quarta-feira, 28 de agosto de 2013

cap.07- 3ª temporada (4/4)

Gatonas, capítulo dedicado a Jemi Lovato, parabéns (novamente) obrigada por comentar :D
Entrem aqui "protagonistas" eu adicionei informações sobre a vida da Demi, o jeito de ser dela e do Joe.. Leiam de novo, ajuda a compreender certas coisas da fic

----------------------------------------------------------------------------------------


Joseph está quieto quando eu entro no carro à noite.

— Oi, — eu murmuro.

— Oi, — ele responde, cautelosamente, como ele deveria.

— Invadiu o trabalho de mais alguém hoje? —Eu pergunto docemente. Uma sombra de um sorriso aparece em seu rosto.

— Só o do Flynn.

Oh.

— Da próxima vez que você for vê-lo, eu te darei uma lista de tópicos que eu quero que seja discutido, — eu sibilo para ele.

— Você parece fora de série, Sra. Jonas.

Eu olho rapidamente para as cabeças de Ryan e Sawyer na minha frente. Joseph se move ao meu lado.

— Hey, — ele diz calmo e procura a minha mão.

A tarde toda, enquanto eu deveria estar concentrada no trabalho eu estava tentando descobrir o que dizer para ele. Mas eu fui ficando cada vez mais brava com o passar do tempo. Eu já tive o bastante do seu comportamento improvisado, petulante e francamente infantil. Eu puxo a minha mão da dele, de uma maneira improvisada, petulante e infantil.

— Você está brava comigo? — Ele sussurra.

— Sim, — eu respondo.

Envolvendo os meus braços em torno do meu corpo, eu olho pela janela. Ele se mexe ao meu lado mais uma vez, mas eu ainda não olho para ele. Eu não entendo porque estou tão brava com ele, mas eu estou. Realmente muito brava. Assim que chegamos ao Escala, eu quebro o protocolo e saio do carro com a minha pasta. Eu entro no prédio, sem olhar para ver que está me seguindo. Ryan entra no saguão atrás de mim e corre para o elevador para apertar o botão.

— O que? — Eu sibilo quando olho para ele. Suas bochechas ficam vermelhas.

— Desculpa senhora, — ele balbucia.

Joseph chega e para ao meu lado para esperar pelo elevador, e Ryan recua.

— Então não é só comigo que você está brava? — Joseph diz de forma seca. Eu olho para ele e vejo um traço de humor no seu rosto.

— Você está rindo de mim? — Eu estreito os meus olhos.

— Eu não me atreveria, — ele diz, levantando as suas mãos como se eu estivesse o ameaçando com uma arma. Ele está com o seu terno azul marinho parecendo fresco e limpo com o seu cabelo de sexo bagunçado e olhar inocente.

— Você precisa de um corte de cabelo, — eu resmungo. Virando contra ele, eu entro no elevador.

— Preciso? — Ele pergunta, enquanto tira o cabelo da testa. Ele me segue.

— Sim. — Eu digito o código do nosso apartamento no painel.

— Então agora você está falando comigo?

— O necessário.

— Porque exatamente você está brava? Eu preciso de uma dica, — ele pergunta com cuidado.

Eu me viro e olho para ele.

— Você realmente não tem nenhuma ideia? Sinceramente, para alguém tão brilhante, você deve ter uma suspeita? Eu não posso acreditar que você seja tão estúpido.

Ele dá um alarmado passo atrás.

— Você está realmente brava. Eu pensei que nós tivéssemos resolvido tudo isso no seu escritório, — ele murmura, perplexo.

— Joseph, eu só me rendi às suas ordens petulantes. Só isso.

A porta do elevador abre e eu arranco para fora. Taylor está parado na entrada. Ele dá um passo para trás e rapidamente fecha a boca conforme eu passo por ele.

— Oi Taylor, — eu digo.

— Sra. Jonas, — ele responde.

Eu deixo a minha pasta na entrada e vou pra sala principal. Sra Jones está no fogão.

— Boa noite, Sra. Jonas.

— Oi, Sra. Jones, — eu murmuro mais uma vez. Eu vou direto para a geladeira e pego uma garrafa de vinho branco. Joseph me segue na cozinha e me olha enquanto eu pego um copo do armário. Ele retira o paletó e coloca casualmente sobre a bancada.

