sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Cap.02- 3ª temporada hot

Estou, de repente, completamente acordada de meu sonho erótico.


— Eu estava deitada de frente. Eu devo ter virado de bruços enquanto dormia. — Eu sussurro baixo em minha defesa.


Seus olhos ardem em fúria. Ele se abaixa, pega a parte de cima do meu biquíni de sua espreguiçadeira e atira em mim.


— Vista isso — ele esbraveja.


— Joseph, ninguém está olhando.


Acredite em mim. Estão olhando. Tenho certeza de que Taylor e o pessoal da segurança estão aproveitando o show! — Diz severamente.


Merda! Por que eu sempre me esqueço deles? Agarro meus peitos em pânico, escondendo-os. Desde que Charlie Tango fora sabotado, estamos constantemente encobertos por uma segurança de merda.




— Sim, — Joseph esbraveja.
— E a porra de um paparazzi poderia ter fotografado também. Você quer estar por toda a capa da Star magazine? Desta vez pelada?


Merda! Os paparazzi! Porra! Eu rapidamente pego a parte de cima do meu biquíni, me cobrindo, meu rosto praticamente sem cor. Eu arrepio. A desagradável memória de ser perseguida pelos paparazzi fora da SIP depois que nosso noivado foi divulgado não é bem vinda em minha mente - tudo parte do pacote de Joseph Jonas.


— L'Addition — Joseph fala para uma garçonete.

— Estamos indo, — ele diz pra mim.


— Agora?


— Sim. Agora.


                Que droga, não se pode argumentar com ele. Ele geme, e em um movimento rápido ele puxa o short para cima, mesmo com sua sunga molhada, e logo em seguida sua camiseta cinza. A garçonete volta num estante com seu cartão de crédito e a conta. Relutante, enfio meu vestido turquesa e coloco os chinelos. Uma vez que a garçonete foi embora, Joseph pega seu livro e seu Blackberry e esconde sua fúria atrás dos óculos de aviador espelhado. Ele está tremendo de tensão e raiva. Meu coração se contrai. Todas as mulheres na praia estão de topless – não é um crime tão grave. Na verdade, eu pareço estranha usando meu biquíni. Eu suspiro interiormente, meu espírito afundando. Eu pensei que Joseph viria o lado engraçado... mais ou menos... talvez se eu tivesse ficado de bruços, mas seu senso de humor se evaporou.


— Por favor, não fique com raiva de mim, — eu sussurro, pegando o seu livro e seu Blackberry e colocando em minha bolsa.


— Tarde demais para isso, — diz ele, calmamente, muito calmamente.
— Vem. — Tomando minha mão, ele sinaliza para Taylor e seus dois companheiros, os agentes de segurança franceses Philippe e Gastón. Estranhamente, eles são gêmeos idênticos. Eles pacientemente têm observado nós e o resto da praia. Porque eu sempre me esqueço deles? Taylor é impassível através de seus óculos escuros. Merda, ele está com raiva de mim também. Eu ainda não me acostumei em vê-lo tão casualmente vestido em shorts e uma camisa pólo preta.



Joseph me leva para o hotel, através do lobby e depois para a rua. Ele permaneceu em silêncio, pensativo e mal-humorado, e é tudo culpa minha. Taylor e sua equipe nos encobrem.

— Onde estamos indo? — Eu pergunto timidamente, olhando para ele.

— Estamos voltando para o barco. — Ele não olha para mim.



               Eu não tenho noção do tempo. Devem ser cerca de 5 ou 6 horas da tarde. Quando chegamos à marina, Joseph leva-me para o cais onde o barco a motor e o Jet Ski pertencente ao Fair Lady estão ancorados. Olho pesarosamente para Taylor, mas como Joseph, sua expressão não dá pistas. Eu coro, pensando no que será que ele viu na praia.

— Aqui está, Sra. Jonas. — Taylor me passa um colete salva-vidas do barco, e eu obedientemente o coloco. Por que eu sou a única que tem que usar colete salva-vidas? Joseph e Taylor troca algum tipo de olhar. Nossa, ele está com raiva de Taylor, também? Joseph verifica os cintos no meu colete salva-vidas, encaixando no meio firmemente.

— Você vai usar, — ele murmura com mau humor, ainda não olhando para mim.

Merda.

Ele sobe graciosamente para o Jet Ski e estende a mão para me juntar a ele. Segurando firme, eu jogo minha perna sobre o banco de trás sem cair na água enquanto Taylor e os gêmeos escalam no barco a motor. Joseph faz impulso, empurrando o Jet Ski longe da doca, e ele flutua suavemente na marina.

