, você acha que eu não a conheço, Demetria. Mas eu conheço você melhor do que você pensa — ele murmura sedutoramente, daquela maneira que faz meus joelhos tremerem e me deixa fraca e molhada.

— Joseph, eu vou falar com você mais tarde. Agora, eu realmente desejo não ter te deixado hoje de manhã.

— Vou esperar pelo seu e-mail, Srta. Lovato.

— Bom dia, Sr. Jonas.


                 Desligando, eu me inclino contra o vidro duro e frio da loja. Oh meu Deus! mesmo ao telefone ele me possui. Balançando a cabeça para limpá-la de todos os pensamentos sobre Jonas, eu me dirijo para a lanchonete, chateada com o comportamento de Jack. Ele ainda está carrancudo quando eu volto.

— Está tudo bem se eu sair para almoçar hoje? — Peço, delicadamente. Ele olha para mim e sua carranca se aprofunda.

— Se você quer — ele se endireita.
—Quarenta e cinco minutos. Desconte o tempo que você perdeu esta manhã.

— Jack, eu posso perguntar uma coisa?

— O quê?

— Você parece chateado hoje. Será que fiz algo para ofendê-lo?

Ele pisca para mim momentaneamente.

— Eu não acho que eu estou no clima para listar as suas contravenções agora. Eu estou ocupado. — Ele continua a olhar para sua tela de computador, efetivamente me ignorando.

                Uau. O que eu fiz? Viro-me e deixo seu escritório e por um momento eu acho que vou chorar. Por que ele tomou tal aversão súbita e intensa para mim? Uma ideia muito desagradável surge na minha cabeça, mas eu prefiro ignorá-la. Eu não preciso desta merda, eu já tenho o suficiente com o que lidar. Dirijo-me para fora do prédio para a Starbucks ali perto, para beber um café e sentar na janela. Pego o meu iPod na minha bolsa e conecto meu fone de ouvido. Escolho uma música ao acaso e pressione para repetir, então posso jogá-lo na minha bolsa outra vez. Eu preciso de música para pensar mais claramente. Minha mente voa. Joseph, o sádico. Joseph, o submisso. Joseph, o intocável. Joseph cheio de impulsos edipianos. Joseph dando banho em Leila. Eu gemo e fecho meus olhos enquanto a última imagem me assombra. Posso realmente casar com esse homem? Ele é demais para se absorver. Ele é complexo e difícil, mas no fundo eu sei que eu não quero deixá-lo apesar de todos os seus problemas. Eu nunca poderia deixá-lo. Eu o amo. Seria como cortar meu braço direito. Agora, eu nunca me senti tão viva, tão vital. Eu enfrentei todo tipo de perplexidades, de sentimentos profundos e novas experiências, desde que eu conheci. Nunca há um momento de tédio com Cinquenta. Olhando minha vida antes de Joseph é como se tudo estivesse em preto e branco como as fotografias de José. Agora o meu mundo inteiro está em rico, brilhante, cheio de cor. Eu posso voar em um feixe de luz deslumbrante, a deslumbrante luz de Joseph. Eu ainda sou Ícaro, voando muito perto do sol. Eu cheiro a mim mesma. Voar com Joseph...Quem pode resistir a um homem que pode voar? Posso entregá-lo? Posso desistir dele? Parece que ele virou um interruptor e
acendeu-me por dentro. Tem sido educativo conviver com ele e conhecê-lo. Eu descobri mais sobre mim nas últimas semanas do que nunca em minha vida. Eu aprendi sobre o meu corpo, meus limites rígidos, os meus limites suaves, minha tolerância, a minha paciência, minha compaixão e minha capacidade de amar. E então me atingi como um raio, isto é o que ele precisa de mim, o que ele tem direito, um amor incondicional. Ele nunca o recebeu da prostituta drogada. Isto é o que ele precisa. Posso amá-lo incondicionalmente? Posso aceitá-lo por quem ele é, independentemente de suas revelações na noite passada? Eu sei que ele está danificado, mas eu não acho que ele é irrecuperável. Eu suspiro, recordando as palavras de Taylor. Ele é um bom homem, Srta. Lovato. Eu vi a prova de peso de sua bondade, seu trabalho de caridade, sua ética nos negócios, a sua generosidade e mesmo assim ele não vê em si mesmo. Ele não se sente merecedor de qualquer amor. Dada a sua história e suas predileções, eu tenho um pressentimento de sua auto-aversão, e é por isso que ele nunca deixou qualquer um se aproximar. Será que eu posso passar por tudo isso? Ele disse uma vez que eu não poderia começar a entender as profundezas de sua depravação. Bem, ele me disse agora e dado os primeiros anos de sua vida, não me surpreendo. Embora ainda seja um choque ouvi-lo em voz alta. Pelo menos ele me disse, e ele parece mais feliz agora do que antes. Eu sei tudo. Será que isso irá desvalorizar o seu amor por mim? Não, eu não penso assim. Ele nunca se sentiu assim antes e nem eu. Na verdade, nós dois chegamos tão longe... Sinto as lágrimas se formando em meus olhos ao me lembrar de suas barreiras finais ruírem na noite passada quando ele me deixou tocá-lo. Nossa! Foi preciso Leila e toda a sua loucura para podermos chegar a este ponto. Talvez eu devesse ser grata. O fato de que ele a havia banhado tem um gosto amargo na minha língua agora. Gostaria de saber qual a roupa que ele lhe deu. Espero que não tenha sido o vestido ameixa. Eu gostei dele. Assim eu posso amar esse homem com todas as suas questões, incondicionalmente? Porque ele não merece nada menos. Ele ainda precisa
aprender os limites e as coisas pequenas como a empatia, e ser menos controlador. Ele diz que já não sente a compulsão de me machucar, talvez o Dr. Flynn seja capaz de lançar alguma luz sobre isso. Fundamentalmente, é o que mais me preocupa é do que ele precisa e que sempre encontrou em mulheres que tinham a mesma preferência. Eu franzo a testa. Sim, esta é a confiança que eu preciso. Eu quero ser todas as coisas para este homem, seu Alfa e seu Omega e todas as coisas no meio, porque ele é tudo para mim. Espero que Flynn tenha as respostas e, talvez, então eu possa dizer sim para que Joseph e eu possamos encontrar a nossa própria fatia do céu próxima ao sol. Eu olho para fora, apressando-me, na hora do almoço em Seattle. "Sra. Joseph Jonas" - quem teria pensado? Olho para meu relógio. Merda! Eu salto do meu assento e corro para a porta. Como o tempo passou tão rápido? Jack vai ficar irritadíssimo!


