quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Cap.22- 2ª temporada ÚLTIMO (2/3)

— Não ouse me dizer no que estou me metendo! — Eu grito com ela.
— Quando você vai aprender? Não é de sua maldita conta!

Ela olha para mim horrorizada, limpando a bebida pegajosa do rosto. Eu acho que ela está prestes a avançar em mim, mas, de repente, desvia para frente quando a porta se abre. Joseph está em pé na porta. Ele leva um nano segundo para avaliar a situação, eu estou pálida e tremendo, ela está encharcada. Seu adorável rosto escurece e se contorce com raiva, quando ele fica entre nós.

— Que porra você está fazendo, Elena? — Ele diz, sua voz é glacial e atada com ameaça.

Ela pisca para ele.

— Ela não é certa para você, Joseph, — ela sussurra.

— O quê? — Ele grita, assustando a nós duas. Eu não posso ver seu rosto, mas todo o seu corpo está tenso, ele irradia animosidade.

— Como diabos você sabe o que é certo para mim?

— Você tem necessidades, Joseph, — ela diz com sua voz suave.

— Eu já lhe disse antes, isso não é da sua conta, porra, — ele ruge. Oh droga. Joseph está muito irritado, eu nunca o vi tão zangado. As pessoas vão ouvir.

— O que é isso? — Ele faz uma pausa, olhando para ela.
— Quem você acha que é certa para mim? Você? Você acha que é certa para mim? — Sua voz é
mais suave, mas o desprezo pinga, e de repente, eu não quero estar aqui. Eu não quero presenciar esse encontro íntimo. Eu estou me intrometendo. Mas eu estou presa, meus membros se recusam a se mover.
Elena engole e parece aprumar-se na posição vertical. Sua posição muda sutilmente, torna-se mais imponente, e ela dá alguns passos em direção a ele.

— Eu fui a melhor coisa que já aconteceu a você, — ela sussurra para ele arrogantemente.
— Olhe para você agora. Um dos mais ricos e mais bem sucedidos empresários dos EUA, controlado, impulsionado, você não precisa de ninguém. Você é o mestre do seu universo.

Ele dá um passo para trás, como se tivesse sido golpeado e olha para ela com descrença indignada.

— Você adorou isso, Joseph, não tente enganar a si mesmo. Você estava no caminho da auto destruição, eu o salvei, salvei de uma vida atrás das grades. Acredite em mim, querido, é onde você teria acabado. Eu te ensinei tudo o que você sabe, tudo que você precisa.

Joseph ficou branco, olhando para ela com horror. Quando ele falou, sua voz era baixa e incrédula.

— Você me ensinou a foder, Elena. Mas isso está vazio, como você. Não admira que Linc se fosse.

A bile sobe na minha boca. Eu não deveria estar aqui. Mas eu estou congelada no lugar, morbidamente fascinada, enquanto eles estripam um ao outro.

— Você nunca, nenhuma vez, me segurou, — Joseph sussurra. 
—Você nunca disse, uma vez sequer, que você me amava.

Ela estreita os olhos.

— O amor é para os tolos, Joseph.

— Saia da minha casa. — A voz de Denise, furiosa e implacável, nos assusta.


Três cabeças giram rapidamente para onde Denise estava no limiar da sala. Ela está olhando para Elena, que empalidece sob seu bronzeado St. Tropez. O tempo parece suspenso, quando nós coletivamente respiramos fundo, ofegantes, Denise deliberadamente entra no quarto. Seus olhos brilham de fúria, nunca, nenhuma vez deixando Elena, até que ela se coloca diante dela. Os olhos de Elena se ampliam em alarme, e Denise dá um tapa com força no seu rosto, o som do impacto ecoa nas paredes da sala de jantar.

— Tire suas patas imundas do meu filho, sua puta, e saia da minha casa agora! — Ela sussurra por entre dentes cerrados.