— Segure firme, — ele ordena, e eu coloco meus braços em torno dele. Esta é a minha parte favorita de andar de Jet Ski. Eu o abraço bem perto de mim, meu nariz roçando em suas costas, maravilhada por que houve um tempo que ele não tolerava que eu o tocasse dessa maneira. Ele cheira bem... cheiro de Joseph misturado com o mar.

Perdoe-me Joseph, por favor? Ele enrijece.

— Fique parada, — ele diz, com um tom mais suave. Eu beijo suas costas e descanso minha bochecha contra ele, olho para trás, em direção ao cais, onde alguns turistas se reuniram para assistir o show.


                 Joseph gira a chave e o motor ganha vida. Com um toque de acelerador, o Jet Ski vai para frente e acelera através da água fresca e escura, através da marina e para o centro do porto em direção ao Fair Lady. Eu o abraço com mais força. Eu amo isso, é tão excitante. Cada músculo em seu abdômen está evidente quando eu o agarro. Taylor nos acompanha com uma lancha. Joseph o encara e acelera novamente e nós vamos mais para frente, quicando na água como uma pedrinha habilmente jogada. Taylor balança a cabeça em exasperação e dirige a lancha em direção ao iate, enquanto Joseph passa o Fair Lady e vai para o mar aberto. A água do mar espirra em nós, o vento quente ricocheteando em minha bochecha e desfazendo meu rabo de cabelo. Isso é muito divertido. Talvez esse passeio melhore o humor de Joseph. Eu não posso ver seu rosto, mas eu sei que ele está gostando – despreocupado, agindo como alguém de sua idade, pra variar. Ele dirige em um semicírculo enorme e eu olho para a costa – os barcos na marina, o mosaico amarelo e os prédios brancos e cor de areia e as montanhas atrás. Parece tão desorganizado - não é os blocos organizados que eu estou acostumada – mas é tão pitoresco. Joseph me encara sobre seus ombros e tem um fantasma de um sorriso em seus lábios.

— Mais uma vez? — Ele grita por causa do barulho do motor.

Eu aceno com entusiasmo. Seu sorriso em resposta é deslumbrante e acelera em torno de Fair Lady e para o mar mais uma vez... e eu acho que estou perdoada.



— Você se queimou, — diz Joseph suavemente enquanto ele desfaz o meu colete salva-vidas. Eu tento ansiosamente avaliar o seu humor. Estamos no convés a bordo do iate, e um dos mordomos está de pé, parado esperando pelo meu colete salva-vidas. Joseph passa para ele.

— Isto é tudo, Sr.? — o homem pergunta. Eu amo seu sotaque francês. Joseph olha para mim, tira seus óculos e os coloca na gola de sua camisa, deixando-os pendurado.

— Gostaria de uma bebida? — ele me pergunta.

— Eu preciso de uma? Ele inclina a cabeça para um lado.

— Por que você diz isso? — Sua voz é suave.

— Você sabe por quê.

Ele franze a testa como se estivesse pesando algo em sua mente. Oh, o que ele está pensando?

— Dois gins e tônicas, por favor. E algumas nozes e azeitonas, — ele diz para o mordomo, que acena com a cabeça e rapidamente desaparece.

— Você acha que eu vou puni-la? — A voz de Joseph é sedosa.

— Você quer?

— Sim.

— Como?

— Eu vou pensar em alguma coisa. Talvez depois de você ter tido sua bebida. — E como uma ameaça sensual. Eu engulo seco, minha deusa interior descansa em sua espreguiçadeira, onde ela está tentando pegar raios de sol com um refletor cinza apoiada no pescoço. Joseph franze a testa mais uma vez.

— Você quer ser? Como ele sabe?

— Depende, — murmuro, ruborizando.

— Do quê? — Ele esconde o seu sorriso.

— Se você quer me machucar ou não.

Sua boca pressiona em uma linha, humor esquecido. Ele se inclina para frente e beija minha testa.

— Demetria, você é minha mulher, não minha sub. Eu não quero nunca mais te machucar. Você já deveria saber disso agora. Apenas... apenas não tire suas roupas em público. Eu não quero você nua nos tablóides. Você não quer isso, e eu tenho certeza que sua mãe e Ray também não querem.

Oh! Ray. Puta merda. Eu tenho um ataque cardíaco. O que eu estava pensando? Eu mentalmente me castigo. O mordomo aparece com nossas bebidas e lanches e os coloca na mesa.

— Sente-se — Joseph manda. Eu faço o que ele diz e sento na cadeira. Joseph se senta ao meu lado e me passa um gin com tônica.

— Saúde, Sra. Jonas.

— Saúde, Sr. Jonas. — Eu tomo um gole. É frio e delicioso. Quando eu olho para ele, ele está me observando atentamente, seu humor ilegível. É muito frustrante... eu não sei se ele ainda está com raiva de mim. Eu coloco em prática, minha técnica de distração.