Eu volto para a minha mesa, rapidamente. Felizmente, ele não está em seu escritório. Parece que eu tenho vacilado com ele. Eu olho fixamente para a tela do computador, sem ver, tentando remontar meus pensamentos para o módulo de trabalho.

— Onde você estava?

Eu pulo. Jack está de pé, braços cruzados, atrás de mim.

— Eu estava no porão, fazendo cópias, — eu minto. Os lábios de Jack se apertam em uma linha fina e intransigente.

— Eu vou sair às seis e meia para pegar meu vôo. Eu preciso que você fique até então.

— Ok. — Eu sorrio tão docemente quanto eu posso.

— Eu quero meu itinerário para New York impresso e xerocado dez vezes. E os folhetos empacotados. E um café! — Ele rosna e entra em seu escritório batendo
a porta.

Eu dou um suspiro de alívio e coloco minha língua para fora quando ele fecha a porta. Bastardo. Às quatro horas, Claire me chama da recepção.

— Mia Jonas está aqui para ver você.

Mia? Espero que ela não queira me levar ao shopping.

— Oi, Mia!
— Demi, oi. Como você está? — Seu entusiasmo é sufocante.

— Ótima. Ocupada hoje. Você?

— Estou tão aborrecida! Eu preciso encontrar algo para fazer, então eu estou organizando uma festa de aniversário para Joseph.

Aniversário de Joseph? Puxa, eu não tinha ideia.

— Quando é?

— Eu sabia. Eu sabia que ele não iria dizer-lhe. É no sábado. Mamãe e papai querem todos em casa para um jantar de comemoração. Estou oficialmente te convidando.

— Oh, isso é adorável. Obrigada, Mia.

— Eu já chamei Joseph e lhe disse, e ele me deu seu número aqui.

— Legal. — Minha mente está em um parafuso. Que diabos eu vou dar a Joseph de presente de aniversário? O que você compra para um homem que tem tudo?

— E talvez na próxima semana possamos sair para almoçar?

— Claro. Que tal amanhã? Meu chefe estará longe, em Nova York.

— Ah, isso seria legal, Demi. Que horas?

— Digamos... 12:45?

— Eu estarei lá. Tchau, Demi.

— Tchau, — Eu desligo.



Joseph. Aniversário. Que diabos eu deveria dar a ele?