Elena fica com as bochechas vermelhas e olha com horror por um momento, chocada e piscando para Denise. Em seguida, ela se apressa a sair da sala, sem se preocupar em fechar a porta atrás dela. Denise gira lentamente para enfrentar Joseph e um tenso silêncio se instala, como um cobertor grosso sobre nós, enquanto Joseph e Denise olham um para o outro. Após um momento, Denise fala.

— Demi, antes de entregá-lo a você, você se importaria de me dar um minuto ou dois a sós com meu filho? — Sua voz é calma, rouca, mas oh, tão forte.

— Claro, — eu sussurro, e saio o mais rápido que posso, olhando ansiosamente por cima do meu ombro.

Mas nenhum deles olha para mim enquanto saio. Eles continuam a olhar um para o outro, a sua comunicação não verbal é desagradavelmente alta. No corredor, estou momentaneamente perdida. Meu coração falseia e meu sangue dispara nas minhas veias... Sinto-me em pânico e saio da minha profundidade. Puta merda, isso foi difícil e agora Denise sabe. Droga. Eu não posso pensar no que ela vai dizer para Joseph, e eu sei que é errado, eu sei, mas eu inclino-me contra a porta tentando escutar.

— Quanto tempo, Joseph? — A voz de Denise é suave. Eu mal posso ouvi-la.

Eu não consigo ouvir sua resposta.

— Quantos anos você tinha? — A voz dela é mais insistente.
— Diga-me. Quantos anos você tinha quando tudo isso começou? — Mais uma vez eu não
posso ouvir Joseph.

— Tudo bem, Demi? — Ros interrompe-me.

— Sim. Bem. Obrigado. Eu...

Ros sorri.

— Eu só vou buscar minha bolsa. Eu preciso de um cigarro.

Por um breve momento, penso em me juntar a ela.

— Eu estou indo para o banheiro. — Eu preciso reunir meu juízo e meus pensamentos, para processar o que eu acabei de testemunhar e ouvir.