— Quem é o dono desse barco, — eu pergunto.

— Um cavaleiro britânico. Sir Fulano-de-tal. Seu bisavô abriu uma mercearia. Sua filha é casada com um dos príncipes herdeiros da Europa.

Oh. 

— Super-rico?

Joseph olha cautelosamente.

— Sim.

— Como você, — eu murmuro.

— Sim. Oh.
— E como você, — Joseph sussurra, e leva uma azeitona à boca. Eu pisco rapidamente... Uma visão dele em seu colete prata vem à mente... Seus olhos queimando com sinceridade quando ele me encara durante a cerimônia de nosso casamento.

— Tudo que é meu, é seu agora, — ele diz, com a voz recitando nossos votos.

Tudo meu? Puta merda.

— É estranho. Indo do nada para — eu aceno para o ambiente luxuoso
— Tudo.

— Você vai se acostumar.

— Eu não acho que algum dia eu vou me acostumar.

Taylor aparece no deck.

— Senhor, você tem uma chamada. — Joseph franze a testa, mas pega seu Blackberry.

— Jonas, — ele diz rispidamente, levantando da cadeira para ficar na proa do iate. Eu olho para o mar, ouvindo sua conversa com Ros – eu acho – sua número dois.

Eu sou rica... Muito rica. E eu não fiz absolutamente nada para ganhar esse dinheiro... Apenas me casei com um homem rico. Eu me arrepio quando me lembro de nossa conversa sobre acordo pré-nupcial. Foi um domingo após seu aniversário, e estávamos sentados na mesa da cozinha, tomando café da manhã... Todos nós. Elliot, Miley, Denise e eu estávamos decidindo se bacon era melhor que salsinha, enquanto Paul e Joseph estavam lendo o jornal de domingo...

flashback on

— Olhe isso, diz Mia enquanto coloca seu netbook na mesa da cozinha de frente para nós.
— Tem uma notícia sobre você estar noivo, nesse site de fofocas Seattle Nooz.

— Já? — Denise diz surpresa. Então ela enruga sua boca, quando alguns óbvios pensamentos desagradáveis passem por sua mente.

Joseph enruga a testa. Mia lê a notícia para todos ouvirem.

— Chegou aos nossos ouvidos que um dos solteiros mais cobiçados de Seattle, Joseph Jonas, finalmente foi flagrado e os sinos de casamento estão no ar. Mas quem é essa sortuda? O Nooz está na caçada. Aposto que ela está lendo o acordo pré-nupcial.

Mia ri e então para abruptamente quando Joseph olha para ela. O silencio se espalha e o clima na cozinha dos Jonas esfria. Oh, não! Um acordo pré-nupcial? Isso nunca passou pela minha cabeça. Eu engulo seco, sentindo todo o sangue sumir do meu rosto. Por favor, chão, me engula agora. Joseph se move inconfortavelmente em sua cadeira enquanto eu o encaro apreensivamente.

— Não, — ele fala pra mim.

— Joseph, — Paul diz gentilmente.

— Eu não vou discutir isso novamente, — ele diz rispidamente para Paul que me olha nervosamente e abre a boca para dizer alguma coisa.

— Sem acordo pré-nupcial! — Joseph quase grita e brutalmente volta a ler seus papéis, ignorando todo mundo que estava na mesa. Eles olham alternadamente para mim e para ele... então para qualquer lugar menos para nós dois.

— Joseph, — eu murmuro.
— Eu assino qualquer coisa que você e o Sr. Jonas quiserem. — Bem, não seria a primeira vez que ele me faz assinar algo. Joseph olha pra cima e me encara.

— Não! — Ele diz rispidamente. Eu coro mais uma vez.

— É para proteger você.

— Joe, Demi. Eu acho que vocês não deveriam discutir isso em público. — Denise nos adverte. Ela olha para Paul e Mia. Oh, merda, parece que eles estão com problemas também.

— Demi, isso não é sobre você, — Paul murmura firmemente.
— E, por favor, me chame de Paul.

Joseph encara seu pai friamente e meu coração se aperta. Merda...Ele está mesmo bravo. Subitamente todo mundo começa a conversar animadamente, e Mia e Miley se levantam para limpar a mesa.

— Eu definitivamente prefiro salsicha, — exclama Elliot.

Eu olho pros meus dedos cruzados. Merda. Eu espero que o Sr. e Sra. Jonas não pensem que sou uma espécie de aproveitadora. Joseph pega minha mão gentilmente e junta com as suas.

— Pare.

Como ele sabe o que estou pensando?

— Ignore meu pai, — Joseph diz de modo que só eu posso ouvi-lo.
— Ele está realmente chateado sobre Elena. Eles estão jogando tudo isso em mim. Eu queria que minha mãe tivesse ficado quieta.