De: Demetria Lovato
Assunto: Antediluviano
Para: Joseph Jonas
Caro Sr. Jonas quando, exatamente, você ia me dizer?
O que eu dou ao meu homem velho em seu aniversário?
Talvez algumas novas pilhas para seu aparelho auditivo?
D x
Demetria Lovato
Assistente de Jack Hyde, Coordenador Editorial, SIP


De: Joseph 
Para: Demetria Lovato
Assunto: Pré-histórico
Não zombe de gente idosa. Fico feliz por você estar viva e bem.
E que Mia entrou em contato. Baterias são sempre úteis.
Eu não gosto de comemorar meu aniversário.
X
Joseph Jonas,
Surdo como uma porta, CEO, Jonas Participações e Empreendimentos Inc.


De: Demetria Lovato
Assunto: Hmmm.
Para: Joseph Jonas
Caro Sr. Jonas eu posso imaginar você fazendo beicinho enquanto você
escreveu a última sentença.
Isso me faz sentir coisas...
D xox
Demetria Lovato
Assistente de Jack Hyde, Coordenador Editorial, SIP


De: Joseph Jonas
Assunto: Rolando os olhos
Para: Demetria Lovato
Senhorita Lovato
QUER FAZER O FAVOR DE USAR SEU BLACKBERRY!
X
Joseph Jonas,
Com as palmas coçando, CEO, Jonas Participações e Empreendimentos Inc.


Desvio o olhar. Por que ele está tão sensível por causa dos e-mails?


De: Demetria Lovato
Assunto: Inspiração
Para: Joseph Jonas
Caro Sr. Jonas
Ah... as palmas das suas mãos estão coçando? Elas não podem ficar paradas por muito tempo, podem? Eu me pergunto o que Dr. Flynn diria sobre isso?
Mas agora eu sei o que te dar no seu aniversário e espero que me deixe
dolorida... ;)
Dx


De: Joseph Jonas
Assunto: Angina
Para: Demetria Lovato
Senhorita Lovato.
Eu não acho que meu coração poderia suportar a pressão de um outro email
assim, ou as minhas calças, no caso.
Comporte-se.
X
Joseph Jonas
CEO, Jonas Participações e Empreendimentos Inc.


De: Demetria Lovato
Para: Joseph Jonas
Assunto: Tentando
Joseph estou tentando trabalhar.
Por favor, para de me distrair e tente fazer o mesmo. Seu último email quase me fez entrar em combustão.
PS: Pode me pegar às 18:30?


De: Joseph Jonas
Assunto: Eu estarei lá
Para: Demetria Lovato
Nada me daria maior prazer.
Na realidade, eu posso pensar em várias coisas que me dão maior prazer, e
todos elas envolvem você.
X
Joseph Jonas, CEO, Jonas Participações e Empreendimentos Inc.


                  Eu fico vermelha ao ler sua resposta e sacudo a cabeça. E-mails brincalhões são ótimos, mas nós realmente precisamos conversar. Talvez depois que virmos Flynn. Eu coloco meu Blackberry na mesa e termino a minha prestação de contas. Às 18:15, o escritório está deserto. Tenho tudo pronto para Jack. Seu táxi para o aeroporto está reservado e eu só tenho que lhe entregar os documentos. Olho ansiosamente através do vidro, mas ele ainda está no telefone e eu não quero interrompê-lo, não no humor que ele está hoje. Enquanto eu o espero terminar, percebo que não comi nada hoje. Oh merda, Cinquenta não vai gostar disso. Eu rapidamente vou até a cozinha para ver se encontro alguns biscoitos esquecidos por lá. Quando eu estou prestes a abrir o pacote de biscoitos Jack aparece inesperadamente na porta da cozinha, assustando-me. Oh. O que ele está fazendo aqui?

Ele olha para mim.

— Bem, Demi, eu acho que esse pode ser um bom momento para discutir os seus erros. — Ele entra na cozinha, fechando a porta atrás dele e minha boca fica seca instantaneamente e um alarme soa alto e penetrantemente na minha cabeça.

Oh, merda.

Seus lábios se contorcem em um sorriso grotesco e seus olhos brilham azul cobalto, profundos.

— Finalmente eu encontro você sozinha. — ele diz, e lentamente lambe seu lábio inferior.

O quê?

— Agora... você vai ser uma boa menina e ouvir atentamente o que eu digo?


comentem....
Opa!!!!!!!!!!! Jack abusado, o que será que ele vai fazer comentem
Gatonas, acho que vocês já sabem né... avisei desde o começo do que se trata a fic, é pesada, contém palavrão e coisas muito obscenas.... enfim, vocês sabem disso e sabem que certas coisas só usando um bom palavrão pra entender... é isso :) 

31 comentários:

  1. Posta mais um hojeeee, so mais um , ai Lua essa fic e perfeita

    ResponderExcluir
  2. Posta, posta, posta, posta, ai meu Deus q desespero

    ResponderExcluir
  3. Jack filho da puta, o Joe vai te matar seu canalha , idiota, escroto

    ResponderExcluir
  4. SO-COR-RO MEU DEUS. O.QUE.O.JACK.VAI.FAZER?