               O andar de cima parece o lugar mais seguro para ficar na minha. Eu assisto Ros ir para o estúdio, e eu corro para as escadas, subindo de dois em dois degraus, para o segundo andar, em seguida, até o terceiro. Há apenas um lugar que eu quero estar. Eu abro a porta do quarto de infância de Joseph e fecho-a atrás de mim, respirando forte. Vou para a cama, me deito e fico olhando para o teto branco e liso. Caraca. Isso tem que ser, sem dúvida, um dos confrontos mais torturantes que eu já tive de suportar, e agora me sinto dormente. Meu noivo e sua ex-amante, não candidata a noiva, deveria ver isso. Dito isto, parte de mim está feliz que ela revelou o seu verdadeiro eu, e que eu estivesse lá para testemunhar. Meus pensamentos se voltam para Denise. Pobre Denise, ouvindo tudo isso. Eu agarro uma das almofadas de Joseph. Ela vai ter que ouvir que Joseph e Elena tiveram um caso, mas não a natureza do mesmo. Graças a Deus. Eu gemo.
O que estou fazendo? Talvez a bruxa malvada tivesse um ponto. Não, eu me recuso a acreditar nisso. Ela é tão fria e cruel. Sacudo a cabeça. Ela está errada. Eu sou certa para o Joseph. Eu sou o que ele precisa. E em um momento de lucidez impressionante, eu não questiono como ele viveu sua vida até recentemente, mas o porquê. Suas razões para fazer o que ele fez para inúmeras meninas, eu não quero nem saber quantas. O como não é errado. Elas eram todas adultas. Elas estavam todas - como é que Flynn colocou? - em relações seguras, sãs, consensuais. O por que. O porquê estava errado. O porquê estava no seu lugar de escuridão. Eu fecho meus olhos e boto o braço por cima deles. Mas agora ele mudou, deixou tudo para trás, e ambos estamos na luz. Estou deslumbrada com ele e ele comigo. Podemos guiar um ao outro. Um pensamento que me ocorre. Merda! O pensamento está mordendo, insidioso e eu preciso achar um lugar onde eu possa colocar esse fantasma para descansar. Sento-me. Sim, devo fazer isso. Tremendo levanto-me, tiro os sapatos, vou até a sua mesa, e examino a borda de cima dela. As fotos do jovem Joseph, está tudo ainda lá, mais pungente do que nunca, e eu penso no espetáculo que eu acabara de testemunhar entre ele e a Sra. Robinson. E ali no canto está a foto, pequena, em preto e branco, de sua mãe, a prostituta do crack. Eu ligo a lâmpada da mesa e focalizo a luz na sua imagem. Eu nem sei seu nome. Ela se parece muito com ele, mas mais jovem e mais triste, tudo o que sinto, olhando para seu rosto triste é compaixão. Eu tento ver as semelhanças entre o seu rosto e o meu. Olho fixamente a imagem, ficando muito, muito perto, não vejo nenhuma. Exceto, talvez, nosso cabelo, mas acho que o dela é mais liso do que o meu. Eu não me pareço com ela em nada. É um alívio. Meu subconsciente faz muxoxos para mim, de braços cruzados, olhando sobre os seus óculos de meia-lua. Por que você está se torturando? Você disse que sim. Você fez sua cama. Eu aperto os meus lábios para ela. Sim eu disse, com muito prazer. Eu quero deitar naquela cama com Joseph para o resto da minha vida. Minha deusa interior, sentada na posição de lótus, sorri serenamente. Sim. Eu tomei a decisão certa. Devo encontrá-lo, Joseph vai se preocupar. Eu não tenho ideia de quanto tempo eu estive no quarto dele, ele vai pensar que eu fugi. Reviro os olhos ao contemplar sua reação exagerada. Espero que ele e Denise já tenham terminado. Tremo só de pensar o que mais ela poderia ter dito a ele. Eu encontro Joseph quando ele sobe as escadas para o segundo andar, olhando para mim. Seu rosto está tenso e cansado não é o Cinquenta despreocupado com quem cheguei. Quando eu estou no patamar, ele para no topo da escada de modo que estamos olhos nos olhos.

— Oi, — ele diz com cautela.

— Oi, — eu respondo com cautela.

— Eu estava preocupado...

— Eu sei, — eu o interrompo.
— Me desculpe, eu não poderia enfrentar as festividades. Eu só tinha que sair, você sabe. Para pensar. — Me aproximando, acaricio o seu rosto. Ele fecha os olhos e inclina o rosto na minha mão.

— E você pensou que você faria isso no meu quarto?

— Sim.

Ele pega a minha mão e me puxa para um abraço, eu vou de bom grado para os seus braços, o meu lugar favorito em todo o mundo. Ele tem cheiro de roupa fresca, corpo lavado, o perfume de Joseph é o mais poderoso calmante e excitante do planeta. Ele inala com o nariz no meu cabelo.

— Sinto muito que você tenha que ter passado por tudo isso.

— Não é culpa sua, Joseph. Por que ela estava aqui? — Ele olha para mim, e sua boca se enrola se desculpando.

— Ela é uma amiga da família.

Eu tento não reagir.

— Não mais. Como está sua mãe?

— Mamãe está muito zangada comigo agora. Estou muito feliz por você estar aqui, e que estamos no meio de uma festa. Caso contrário, eu poderia estar respirando pela última vez.

— É tão ruim, hein?

Ele balança a cabeça, com os olhos sérios, e eu sinto sua perplexidade com a reação dela.

— Você pode culpá-la? — Minha voz é calma, persuadindo.

Ele me abraça com força e ele parece incerto, processando seus pensamentos.

Finalmente, ele responde.

— Não.

Uau! Importante descoberta.

— Podemos sentar? — Eu pergunto.

— Claro. Aqui?

Concordo com a cabeça e nos sentamos no topo das escadas.

— Então, como você se sente? — Pergunto, ansiosamente segurando sua mão e olhando para seu rosto triste e sério.