Eu sei que Joseph está remoendo sua “conversa” da noite anterior com Paul sobre Elena.

— Ele tem razão, Joseph. Você é muito rico, e eu não estou trazendo nada pro nosso casamento além de dívidas da faculdade.

Joseph me encara seriamente.

— Demetria, se você me deixar, pode também levar tudo. Você já me deixou uma vez. Eu sei como é. Puta merda.

— Aquilo foi diferente, — eu suspiro, movida por sua intensidade.
— Mas... Você pode querer me deixar. — O pensamento me deixa enjoada.

Ele bufa e balança sua cabeça com o pensamento desagradável.

— Joseph, você sabe que posso fazer algo excepcionalmente estúpido, e você... — Eu olho para minhas mãos entrelaçadas, a dor me consumindo, e sou incapaz de terminar a frase. Perder Joseph... merda.

— Pare. Pare agora. Essa discussão está acabada, Demi. Nós não vamos mais discutir isso. Sem acordo pré-nupcial. Nem agora, nem nunca. — Ele me dá um olhar do tipo desista agora, o que me silencia. Então se vira para Denise.

— Mãe, — ele diz. 
— Podemos nos casar aqui?


               E ele não mencionou isso novamente. Na verdade, em toda oportunidade ele tentou me tranquilizar sobre sua riqueza... Que é minha, também. Eu tremo só de lembrar da ida às compras que Joseph exigiu que eu fosse com Caroline Acton, a profissional em compras da Niemans, em preparação para esta lua de mel. Somente meu biquíni custou 540 dólares. Quero dizer, é um biquíni ótimo, mas, realmente, é uma quantia ridícula de dinheiro para apenas quatro pedaços triangulares de pano.

flashback off

— Você vai se acostumar com isso, — Joseph interrompe meu devaneio enquanto retoma seu lugar na mesa.

— Acostumar-me com isso?

— Com o dinheiro, — ele diz, revirando os olhos.

Oh, Cinqüenta, talvez com o tempo. Eu empurro o pequeno prato com amendoim salgado e castanha de caju em sua direção.

— Nozes, senhor, — eu digo, com a cara mais natural que posso fazer, tentando trazer um pouco de humor para nossa conversa depois dos pensamentos obscuros que tive e a gafe do meu biquíni. Ele sorri.

— Sou louco por você. — Ele pega um amendoim, seus olhos brilhando com o humor de meu sarcasmo.

Ele lambe os lábios.

— Beba. Vamos para cama.

O quê?

— Beba, — ele diz para mim, seus olhos escurecendo.

                Oh Deus, o jeito que ele olha pra mim poderia ser o único culpado pelo aquecimento global. Pego meu gin e tomo, sem tirar os olhos dele. Sua boca se abre e consigo enxergar a ponta de sua língua entre os dentes. Ele sorri lascivamente para mim. Em um movimento gracioso, ele se levanta e se inclina sobre mim, descansando as mãos nos braços da minha cadeira.

— Vou fazer disso um exemplo. Venha. Não faça xixi, — ele suspira em meu ouvido.


Eu suspiro. Não faça xixi? Rude. Meu subconsciente folheia o livro – Obras Completas de Charles Dickens, Vol. 1 – alarmado.

— Não é o que você pensa. — Joseph sorri, estendendo sua mão para mim.
— Confie em mim. — Ele parece tão sexy e genial. Como eu posso resistir?

— Tudo bem. — Eu coloco minha mão na sua, porque eu simplesmente confiaria minha vida a ele. O que ele planejou exatamente? Meu coração começa a bater mais rápido em antecipação.


               Ele me leva através da plataforma e pelas portas até o portal principal, ao longo de um estreito corredor, e pela sala de jantar até descermos as escadas para a cabine máster principal. A cabine fora limpa esta manhã, e a cama fora feita. É um cômodo agradável. Com dois vigias (de barco) nos dois lados da porta, é elegantemente decorado com móveis escuros e paredes de cor creme, o mobiliário em ouro e vermelho. Joseph solta minha mão, tira a camiseta e joga em uma cadeira. Deixa os chinelos e remove seus shorts com um movimento gracioso. Oh meu. Será que nunca vou me casar de vê-lo nu? Ele é absolutamente lindo e todo meu. Sua pele brilha, ele está bronzeado, seu cabelo está maior, caindo sobre a testa. Eu sou muito, muito sortuda. Ele agarra meu queixo, puxando para que eu pare de morder meus lábios e corre seu polegar ao longo do meu lábio inferior.

— Assim é melhor. — Ele se vira e alcança o armário enorme que abriga suas roupas. Ele pega dois pares de algemas e uma máscara na gaveta de baixo.