— Você quer uma bebida? — Eu pergunto super docemente.

— Não, obrigado, — ele diz, sem tirar os olhos de mim, e eu sei que ele está perdido.

Ele não sabe o que fazer comigo. De um lado é cômico e de outro trágico. Bem, ele que se dane! Eu estou tendo problemas buscando a minha auto-compaixão desde a nossa reunião essa tarde. Vagarosamente ele tira a gravata e abre o primeiro botão da sua camisa. Eu me sirvo com um copo grande de sauvignon branco, e Joseph passa a mão pelos cabelos. Quando eu me viro, a Sra. Jones desapareceu. Droga! Ela é o meu escudo humano. Eu tomo um gole de vinho. Hmm. O gosto é bom.

— Pare com isso, — ele balbucia. Ele dá dois passos entre nós, parando na minha frente. Gentilmente, ele coloca uma mecha de cabelo atrás da minha orelha e acaricia o meu lóbulo com a ponta dos dedos, enviando um arrepio por todo o meu corpo. É isso o que eu senti falta o dia todo? O seu toque? Eu balanço a minha cabeça, fazendo-o soltar a minha orelha e olho diretamente para ele.

— Fale comigo, — ele murmura.

— Qual é o ponto? Você não me ouve.

— Sim, eu escuto. Você é uma das poucas pessoas a quem eu escuto.

Eu tomo outro gole de vinho.

Isso é sobre o seu nome?

— Sim e não. É sobre como você lida com o fato de eu discordar de você. — Eu olho para ele, esperando-o ficar nervoso.

Ele franze as sobrancelhas.

— Demi, você sabe que eu tenho... problemas. É difícil para eu ir onde é a causa. Você sabe disso.

— Mas eu não sou uma criança, e eu não sou uma propriedade.

— Eu sei, — ele assente.

— Então pare de me tratar como se eu fosse, — eu suspiro, implorando a ele.

Ele passa seus dedos pela minha bochecha e leva a ponta do dedo para o meu lábio inferior.

— Não fique brava. Você é tão preciosa para mim. Como uma propriedade sem preço, como uma criança, — ele sussurra, com uma sombria e reverente expressão no seu rosto. Suas palavras me distraem. Como uma criança. Preciosa como uma criança... Uma criança seria preciosa para ele!

— Eu não sou nenhuma dessas coisas, Joseph. Eu sou sua esposa. E se você ficou ferido porque eu não iria adotar o seu nome, você deveria ter me dito.

— Machuca? — Ele franze os olhos, e eu sei que ele está explorando a possibilidade em sua mente. Ele se endireita de repente, ainda com os olhos franzidos e olha rapidamente para o relógio no pulso.

— A arquiteta estará aqui em aproximadamente uma hora. Nós deveríamos comer.

Oh não. Eu gemo. Ele não me respondeu e agora eu tenho que lidar com Gia Matteo. A bosta do meu dia ficou ainda pior. Eu faço uma careta para Joseph.

— Essa discussão não está encerrada, — eu suspiro.

— O que há mais para discutir?

— Você pode vender a empresa.

Joseph bufa.

— Vender?

— Sim.

— Você acha que eu ia achar um comprador no mercado atual?

— Quanto te custou?

— Foi relativamente barato. — Seu tom é reservado.

— Então, e se falir?

Ele sorri.

— Nós iremos sobreviver. Mas eu não deixarei falir, Demetria. Não enquanto você estiver lá.

— E se eu sair?

— E fazer o que?

— Eu não sei. Alguma outra coisa.

— Você já disse uma vez que esse é o emprego dos seus sonhos. E me perdoe se eu estiver errado, mas eu jurei perante Deus, reverendo Walsh e o grupo dos nossos mais próximos e queridos, acalentar você, defender suas esperanças e sonhos, e mantê-la segura ao meu lado.

— Citar os nossos votos de casamento para mim não é jogar limpo.

— Eu nunca prometi jogar limpo, pelo que eu me lembro. Além disso, — ele adiciona,
— Você já usou os nossos votos comigo como uma arma antes.

Eu bufo para ele. É verdade.

