terça-feira, 3 de setembro de 2013

cap.08- 3ª temporada (3/4) hot

Ele libera meu queixo e sua mão se move para o meu joelho. Ele desliza suavemente para cima da minha perna, levantando minha saia e roçando sobre minha pele, me fazendo formigar. Seus lábios trilham beijos suaves a partir da base de meu ouvido ao longo da minha mandíbula.

— Oh, o que eu devo fazer para você? — Ele sussurra. Seus dedos param em cima de minha meia.
— Eu gosto disso, — ele diz.

Ele passa um dedo pela abertura da meia e a desliza em torno da minha coxa. Eu suspiro e contorço-me uma vez mais em seu colo.  Ele geme, baixo em sua garganta.

— Se eu vou te foder em sete tons de domingo, eu quero que você fique quieta. 

— Me faça, — eu desafio, a minha voz suave e ofegante.

Joseph inala bruscamente. Ele aperta os olhos e me encara com uma expressão quente.

— Oh, Sra. Jonas. Você só tem que pedir. — Suas mãos se movem de minha meia até minha calcinha. — Vamos tirar isso aqui de você. — Ele puxa suavemente e eu me contorço para ajuda-lo. Sua respiração sibila por entre os dentes como eu.

— Fique quieta, — ele resmunga.

— Eu estou apenas ajudando, — eu resmungo, e ele aproveita que meu lábio inferior esteja caído, e o morde suavemente.

— Quieta, — ele rosna.

Ele desliza minha calcinha pelas minhas pernas e as tira. Puxando minha saia para cima de forma que esteja embolada em torno de meus quadris, ele move as duas mãos na minha cintura e me levanta. Ele ainda tem a minha calcinha na mão.

— Sente. Monte em mim, — ele ordena olhando fixamente em meus olhos. Eu sento em cima dele e o encaro provocativamente. Pode vir, Cinqüenta!

— Sra. Jonas, — avisa
— você está me provocando? — Ele olha para mim, divertido, mas excitado. É uma combinação sedutora.

— Sim. O que você vai fazer sobre isso? 

Seus olhos brilham de alegria com o meu desafio, e eu sinto sua excitação debaixo de mim.

— Segure suas mãos atrás das costas.

Oh! Eu faço obedientemente e ele, habilmente prende meus pulsos com minha calcinha.

— Minha calcinha? Sr. Jonas, você não tem vergonha, — eu digo.

— Não quando você entra no meio, Sra. Jonas, mas você sabe disso. — Seu olhar é intenso e quente.

Pondo as mãos na minha cintura, ele me coloca um pouco mais para trás em seu colo. A água ainda escorre de seu pescoço e cai sobre seu peito. Eu quero me curvar e lamber as gotas, mas é difícil agora que estou presa.  Joseph acaricia minhas coxas e desliza as mãos até os joelhos. Gentilmente ele os empurra ainda mais afastados um do outro, e abre suas próprias pernas, me equilibrando em seu colo. Seus dedos se movem para os botões de minha blusa.

— Eu não acho que precisamos disso, — ele diz.

Ele começa metodicamente desfazendo cada botão da minha blusa agarrada e molhada, seus olhos nunca deixando os meus. Eles ficam mais e mais escuros enquanto ele termina a tarefa. Meu pulso acelera e minha respiração é baixa. Eu não posso acreditar que, ele mal me tocou e eu me sinto quente... pronta. Eu quero me contorcer. Ele deixa minha blusa úmida aberta e, usando as duas mãos, ele acaricia meu rosto com seus dedos, seu polegar passando suavemente sobre meu lábio inferior. De repente, ele empurra seu polegar em minha boca.

— Chupe, — ele ordena em um sussurro, destacando o “ch”. Eu fecho minha boca em volta dele e faço o que pede.

Oh... eu gosto desse jogo. Ele tem um gosto bom. O que mais eu gosto de chupar? Os músculos de minha barriga apertam com o pensamento. Seus lábios se partem quando eu raspo os dentes e mordo a parte macia de meu polegar. Ele geme e lentamente extrai o polegar molhado da minha boca e o arrasta pelo meu queixo, na minha garganta, sobre o meu esterno. Ele o leva para o bojo de meu sutiã, e o coloca para baixo, liberando meu peito. O olhar de Joseph nunca deixa o meu. Ele está observando cada reação que seu toque me provoca, e eu estou olhando para ele. É sexy. Consumidor. Possessivo. Eu amo isso. Ele faz o mesmo com a outra mão, para que ambos os meus seios estejam livres e, os segura suavemente, ele desliza cada polegar sobre um mamilo, circulando-o lentamente, fazendo os endurecer e estender sobre seu toque hábil. Eu tento, eu realmente tento não me mover, mas meus mamilos estão provocando um formigamento em minha virilha, então eu lamento e jogo minha cabeça para trás, fechando os olhos e me entregando a essa doce, doce tortura.