Algemas! Nós nunca usamos algemas. Olho rapidamente e nervosamente a cama. Onde diabos ele vai prender isso? Ele se vira e olha fixamente para mim, seus olhos escuros e iluminados.

— Isto pode ser um pouco doloroso. Eles podem machucar a pele se você puxar muito. — Ele segura um par.
— Mas eu realmente quero usá-las em você agora.

Puta merda. Minha boca fica seca.

— Aqui. — Ele se inclina graciosamente para frente e me entrega um par.
— Você quer tentar primeiro?

Elas parecem sólidas, o metal frio. Sinceramente, eu espero nunca usar um par dessas de verdade.

Joseph me observa intensamente.

— Onde estão as chaves? — Minha voz hesitante.

Ele abre a palma de sua mão, revelando uma pequena chave metálica.

— Ela abre os dois pares. Na verdade, todas elas.

Quantas algemas será que ele tem? Eu nunca as vi. Ele acaricia meu rosto com seu dedo indicador, arrastando-o para a minha boca. Ele inclina-se, como se fosse me beijar.

— Você quer jogar? — Ele diz, em voz baixa, e meu corpo se arrepia em desejo.

— Sim, — eu respiro. Ele sorri.

— Bom. — Ele me dá um beijo suave na testa.
— Nós vamos precisar de uma palavra de segurança.

O quê?

— Pare não será suficiente porque provavelmente você vai dizer isso, mas você não vai realmente querer isso. — Ele roça o seu nariz no meu, o único contato entre nós.

Meu coração pulsa rapidamente. Merda... Como ele pode fazer isso comigo com apenas algumas palavras?

— Não vai doer. Vai ser intenso. Muito intenso, porque eu não vou deixa-la se mexer. Ok?.

Oh meu. Isso é tão sexy. Minha respiração está alta. Porra, eu já estou ofegante. Minha deusa interior está usando paetês e está se aquecendo para dançar rumba. Graças à Deus eu sou casada com esse homem, caso contrário, isso seria muito embaraçoso. Meus olhos olham para baixo, em sua animação.

— Ok. — Minha voz é quase inaudível.

— Escolha uma palavra, Demi.

Oh...

— Uma palavra de segurança, — ele diz suavemente.

— Picolé. — Eu digo, corando.

— Picolé? — Ele diz, divertido.

— Sim.

Ele sorri e se inclina para me encarar.

— Escolha interessante. Levante seus braços. 

Eu faço o que diz, e Joseph agarra a barra de meu vestido de verão, o levanta até minha cabeça e joga-o no chão. Ele estende sua mão e eu o devolvo as algemas. Ele coloca os dois pares na mesa de cabeceira junto com a venda para os olhos e tira a colcha da cama, jogando-a no chão.

— Vire de costas.

Eu me viro e ele tira a parte de cima de meu biquíni, e ela cai no chão.

— Amanhã, eu vou grampear isso em você, — ele murmura e puxa meu prendedor de cabelo, deixando-o solto. Ele junta todo meu cabelo em uma mão e puxa gentilmente, me fazendo dar um passo para trás em sua direção. Contra seu peito. Contra sua ereção. Eu suspiro e ele puxa minha cabeça para um lado e beija meu pescoço.

— Você foi muito desobediente, — ele murmura em meu ouvido, enviando deliciosos arrepios em meu corpo.

— Sim, — eu suspiro.

— Hmm. O que faremos sobre isso?

— Aprender a conviver com isso, — eu respiro. Seus beijos macios estão me deixando louca. Ele sorri contra o meu pescoço.

— Ah, Sra. Jonas. Você é muito otimista.

Ele enrijece. Pegando meu cabelo, ele delicadamente o reparte em três mechas e as trança lentamente e prende no final. Ele puxa minha trança e suavemente se inclina para o meu ouvido.

— Eu vou te ensinar uma lição, — ele murmura.

Movendo-se subitamente, ele me agarra pela cintura, senta-se na cama e me puxa em seu joelho, de forma que eu sinto sua ereção contra minha barriga. Ele bate forte em meu traseiro. Eu grito, e então estou de costas na cama e ele está olhando para mim, os olhos cinza queimando. E eu vou entrar em combustão.

— Você tem idéia de como é linda? — Ele arrasta as pontas dos dedos até minha coxa, fazendo cócegas... em todos os lugares. Sem tirar os olhos de mim, ele se levanta da cama e pega os dois pares de algemas. Ele agarra minha perna esquerda e encaixa uma das algemas em meu tornozelo. Oh! Levantando minha perna direita, ele repete o processo, de modo que eu tenho um par de algemas em cada um de meus tornozelos. Eu ainda não tenho ideia de onde vai prendê-las.

— Sente-se, — ele ordena, e eu cumpro imediatamente.