    Cadê o Joseph?

    Ele não vai abusar dela vai? E se for o Joseph vai dar uma surra nele não vai?


    PERFEITO! VOCÊ TEM QUE POSTAR MAIS UM HOJE SE NÃO VOU MORRER DE ANSIEDADE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aa Charlote, entao somos duas a morrer kkkk

      Excluir
    2. sera???????? é surpresa muitas coisas vao acontecer ahhahaua ontem nao deu pra postar... mas hoje tem cap

      Excluir
    3. Gente, essa fic é minha vida

      Excluir
  5. Para tudo :o O qe qe fizeram com o Joshep ?? Haha primeiro ele quer casar e agra ha ta falando até em filho :o Qe qe isso em Demetria kkk
    Genteeeeeeeeeee o qe o louco do Jack vai fazer cm a Demi ?? Haha Joshep apareça pelo amr de Deus kk
    O cap ta mais do qe perfeito como sempre né Lua
    Bjoos - Marina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Demetria poderosa... deixou o gato apaixonado...
      Obrigada por comentar, vou postar daqui a pouco

      Excluir
  6. POSTA UM AINDA HOJE POR FAVOR!!! Eu raramente comento fanfic no blogspot, mas eu tenho que te faler que tu tem que postar um cap. ainda HOJE! Se eu esiver morta amanhã a culpa vai ser sua u.u vou morrer de ansiedade kkkkkkkkk esse Jack.... O que dá raiva é que o Jonas avisou pra Demi né??? Espero que o Joe chegue ai bem na hora... ele vai saber que tem algo de errado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. awwwww que honra vc comentando aqui hahhaa
      Desculpa, nem deu pra postar ontem :(((
      espero que ainda esteja viva kkk

      Excluir
    2. Sim, consegui superar o cap. e estou viva kkkk' Awww thanks :)))

      Excluir
  7. PERA PRIMEIRO CASAMENTO E AGORA FILHO??
    QUEM É VOCÊ E O QUE FEZ COM JOSEPH JONAS??
    POSTA MAIS PLEASEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE VOU FICAR LOUCA DE CURIOSIDADES AQUI E SABE VOCÊ PODE FAZER A 3ª,4ª,5ª E QUANTAS TEMPORADAS VOCÊ QUERER PQP ESSA FIC É PERFEITAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!
    POSTA LOGO,BJUSSSS....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. DEMI MUDOU O CARA!!!! ELE TA GAMADO NELA....
      Acho que só vou fazer 3 temporada, e depois fim :(
      hoje tem cap xx

      Excluir
  8. Demetria poderosa hein ele já quer até ter filhos com ela hehehe
    Posta logo

    ResponderExcluir
  9. Eu não comento ha muuuuito tempo mas pq falta tempo.
    Esta maravilhoso quase morri com o joseph! Jesus o que foi isso??!!!
    Posta mais um hj por favor senão eu vou morrer e não vou conseguir dormir direito.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah! Tudo bem...
      Muitas coisas ainda vão acontecer, muitos hots...
      nao deu pra postar ontem, desculpa

      Excluir
  10. Meu Deus, Para Tudo!!!
    Esses capitulos foram, pra mim, o mais cheio de surpresas e emoçao. Eu chorei, chorei como uma criança ao ler eles. Sério, foi emocionante demais.
    CASAR? MORRI AO LER! Pensei ate assim: essa lua quer me matar de emoçao né?
    Seria divino eles se casarem e ter filhos, sei la, mas tem q ter mais coisaas pra esclarecer ai né?!
    Esse jack fdp, que vontade de quebrar a cara dele! ! Ele não pode fazer nasa com a dem do cinquenta.
    Posta rapido, e me faça feliz!!!!
    Amo aqui e amo essa fic <3
    Nanda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas vendo por outro lado o joseph pode expulsar esse babaca dai! Que raiva desse jack.
      Tomara que ele nao faça nada com ela ou que o joe chegue na hora.
      Nanda

      Excluir
    2. O amor entre joe e demi ta na cara né?
      Mas eles ainda precisam se conhecer, parece mil anos... mas eles só se conhecem a semanas...
      é muita informação pra demi diferir, e muita coisa que joe precisa superar...

      Excluir
  11. tomara que o joseph o demita

    ResponderExcluir
  12. Que horas ta prevista a sua postagem ?

    ResponderExcluir