— Shh, — a voz doce de Joseph está sincronizada com o ritmo de seus dedos perversos.

— Quieta, bebê, quieta. — Liberando um dos seios, ele coloca sua mão na minha nuca. Inclinando-se para frente, ele pega meu mamilo e o suga com força, seu cabelo molhado me fazendo cócegas. Ao mesmo tempo, interrompe o seu polegar roçando meu outro mamilo. Em vez disso, ele o leva entre o meu indicador e meu polegar e os torce suavemente.

— Ah! Joseph! — Eu gemo e me movo em seu colo. Mas ele não para. Ele continua com a lenta, doce agonia. Meu corpo está queimando com o prazer se tornando um tom mais escuro.

— Joseph, por favor, — eu choramingo.

— Hmm,— ele cantarola baixo em seu peito.
— Eu quero que você goze assim. —  Meu mamilo tem uma breve pausa enquanto suas palavras acariciam minha pele, e é como se ele chamasse uma profunda, sombria parte do meu psicológico que só ele conhece.

Quando ele recomeça, com dentes dessa vez, o prazer é quase intolerável. Gemendo alto, me contorço em seu colo, tentando achar alguma preciosa fricção contra suas calças. Eu puxo inutilmente meu pulsos contra as minhas algemas, louca para tocá-lo, mas estou perdida, perdida em sua traiçoeira sensação.

— Por favor, — eu sussurro, implorando, e o prazer passa pelo meu corpo, do meu pescoço até minhas pernas, meus dedos, apertando tudo em seu rastro.

— Você tem belos seios, Demi, — ele geme.
— Um dia eu vou fode-los. 

O que diabos isso significa? Abrindo os olhos, eu o observo enquanto ele me chupa, minha pele cantando debaixo de seu toque. Eu já não sinto minha blusa molhada, seu cabelo molhado... nada, exceto o que está queimando dentro de mim. E queima deliciosamente quente e devagar, dentro de mim, e todo pensamento evapora enquanto meu corpo aperta e aperta... pronto, alcançando... ansiando pela liberação. E ele não para de provoca-lo me deixando louca. Eu quero... eu quero...

— Deixe ir, — ele respira, e eu deixo, meu orgasmo convulsionando através de meu corpo, e ele para sua doce tortura e envolve seus braços em torno de mim, segurando-me a ele enquanto meu corpo gira no meu clímax. Quando eu abro meus olhos, ele está olhando para mim, e eu descanso contra seu peito.

— Deus, eu amo ver você gozar, Demi. — Sua voz é cheia de admiração.

— Isso foi... — Faltam-me palavras.

— Eu sei. — Ele se inclina e me beija, a mão ainda em minha nuca, me deixando parada, dobrando a cabeça para que ele possa me beijar profundamente, com amor, com reverência.

Eu estou perdida em seu beijo. Ele se afasta para respirar, com os olhos cor de uma tempestade tropical.

— Agora eu vou te foder, duro — ele murmura.

Puta merda. Me agarrando pela cintura, ele me levanta de suas coxas até a borda de seus joelhos e atinge com a mão direita o botão do cós de suas calças navy. Ele corre os dedos de sua mão esquerda para cima e para baixo da minha coxa, parando no começo de minhas meias a cada vez. Ele está me observando atentamente. Nós estamos cara a cara, e estou indefesa amarrada em meu sutiã e minha calcinha, e isso tem que ser um dos momentos mais íntimos que já tivemos, eu sentada em seu colo, olhando seus lindos olhos cinzentos. Isso faz-me sentir desejada, mas também conectada a ele, eu não estou envergonhada ou tímida. Esse é Joseph, meu marido, meu amante, meu super protetor megalomaníaco, meu Cinqüenta e o amor da minha vida. Ele pega seu zíper, e minha boca fica seca quando sua ereção se liberta.

Ele sorri.

— Você gosta? — Ele sussurra.

— Hmm, — eu murmuro apreciativamente. Ele envolve a mão em torno de si e move para cima e para baixo... Oh meu. Eu olho para ele através de meus cílios. Foda-se, ele é tão sexy.

— Você está mordendo seu lábio, Sra. Jonas. 

— Isso é porque eu estou com fome. 