— Agora abrace seus joelhos.

Eu pisco para ele e puxo minhas pernas de modo que elas estão dobradas em frente de mim e coloco meus braços em torno delas. Ele se abaixa, levanta meu queixo e me dá beijos macios em meus lábios antes de colocar a venda sobre meus olhos. Eu não vejo nada, e tudo que posso ouvir é a minha respiração rápida e o som da água batendo contra as laterais do iate enquanto este flutua sobre o mar. Oh meu. Eu já estou tão excitada.

—Qual é a palavra de segurança, Demetria?

— Picolé.

— Bom. — Tomando minha mão, ele coloca uma das algemas em meu pulso e repete o processo com o meu pulso direito. Minha mão esquerda está presa ao meu tornozelo esquerdo, e minha mão direita está presa ao meu tornozelo direito. Eu não consigo esticar minha perna. Puta merda.

— Agora, — Joseph respira.
— Eu vou te foder até você gritar.

O quê? Todo o meu ar deixa o meu corpo.

Ele agarra meus saltos, e me inclina de volta, de modo que eu caio de costas na cama. Eu não tenho escolha a não ser continuar com minha perna dobrada. As algemas machucam quando eu puxo meus pulsos contra elas. Ele está certo... Elas machucam até quase doer... Isso é estranho, ser amarrada e vulnerável em um barco. Ele separa meus tornozelos, e eu gemo. Ele beija dentro de minha coxa, e eu quero me contorcer embaixo dele, mas eu não posso. Eu não consigo mexer meus quadris. Meus pés estão suspensos no ar. Eu não consigo me mexer. Puta merda.

— Você vai ter que absorver todo o prazer, Demetria. Sem se mover, — ele murmura enquanto se rasteja até meu corpo, me beijando na borda do biquíni. Ele puxa as cordas de cada lado, e o resto do biquíni cai. Eu estou agora pelada e à sua mercê. Ele beija minha barriga, beliscando meu umbigo com os dentes.

— Ah, — eu suspiro. Isso vai ser difícil... Eu não tinha ideia. Ele percorre meus seios com beijos macios e pequenas mordidas.

— Shhhh... — ele me acalma.
— Você é tão linda, Demi.

Eu gemo, frustrada. Normalmente eu estaria movendo meus quadris, respondendo ao seu toque com meu próprio ritmo, mas eu não posso me mexer. Eu gemo, puxando minhas algemas. O metal puxa minha pele.

— Argh! — Eu choro. Mas eu realmente não ligo.

— Você me deixa louco, — ele sussurra.
 — Então vou te deixar louca também. — Ele está deitado em mim agora, sustentando seu peso em seus cotovelos, e ele volta a sua atenção aos meus seios. Mordendo, chupando, rolando meus mamilos entre seus dedos, me levando ao êxtase. Ele não para. É enlouquecedor. Oh. Por favor. Sua ereção se empurra contra mim.

— Joseph, — eu imploro e sinto seu sorriso triunfante contra minha pele.

— Eu deveria fazer você gozar assim? — Ele murmura contra meu mamilo, fazendo esse se endurecer ainda mais.
— Você sabe que eu posso. — Ele chupa forte meu mamilo e eu gemo, prazer indo do meu peito até o meu sexo. Eu puxo vulneravelmente as algemas, inundada pela sensação.

— Sim, — eu choramingo.

— Oh baby, assim seria muito fácil.

— Oh, por favor.

— Shh. — Seus dentes mordem meu queixo enquanto ele arrasta seus lábios a minha boca e eu suspiro. Ele me beija. Sua língua hábil invade minha boca, me degustando, e explorando, me dominando, mas minha língua encontra seu desafio, contorcendo-se à sua. Ele tem gosto de gin e Joseph Jonas, e tem cheiro de mar. Ele agarra meu queixo, segurando minha cabeça.

— Parada, baby. Eu quero você parada, — ele sussurra contra minha boca.

— Eu quero te ver.

— Oh, não, Demi. Vai ser mais intenso desse jeito. — E agonizantemente devagar ele flexiona seus quadris e empurra contra mim. Eu inclinaria minha pélvis em encontro à dele, mas não posso me mexer. Ele retira.

— Ah! Joseph, por favor!

— Novamente? — Ele brinca, sua voz rouca.

— Joseph!

Ele lentamente se empurra contra mim novamente e para enquanto me beija, seus dedos girando meus mamilos. É um prazer insuportável.

— Não!

— Você me quer, Demetria?

— Sim, — eu imploro.

— Fale, — ele murmura, sua respiração ofegante, e ele brinca comigo mais uma vez, dentro... E fora.

— Eu quero você, — eu choramingo.
— Por favor.

Eu ouço seu suave suspiro contra meu ouvido.