Ele suspira.

 Eu me sinto liberto. — Ele encolhe os ombros, em seguida, sorri,

Joseph dá um glorioso sorriso despreocupado, o cansaço e a tensão de poucos momentos atrás desapareceram.

— Sério? — Eu sorrio de volta. Uau, eu rastejaria sobre cacos de vidro por aquele sorriso.

— As nossas relações comerciais estão acabadas. 

Feito. Eu franzo a testa para ele.

— Você vai fechar o negócio de salão?

Ele bufa.

— Eu não sou tão vingativo, Demetria, — ele me adverte.
— Não. Vou presenteá-lo para ela. Vou falar com meu advogado segunda-feira. Devo-lhe muito.

Eu arqueio uma sobrancelha para ele.

— Não há mais a Sra. Robinson? — Sua boca se torce divertida e ele balança a cabeça.

— Acabou.

Eu sorrio.

— Sinto muito que você tenha perdido uma amiga.

Ele encolhe os ombros, em seguida, sorri.

— Você sente?

— Não, — eu confesso, corando.

— Venha. — Ele levanta-se e oferece-me a mão.
— Vamos participar da festa em nossa homenagem. Eu poderia até ficar bêbado.

— Você já ficou bêbado? — Eu pergunto, enquanto pego a sua mão.

— Não desde que eu era um adolescente selvagem. — Nós descemos as escadas.

— Você já comeu? — Ele pergunta.

Oh droga.

— Não.

— Bem, você deveria. Pela aparência e cheiro de Elena, foi um dos coquetéis letais de meu pai que você jogou sobre ela. — Ele olha para mim, tentando e não conseguindo manter a diversão de seu rosto.

— Joseph, Eu...

Ele levanta sua mão.

— Sem argumento, Demetria. Se vai beber, e jogar álcool sobre as minhas ex-namoradas, você precisa comer. É a regra número um. Eu acredito que nós já tivemos essa discussão depois da nossa primeira noite juntos.

Ah, sim. No Heathman.

De volta ao corredor, ele faz uma pausa para acariciar o meu rosto, deslizando os dedos pela minha mandíbula.

— Eu fiquei acordado por horas, assistindo você dormir, — ele murmura.
— Eu acho que te amei desde então.

Oh.

Ele se inclina e beija-me suavemente, e eu me derreto toda, toda a tensão da última hora, aproximadamente, se escoa languidamente do meu corpo.

— Comer, — ele sussurra.

— Ok, — eu concordo, porque agora eu provavelmente faria qualquer coisa por ele. Pegando minha mão, ele me leva para a cozinha onde a festa está em pleno andamento.

— Boa noite, John, Rhian.

— Parabéns mais uma vez, Demi. Vocês dois vão ficar bem. — Dr. Flynn sorri gentilmente para nós, em pé, de braço dado no corredor enquanto ele e Rhian se despedem.

— Boa noite.

Joseph fecha a porta e balança a cabeça. Ele olha para mim, os olhos de repente, brilhantes de excitação.
O que é isso?

— Assim que a família se for. Acho que minha mãe vai ter muito que beber.

 Denise vai cantar karaokê em algum console de videogame no quarto da família.

Miley e Mia estão apostando algum dinheiro nisso.

— Você pode culpá-la? — Eu sorrio para ele, tentando manter a atmosfera de luz entre nós. Eu fui bem sucedida.

— Você está rindo de mim, Srta. Lovato?

— Eu estou.

— Este foi um dia e tanto.

— Joseph, recentemente, todos os dias com você foram um dia e tanto. — Minha voz é sarcástica.

Ele balança a cabeça.

— É um ponto bem feito, Srta. Lovato. Venha, eu quero te mostrar uma coisa. — Tomando minha mão, ele me leva através da casa para a cozinha, onde Paul, Ethan e Elliot estão falando sobre os Mariners, bebendo o último dos coquetéis e comendo as sobras.