— Com fome? — Sua boca se abre em surpresa, e seus olhos se arregalam um pouco.

— Hmm... — Eu concordo e lambo os lábios.

Ele me dá seu sorriso enigmático e morde o lábio inferior enquanto continua se tocar. Porque a visão do meu marido dando prazer a ele mesmo é tão excitante?

— Entendo. Você deveria ter comido o seu jantar. — Seu tom é irônico e de censura.
— Mas talvez eu possa te obrigar. — Ele coloca as mãos na minha cintura.
— Fique de pé, — ele diz suavemente, e eu sei o que ele vai fazer. Eu fico de pé, minhas pernas não mais tremendo.

— Ajoelhe-se.

Eu o obedeço e me ajoelho no chão frio de azulejo do banheiro. Ele desliza para frente sobre o assento da cadeira.

— Beije-me, — ele pronuncia, segurando sua ereção.

Eu olho para ele, e ele dirige sua língua sobre os dentes superiores. É excitante, muito excitante, ver seu prazer, seu nu desejo por mim e pela minha boca. Inclinando-se para frente, meus olhos no seu, eu beijo a ponta de sua ereção. Eu o vejo inalar profundamente e cerrar os dentes. Joseph inclina a cabeça e eu corro minha língua pela ponta, provando seu sexo. Hmm... ele é gostoso. Sua boca cai aberta ainda mais quando ele suspira e eu o ataco, puxando-o na minha boca e chupando forte.

— Ah — O ar sibila por entre seus dentes e ele flexiona os quadris para frente, enfiando-o em minha boca.

Mas eu não paro. Revisto meus dentes atrás de meus lábios, eu empurro para baixo e, em seguida, para cima. Ele move as duas mãos para que ele segure minha cabeça, enterrando seus dedos em meu cabelo e lentamente se move dentro e fora de minha boca, sua respiração acelerando, crescendo. Eu rodo minha língua ao redor de sua ponta, e empurro para baixo de novo.

— Jesus, Demi. — Ele suspira e aperta seus olhos. Ele está perdido e é inebriante sua resposta a mim. A mim. Minha deusa interior poderia iluminar Escala, de tão emocionada. E muito lentamente eu volto meus lábios ao normal, libertando meus dentes.

— Ah! — Joseph para de se mover. Inclinando-se para frente, ele me agarra e me coloca em seu colo.

— Basta! — Ele rosna.

Alcançando minhas mãos, ele as liberta de minha calcinha. Eu flexiono os pulsos e encaro através de meus cílios os olhos escaldantes que me encaram com amor e luxúria. E eu percebo que sou eu que quero o foder em sete tons de domingo. Eu o quero muito. Eu quero o ver gozando dentro de mim. Eu agarro sua ereção e o encaro. Colocando minha outra mão em seu ombro, gentil e lentamente, eu me coloco em cima dele. Ele faz um ruído gutural selvagem do fundo de sua garganta e, me alcançando, puxa minha blusa, deixando-a cair no chão. Suas mãos se movem para meus quadris.

— Quieta, — ele murmura, suas mãos me apertando.
— Por favor, deixe-me saborear isso. Saborear você. 

Eu paro. Oh meu... é tão bom senti-lo dentro de mim. Ele acaricia o meu rosto, seus olhos arregalados e selvagens, seus lábios se separando quando respira. Ele se flexiona embaixo de mim, e eu gemo, fechando meus olhos.

— Este é o meu lugar favorito, — ele sussurra.
— Dentro de você. Dentro da minha esposa.

Oh merda. Joseph. Eu não posso segurar isso. Meus dedos deslizam em seu cabelo molhado, meus lábios procuram os seus, e eu começo a me mover. Para cima e para baixo, saboreando-o, saboreando-me. Ele geme alto, e suas mãos estão em meu cabelo e em minhas costas, e sua língua invade minha boca avidamente. Após nossa discussão hoje, minha frustração com ele, sua comigo, ainda temos isso. Nós sempre teremos isso. Eu o amo muito, é quase irresistível. Suas mãos vão para meu traseiro, e ele me controla, me movendo para cima e para baixo, de novo e de novo, no seu ritmo.

— Ah, — eu gemo impotente em sua boca.

— Sim. Sim, Demi — ele sibila, e eu beijo seu rosto, sua bochecha, sua mandíbula, seu pescoço.
— Bebê, — ele respira.

— Oh, Joseph, eu te amo. Eu vou sempre te amar. — Estou sem fôlego, querendo que ele saiba, querendo que ele não se esqueça de mim depois de nossa discussão de hoje.