— Demetria, se você ainda está brava comigo, desconte em mim na cama mais tarde. — Sua voz é de repente baixa e cheia de sensualidade, seus olhos ardendo.

O quê? Cama? Como? Ele sorri da minha cara. Ele espera que eu o amarre? Puta merda! Minha deusa interior retira o seu fone do iPod e começa a escutar com extasiada atenção.

— Sete tons de domingo, — ele murmura.
— Estou ansioso para isso.

Whoa!

— Gail! — Ele grita bruscamente, e quatro segundos depois a Sra. Jones aparece. Onde ela estava? No escritório de Taylor? Escutando? Oh meu Deus.

— Sr. Jonas?

— Nós gostaríamos de comer agora, por favor.

— Muito bem, senhor.

Joseph não tira seus olhos de mim. Ele me olha vigilante como se eu fosse alguma criatura exótica prestes a atacar. Eu tomo um gole do meu vinho.

— Eu acho que irei me juntar a você em uma taça, — ele diz, e passa as mãos pelos cabelos novamente.


...


— Você não vai terminar?

— Não. — Eu olho para o meu prato de fettuccini mal tocado para evitar o olhar de censura de Joseph. Antes que ele diga alguma coisa, eu me levanto e retiro os nossos pratos da mesa.

— Gia estará conosco em um momento, — eu murmuro. A boca de Joseph se curva em uma careta infeliz, mas ele não diz nada.

— Eu cuido disso, Sra. Jonas, — a Sra. Jones diz assim que eu entro na cozinha.

— Obrigada.

— Você não gostou? — Ela pergunta, preocupada.

— Estava bom. Eu só não estou com fome.

Dando-me um sorrisinho simpático, ela vira para limpar o meu prato e colocá-lo na lava-louças.

— Eu vou fazer algumas ligações, — Joseph diz, avaliando-me com o olhar antes de desaparecer no seu escritório.


               Eu deixo escapar um suspiro de alivio e vou para o nosso quarto. O jantar foi estranho. Eu ainda estou brava com Joseph e ele não parece achar que fez algo de errado. Ele fez? Meu subconsciente ergue uma sobrancelha para mim, e me encara benevolente por seus óculos em formato de meia-lua. Sim, ele fez. Ele fez a coisa ficar ainda mais estranha para mim no trabalho. Ele não esperou que nós estivéssemos na privacidade da nossa casa para discutir esse problema. Como ele se sentiria se eu invadisse o seu escritório, estabelecendo uma regra? E além de tudo isso, ele quer me dar a SIP! De que jeito eu irei conduzir uma empresa? Eu sei quase nada de negócios. Eu olho para fora, para o céu de Seattle que está banhado por uma névoa rosa claro perolada. Como sempre, ele quer resolver nossas diferenças no quarto... Hmm... Entrada... Quarto de jogos... Sala de TV... Balcão da cozinha... Pare! Sempre vira sexo com ele. Sexo é o seu mecanismo automático. Ando até o banheiro e olho para o meu reflexo no espelho. Voltar para o mudo real é duro. Conseguimos patinar sobre todas as nossas diferenças enquanto estávamos na nossa bolha porque estávamos tão envolvidos um no outro. Mas agora? Rapidamente eu sou arrastada de volta para o meu casamento, lembrando que as minhas preocupações do dia, casar com pressa... Não, eu não devo pensar assim. Eu sabia que ele era Cinqüenta Tons quando me casei com ele. Eu só tenho que ficar lá e tentar conversar com ele sobre isso. Eu olho de soslaio para mim no espelho. Eu pareço pálida, e agora tenho aquela mulher para lidar. Eu estou usando minha saia lápis cinza e uma blusa sem mangas. Certo! Minha deusa interior pega o seu esmalte vermelho prostituta. Eu abro dois botões, exibindo um pouco de decote. Lavo o meu rosto e então cuidadosamente refaço a minha maquiagem, aplicando um pouco mais de máscara que o normal e colocando mais gloss nos meus lábios. Curvando-se, então eu escovo meu cabelo vigorosamente da raiz para as pontas. Quando termino, meu cabelo é uma névoa castanha em torno de mim que cai nos meus seios. Eu os coloco artisticamente atrás da orelha e saio à procura dos meus saltos, ao invés das rasteiras. Quando eu volto para a sala principal, Joseph tem os projetos da casa espalhados pela mesa de jantar. Ele colocou uma musica para tocar no aparelho de som. Ele me para no caminho.