— Fora para um passeio? — Elliot provoca sugestivamente, quando nós fazemos o nosso caminho através das portas francesas. Joseph ignora-o. Paul faz uma carranca para Elliot, balançando a cabeça em uma repreensão silenciosa.

Nós fazemos o nosso caminho até o gramado, eu tiro os sapatos. A meia-lua brilha sobre a baía. É brilhante, lançando toda uma infinidade de tons de cinza, com o brilho das luzes de Seattle docemente à distância. As luzes da garagem de barcos estão ligadas, um farol brilhante e suave no elenco legal da lua.

— Joseph, eu gostaria de ir à igreja amanhã.

— Ah?

— Eu rezei para que você voltasse vivo e você voltou. É o mínimo que eu posso fazer.

— Ok.

Nós passeamos de mãos dadas em um silêncio relaxado por alguns momentos. Então, algo me ocorre.

— Onde você vai colocar as fotos que José tirou de mim?

— Eu pensei que poderíamos colocá-las na casa nova.

— Você comprou a casa?

Ele para e olha para mim, sua voz está cheia de preocupação.

— Sim. Eu pensei que você tinha gostado da casa.

— Eu gostei. Quando foi que você comprou?

— Ontem de manhã. Agora precisamos decidir o que fazer com ela, — ele murmura, aliviado.

— Não vamos derrubá-la. Por favor. É uma casa tão linda. Ela só precisa de algum carinho.

Joseph olha para em mim e sorri.

— Ok. Vou falar com Elliot. Ele conhece uma boa arquiteta, ela fez alguns trabalhos em minha casa de Aspen. Ela pode fazer a remodelação.

Eu fungo, de repente, lembrando da última vez que atravessamos o gramado sob o luar, para a garagem de barcos. Oh, talvez isso é o que vamos fazer agora. Eu sorrio.

— O quê?

— Eu me lembro da última vez que você me levou para a casa de barcos.

Joseph ri baixinho.

— Oh, isso foi divertido. De fato... —De repente, ele para e pega-me por cima do ombro, eu grito, mas não temos muito a percorrer.

— Você estava com muita raiva, se bem me lembro, — me engasgo.

— Demetria, eu sempre estou realmente irritado.

— Não, você não está sempre.

Ele esmaga o meu traseiro contra a porta de madeira. Ele desliza-me para baixo, por seu corpo, de volta ao chão, ele pega a minha cabeça entre as suas mãos.

— Não, não mais. — Inclinada para baixo, ele me beija, duro.

              Quando ele se afasta, eu estou ofegante e o desejo está correndo em volta do meu corpo. Ele olha para mim, e no brilho do raio de luz vindo de dentro da garagem de barcos, eu posso ver que ele está ansioso. Meu homem ansioso, não um cavaleiro branco ou um cavaleiro das trevas, mas um homem, um homem fodidamente lindo, a quem eu amo. Eu me aproximo e acaricio o seu rosto, correndo os dedos por suas costeletas e ao longo de sua mandíbula até o queixo, em seguida, deixo o meu dedo indicador tocar os seus lábios. Ele relaxa.

— Eu tenho algo para lhe mostrar aqui, — ele murmura e abre a porta.

As luzes duras das lâmpadas fluorescentes iluminam o impressionante motor no banco na doca, balançando suavemente sobre a água escura. Há um barco ao lado dele.

— Venha. — Joseph pega a minha mão e me leva até as escadas de madeira. Abrindo a porta no topo, ele fica de lado para me deixar entrar.

Minha boca cai no chão. O sótão está irreconhecível. A sala está cheia de flores... há flores por toda parte. Alguém criou um cenário mágico de belas flores selvagens, misturadas com luzes de fadas brilhantes e lanternas em miniatura, que dá um brilho suave e pálido na sala. Meu rosto gira para ver o seu, ele está olhando para mim, sua expressão é ilegível. Ele encolhe os ombros.

— Você queria corações e flores, — ele murmura.