— E você me terá, Demetria.

Ele levanta-se e me bate. Eu grito, inclinando a cabeça em minhas costas, puxando as algemas enquanto ele me bate em meu sexo, e a sensação está intensamente me inundando, por toda parte, uma doce agonia, e eu não posso me mover. Ele entra profundamente em mim, e o movimento irradia dentro de mim.

— Porque você me desafia, Demi?

— Joseph, para...

Ele circula dentro de mim novamente, ignorando meu apelo, indo lentamente pra fora, e me preenchendo novamente.

— Diga-me. Por quê? — Ele sussurra, e eu percebo que ele fala entre dentes. Eu gemo incoerentemente... Isso é demais.

— Me diga.

— Joseph...

— Demi, eu preciso saber.

Ele bate em mim novamente, empurrando tão profundo, e eu estou construindo... o sentimento é tão intenso - em pântanos, uma espiral de fora pra dentro da minha barriga, para cada membro, para cada restrição de metal cortante.

—Eu não sei! — eu grito.
 — Porque eu posso! Porque eu te amo! Por favor, Joseph.


Ele geme alto e empurra fundo, de novo e de novo, e eu estou perdida, tentando absorver o prazer. É alucinante... Corpo soprando... Eu tento esticar minhas pernas, para controlar o orgasmo eminente, mas não consigo... Eu sou impotente. Eu sou sua, apenas sua, para fazer o que ele desejar... Lágrimas invadem meus olhos. Isso é muito intenso. Eu não posso o impedir. Eu não quero o impedir... Eu quero... Eu quero... Oh não, oh não... Isso é muito...

— Isso — Joseph geme.
— Sinta, baby!


                Eu explodo contra ele, de novo e de novo, rodando e rodando, gritando alto, enquanto o meu orgasmo me rasga ao meio, queimando em mim como um fogo descontrolado, consumindo tudo. Eu me contorço, com lágrimas escorrendo pelo meu rosto, meu corpo pulsando e tremendo. Eu estou consciente que Joseph se ajoelha, ainda dentro de mim, puxando-me para seu colo. Ele agarra minha cabeça com uma mão, e minhas costas com outra, e ele entra violentamente dentro de mim, enquanto minhas entranhas continuam a tremer, em orgasmos secundários. É desgastante, é cansativo, é um inferno... É o céu. Joseph retira a venda e me beija. Beija meus olhos, meu nariz, minhas bochechas. Ele beija minhas lágrimas, segurando meu rosto entre suas mãos.

— Eu te amo, Sra, Jonas, — ele respira.
— Mesmo que me deixe tão bravo, eu me sinto tão vivo com você. — Eu não tenho energia para abrir meus olhos, ou responder. Gentilmente, ele me deita na cama e sai de mim.



               Eu falo algo em protesto. Ele sai da cama e tira as algemas. Quando estou livre, ele esfrega gentilmente meus pulsos e tornozelos, depois deita ao meu lado, me envolvendo com seus braços. Eu estico minhas pernas. Oh meu, isso é muito bom. Eu me sinto bem. Esse foi, sem dúvida, o orgasmo mais intenso que eu já tive. Hmm... Sexo de punição do Cinqüenta sombras de Joseph Jonas. Eu tenho que me comportar mal mais vezes. Minha bexiga cheia me acorda. Quando abro meus olhos, estou desorientada. Está escuro lá fora. Onde estou? Londres? Paris? Oh – o barco. Eu sinto seu passo e ouço o zumbido tranqüilo de motores. Estamos em movimento. Que estranho. Joseph está ao meu lado, trabalhando em seu laptop, vestindo informalmente com uma roupa branca, seus pés descalços. Seu cabelo ainda está molhado, e eu posso sentir o cheiro de sabonete do seu banho, e seu cheiro de Joseph... Hmm.

— Oi, — ele murmura, olhando pra mim, seus olhos quentes.

— Oi. — Sorrio, me sentindo subitamente tímida.
— Por quanto tempo eu dormi?

— Uma hora, mais ou menos.

— Estamos nos movendo?

— Eu percebi que desde que comemos noite passada e fomos para o balé e para o Cassino que gostaria de jantar no barco hoje à noite. Uma noite quieta a dois.

Eu sorrio para ele.

— Onde estamos indo?

— Cannes.

— Ok — eu me espreguiço, me sentindo rígida. Nenhum treinamento com Claude poderia me preparar para essa tarde.

Eu me levanto lentamente, precisando ir ao banheiro. Agarrando meu robe, eu rapidamente o coloco. Por que sou tão tímida? Eu sinto os olhos de Joseph em mim. Quando eu olho para ele, ele retorna para seu laptop, com a testa franzida. Quando eu distraidamente lavo minhas mãos, me lembrando da noite passada no Cassino, meu robe cai aberto. Eu olho para mim mesma no espelho, chocada. Puta merda! O que ele fez em mim?