— Sra. Jonas, — ele diz calorosamente enquanto olha zombeteiro para mim.

— O que é isso? — Eu pergunto. A música é incrível.

— É um réquiem. Você parece diferente, — ele diz, distraído.

— Oh. Eu nunca ouvi antes.

— É bem calma, relaxante, — ele diz e ergue uma sobrancelha.
— Você fez algo com o seu cabelo?

— Escovei, — eu murmuro. Eu sou transportada pelas vozes assombrosas. Abandonando os planos sobre a mesa, ele anda até mim, um leve passeio no tempo da música.

— Dança comigo? — Ele sussurra.

— Isso? É um réquiem. — Eu chio, chocada.

— Sim. — Ele me puxa para os seus braços e me segura, afundando o nariz em meu cabelo e passando gentilmente de um lado para o outro. Ele cheira divinamente como ele mesmo.

Oh... Eu senti tanto a falta dele. Eu envolvo meus braços em volta dele e luto com a vontade de chorar. Porque você é tão irritante?

— Eu odeio brigar com você, — ele sussurra.

— Bem, pare de ser tão estúpido.

Ele ri e o som reverbera através do seu peito. Ele aperta os braços em mim.

— Estúpido?

— Idiota.

— Eu prefiro estúpido.

— Você deveria. Combina com você.

Ele ri mais uma vez e beija o topo da minha cabeça.

— Um réquiem? — Eu murmuro um pouco chocada que estejamos dançando isso. Ele encolhe.
— É somente uma adorável peça de musica, Demi.

Taylor tosse discretamente na entrada, e Joseph me solta.

— Srta. Matteo está aqui, — ele diz.

Oh ótimo!

— Deixe-a entrar, — Joseph diz. Ele estende os braços e aperta as minhas mãos enquanto a Srta. Gia Matteo entra na sala.


continua...
----------------------------------------------------------------------------------------

DEMI COM CIÚMES, ela vai ficar brava... Lembram o que ela fez com Elena quando ficou brava? Quem vai sofrer agora e a Gia, o que será que Demi vai fazer?


divulgação: http://mechamoilusao-fanficjemi.blogspot.com.br/

Obrigada a beatriz carolina pelo selinho <3
comentem, bjs lua!

13 comentários:

  1. Esses dois... sem comentarios. Eu morro de rir em algumas partes nem o pobre segurança ta seguro quando eles começam a discutir.
    Muito obrigada linda. E como sempre esta maravilhoso
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu amo quando eles brigam e a Demi solta uma pérola, tipo da vez que ela chamou o Joe de asno kkk

      Excluir
  2. Nao acredito que fui a primeira...
    Aaaahhh
    Isso é legal

    ResponderExcluir
  3. Vai ser divertido ver a Demi com ciumes de novo hehe
    Joseph é o homem dela, ela tem que mostrar pras outras que ele é propriedade dela, assim como ela é dele.
    Ta maralhoso ok *-* E eu juro que esgano quem disser o contrario kkkk,
    Beijos ><'

    ResponderExcluir
  4. A Demi vai ser totalmente grossa kkkkkk e seca com essa Gia kkk sera q Demi vai bater nela kkkk a nao vejo a hora, posta logoooooo, super anciosa, e dps eles vao resolver tudo na camaaaaa kkkkk postaaaa logo Luua

    ResponderExcluir
  5. Ta perfeito
    Demi e o seu temperamento
    Coitadinho do joe
    Acho que a Demi pode dar mesmo bem
    Posta logo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Temperamento da Demi tá demais rs

      Posto hoje

      Excluir
  6. Quero ver o que a Demi vai fazer kkk' Jonas sempre tentando ir pra cama resolver as coisas! Demi bota moral no Jonas u.u kkkkkk'

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkk existe jeito melhor do que sexo entre eles?

      Excluir
    2. Hummm.. verdade , não existe jeito melhor que esse kkkkkkkkk'

      Excluir