Eu pisco para ele, sem acreditar muito no que estou vendo.

— Você tem meu coração. — E ele acena em direção ao quarto.
— E aqui estão as flores, — eu sussurro, completando a frase.
— Joseph, é adorável. — Eu não consigo pensar em mais o que dizer. Meu coração está na minha boca, enquanto as lágrimas picam os meus olhos.

Apertando a minha mão, ele me puxa para o quarto, e antes que eu perceba, ele está afundando em um joelho na minha frente. Céus... Eu não esperava isso! Eu paro de respirar. Do bolso interior do casaco, ele retira um anel e olha para mim, com os brilhantes olhos cinzentos, cheios de emoção.

— Demetria Devonne Lovato. Eu te amo. Eu quero amar, cuidar e proteger você pelo resto da minha vida. Seja minha. Para sempre. Partilhe a sua vida comigo. Case-se comigo.

Eu pisco para ele, enquanto as minhas lágrimas caem. Meu Cinquenta, meu homem. Eu o amo tanto, tudo que eu posso dizer com a onda de emoção que me arrebata é:

— Sim.

Ele sorri, aliviado, e lentamente desliza o anel no meu dedo. É lindo, um diamante oval em um anel de platina. Puxa, ele é grande... Grande, mas oh tão simples e deslumbrante na sua simplicidade.

— Oh, Joseph, — eu choro, de repente, sobrecarregada de alegria, e eu me ajoelho com ele, meus dedos enrolaram em seu cabelo quando eu o beijo, beijo com todo meu coração e alma.

Beijo esse homem lindo, que me ama, assim como eu o amo, e quando ele envolve seus braços em volta de mim, suas mãos se movendo para o meu cabelo, sua boca na minha. Eu sei, no fundo de mim, sempre
serei sua e ele sempre será meu. Nós viemos de tão longe juntos, por enquanto temos o momento presente, mas fomos feitos um para o outro. Nós estamos destinados a ser um do outro.





Continua......

QUEM GOSTOU DO QUE A DENISE FEZ COM ELENA?
Comentários respondidos, tá acabandooooo :( Minhas aulas voltam segunda, vai ser complicado de postar... mas eu faço um esforço!!! Último capítulo amanhã, e depois do último capítulo... dou uma pausa de 1 semana no máximo, pra arrumar o blog etc... alguma pergunta meninas? Comentem bastante, amanhã ou sábado, posto o último!

28 comentários:

  1. perfeito,eu achei bem feito o que a denise fez com a elena.eu achei bem feito também o que a demi fez com ela no capitulo anterior,que lindo o joseph pediu oficialmente a mão da demi .eu amei este capitulo. bjss por favor posta logo,eu amo esta fic.

    ResponderExcluir
  2. EU ACHO QUE CHOREI.

    Nossa essa parte do "você queria corações e flores" fodeu com o meu emocional sério, meus olhos estão ardendo.

    Só quero ver agora a dona Denise. Mas bem que Elena mereceu cachorra dos infernos.

    O que vai ter no ultimo ultimo mesmo? OH MEU DEUS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. essa parte foi a mais linda :((

      Vou postar logo logo, ai vocês descobrem bjs

      Excluir
  3. Não acredito que vc vai nos fazer esperar até amanhã Lua... amei o cap e eu na quero que acabe NUNCA mais essa fic!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. diskfn desculpa, o proximo não vai ser "jemi" então tecnicamente esse foi o último..