Comentem...

O que será que o Joe fez? Gostaram do design do blog, está dando pra entender? Leram a sinopse né? rs Comentem bastante que tentoo postar amanhã ou só na segunda :)

34 comentários:

  1. Jonas no comando e Demi adoraaa kkk' Amei esse capitulo foi... quente! Quero saber o que o Joe fez pra ela! Ele marcou ela? (chupão) ou ficou as marcas das algemas? Ansiosa e curiosa!! Bem eu li a sinopse e ela me eixou bem intrigada e eu amei o novo design do blog! Perfeito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá bem obvio o que ele fez né? kkk

      Obrigada por comentar, daqui a pouco tem cap

      Excluir
  2. Esse Joseph é tão imprevisível, deixa a Demi louquinha, socorro que capitulo maravilhoso.
    Se eu tiver q esperar até segunda pra saber o que ele fez, eu acho que morro.

    Eu sou meio lesada e ainda estou com o design antigo na mente porém consigo me achar, não é tão difícil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que tenha se acostumado, desculpa a demora posto hoje

      Excluir
  3. Ele marcou ela com chupãooo, pra ela nao tirar a roupa, pq ninguém pode ve-la só ele kkkkkk posta logo ta lindoooooooooo

    ResponderExcluir
  4. kkkkkkkkk pensei o mesmo que as meninas de cima ... deve ser VARIOOOOOOS chupões pelo corpo , tipo assim, "Quero ver vc de biquini agora, ou sem ele né ..." kkkk bem a cara do Joe hsuahsuahs

    possssssssta logoooo, pelo amor de deus e por mim tbm !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim... são várias marcas, posto hoje sem falta

      Excluir
  5. Posta logoooooooooooooo
    Aaaaaaaaaaate que fim eu comentei de novo!
    Preguiça acabou comigo mais eu comentei kkkk

    ResponderExcluir
  6. kkkkk o mais provavel é o chupão, ele com certeza quis mostrar que ela é dele, coisas de Joseph.. estou amando
    bjo Ane

    ResponderExcluir
  7. Genteeeeeeeeeeeeeeeeee :o Esses dois tem um jeito de fazer as pazes qe eu vou te contar viu kkkkkkk
    A Sra. Jonas deve estar cheia de marcas deixadas pelo seu querido maridinho kkkkkkkk pelo visto biquini nem pensar kkkkkkk Amei o capitulo e ja quero ver a reação dela no proximo kkkk
    Bjos - Marina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essas reconciliações são as melhores...

      São marcas sim, posto hoje bjs

      Excluir
  8. Próximo por favor!Amo o jeito que eles fazem as pazes haha

    ResponderExcluir
  9. Posta logo, por favooor!! Nova leito,ra comecei a dois dias e já to aqui kkkk viciei, essa fic é tão perfeita :3

    ResponderExcluir
  10. posta logo, to muito curiosa para saber o que ele fez com ela. posta logo por favor bjs esta incrivelmente perfeito =D

    ResponderExcluir
  11. Gennnnnnte, não aguento mais esperar, ta tão perfeito *_*. Também acho que são vários xupões pra ela nunca mais fazer topless HAHAHHAHA, esse joseph!

    ResponderExcluir
  12. ESSE CAPITULO MEU DEUS!
    FUI AS ALTURAS LDJKLSJDKLSJDSKDJKLSJ
    POSTA LOGO LUMA, HOJE N VOU COMENTAR MUITA COISA AQUI POR QUE TO SUUUUPER SEM TEMPO. MAS POSTA, PQ EU N CONSIGO VIVER SEM ESSA FIC LÇDSKÇLDKSL
    BEIJOS

    ResponderExcluir
  13. perfeito poste logo
    poderia divulgar minha nova historia?

    chama-se A esposa perfeita http://jemimegeradomada.blogspot.com.br/

    obrigada !!:)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. suas postagens não estão atualizando meu anjo :(

      Excluir
  14. EU QUERO UM NOVO CAPITULO!! Ansiosa para o próximo!!

    ResponderExcluir
  15. EU PRECISO DO PRÓXIMO CAPITULO!!! Isso já é maldade com a gente :(

    ResponderExcluir
  16. AHHHH!!!! QUANDO VOCE VAI POSTAR MAIS?????
    ( MUITO ANCIOOOOOOSSAA!!!! )

    ResponderExcluir
  17. LUMA CADÊ VC? ACHO QUE JÁ TEM 4 DIAS QUE VOCÊ N POSTA E EU VOU FICAR DOIDA!!!!! N ME DEIXE CURIOSA SLKJDSKLJD BJS

    ResponderExcluir