      Excluir
  4. QUE PERFEITO QUE PERFFEITO!!! Isso foi realmente muito fofo, estava realmente desejando pro isso!" Você tem meu coração... E aqui estão as flores" O que foi isso? Mais perfeito que tudo <3 Ele pedindo ela em casamento (da maneira certa) foi a coisa mais linda do mundo, e eu realmente imaginei a Demi e o Joe nessa cena, você não tem noção do quanto isso significa pra mim. Muito obrigada mesmo <3 Ai, nem sei como te agradecer :') Eu simplismente... amei!
    PS: Pela primeira vez, aqui, eu chamei ele de Joe e não de Jonas kkk' e quando eu chamei ele assim eu estava realmente pensando no Joe... e na Demi. <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. + Amanhã talvez eu não comente nada aqui, vou está na escola fazendo trabalho e não tem hora pra voltar kkk' se chegar cedo comento , senão só no próximo! Só avisando kkkk xx <3333

      Excluir
    2. Obrigada por comentar, fico feliz em ter feito vocês realmente imaginar jemi...
      Esse pedido foi realmente muito lindo, mas jemi ainda precisa enfrentar várias coisas....

      Tudo bem, não se preocupe com comentários rs obrigada por gostar da história

      Excluir
  5. Amo barraco ta perfeito

    ResponderExcluir
  6. Aaa te amo Denise, aiiii que lindo Joseph, caraca muito perfeito, choreiii.
    Ai tenta postar amanha, vou ficar mt curiosaa, po ta perfeito, gracas a Deus nao tem mais Elena .
    Ai sem palavras, pra esse capitulo, essa 2°temporada foi muito perfeita como a 1°

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elena não vai parar por ai....

      Obrigada por comentar sempre s2

      Excluir
    2. hahaha isso deixaremos pra saber na terceira temporada

      Excluir
  7. Haha dona Denise virou o bicho gente :o Tbm quem mandou a louca ir mexer cm a nora e cm o filho dela de uma vez só né kkkkkk Mas eu to cm medo do qe essa mulher vai aprontar, ela não vai deixar isso barato nunquinha na vida !!
    Boooooooooooooom agora falemos do pedido , genteeeee *---* nao sabia se ria , chorava ou gritava , qe pedido de casamento mais perfeito foi esse ?? A parte qe ele fla do coração ai qe a pessoa aqui surtou de vez mesmo :D
    Qe cap cheio de emoçoes né menina :o , pelo qe vejo o proximo é hot né ??
    Bjos - Marina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vai deixar mesmo, elena ainda vai causar muito.

      Esse pedido foi maravilhoso né?

      Não o próximo é uma dica do futuro jemi...

      Excluir
  8. PARA TUDO!!! ESSE CAPITULO FOI O MELHOR, UM DOS MELHORES, AI MEU DEUS, EU NEM SEI MAIS POR QUE TODOS QUE VOCÊ POSTA SÃO PERFEITOS! <3
    To no chão com o que a Denise fez com a Elena, isso mesmo, eu super apoio. lkdslçk
    "— Você tem meu coração.
    — E aqui estão as flores"
    Você quer me matar com isso? E esse pedido de casamento? Meu deus, que lindo, sem palavras.
    Vendo assim da uma saudade de jemi na vida real né? </3
    Lua posta logo ou se não eu vou ter um troço, beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também amei esse capítulo...

      Denise é demais!!!

      Esse pedido foi lindo né?

      Vou postar hj

      Excluir
  9. Gente e verdade que o joe ta noivo da blanda ??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lua voce disse que ano que vem vai prestar o vestibular entao voce tem 17 anos ?

      Excluir
  10. palmas para a Denise adorei o que ela fez com a Elena, estou aos prantos sobre o coração e as flores Joseph romantico é tão lindo, chorei junto com a Demetria.
    rumores que Joe e Blanda estou noivos e Demi e o Valdesgrassa por assim dizer estão usando um anel ha um tempo que possa ser apenas de compromisso ou noivado, esses rumores aka nojo LOL.. por favor não demora para postar a nova season obg.
    bjo Ane

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Denise >>>>>>>>

      hahha rumores, rumores, rumores... se for verdade ou não a gente n pode mudar né? hahaha :(

      Excluir
  11. oi, desculpa me intrometer mas....
    você poderia divulgar pra mim:
    http://minifics-jemi.blogspot.com.br/
    agradeço desde já :D
    Posta logo!!

    ResponderExcluir