Ele geme alto e envolve seus braços em volta de mim firmemente enquanto ele goza com um soluço triste e é o suficiente, o suficiente para me empurrar para a beira mais uma vez. Eu agarro meus braço em volta de sua cabeça e gozo em torno dele, as lágrimas brotando em meus olhos porque eu o amo muito.


— Ei,— ele sussurra, inclinando meu queixo para trás e olhando para mim com preocupação tranquila.

— Por que você está chorando? Eu te machuquei? 

— Não, — eu murmuro tranquilizadoramente. Ele tira o cabelo de meu rosto, enxuga uma lágrima solitária com um polegar e ternamente beija meus lábios. Ele ainda está dentro de mim. Ele se move, e eu estremeço quando ele sai de dentro de mim.

— O que há de errado, Demi? Diga-me. 

Eu soluço.

— É que... é que às vezes eu sou oprimida por quanto eu te amo, — eu sussurro.

Depois de um segundo, ele sorri seu sorriso tímido especialmente reservado para mim.

— Você tem o mesmo efeito em mim, — ele sussurra, e me beija mais uma vez. Eu sorrio e minha deusa interior pula de alegria e se espreguiça.

— Eu tenho?

Ele sorri.

— Você sabe que tem.

— Algumas vezes eu sei. Não o tempo todo. 

— O mesmo, Sra. Jonas, — ele sussurra.

Eu sorrio e gentilmente o beijo suavemente sobre o peito. Eu acaricio seu pelo do peito. Joseph acaricia meu cabelo e passa a mão nas minhas costas. Ele tira meu sutiã e puxa a alça para debaixo de um braço. Eu me movo, e ele puxa a outra alça para baixo do outro braço e meu sutiã cai no chão.

— Hmm... Pele sobre pele, — ele murmura apreciativamente e me coloca em seus braços novamente. Ele beija meu ombro e corre o nariz no meu ouvido.

— Você cheira como o céu, Sra. Jonas. 

— Você também, Sr. Jonas. — Eu o acaricio novamente e inalo seu cheiro, que agora está misturado com o perfume inebriante do sexo.

Eu poderia ficar em seus braços assim, satisfeita e feliz, pra sempre. É tudo o que eu preciso depois de um dia cheio de volta ao trabalho. Aqui é onde eu quero estar, e apesar de sua obsessão por controle, sua megalomania, é aqui que eu pertenço. Joseph enterra seu nariz no meu cabelo e inala profundamente. Deixo escapar um suspiro de satisfação, e eu sinto o seu sorriso. E nos sentamos, abraçados ainda, sem dizer nada.

Eventualmente, a realidade volta à tona.

— É tarde, — diz Joseph, seus dedos acariciando minhas costas metodicamente.

— Seu cabelo ainda precisa de um corte. 

Ele ri.

— Precisa mesmo, Sra. Jonas. Você tem energia para terminar o trabalho que você começou?

— Para você, Sr. Jonas, qualquer coisa. — Eu beijo seu peito mais uma vez, e relutantemente fico em pé. 

— Não vá. — Agarrando meus quadris, ele se vira em torno de mim. Ele se endireita e desfaz minha saia, deixando-a cair no chão. Ele segura minha mão enquanto eu tiro minha saia. Agora estou vestida apenas com meias e cinta-liga.

— Você é uma visão muito boa, Sra. Jonas. — Ele senta na cadeira e cruza os braços, dando-me uma avaliação completa e franca.

Eu estendo minhas mãos e giro para ele.

— Deus, eu sou um sortudo filho da puta, — ele diz com admiração.

— Sim, você é. 

Ele sorri.

— Ponha minha camisa para cortar meu cabelo. Desse jeito, você vai me distrair e nós nunca iríamos para a cama.

Eu não consigo evitar um sorriso. Sabendo que ele está observando todos os meus movimentos, eu rebolo até onde deixei meus sapatos e sua camisa. Dobro-me lentamente, alcançando a camisa, a cheirando, hmm, então a coloco.

Os olhos de Joseph estão arregalados. Ele fechou o zíper de sua calça e está me observando atentamente.

— Isso é um belo show, Sra. Jonas. 

— Temos alguma tesoura? — Pergunto inocentemente, batendo meus cílios.

— Meu escritório, — ele diz.

— Eu vou procurar. — Deixando-o, eu entro em nosso quarto e agarro meu pente da mesa antes de ir para seu escritório.

               Quando vou para o corredor principal, eu percebo que a porta do escritório de Taylor está aberta. Sra. Jones está de pé atrás da porta. Eu paro, presa ao chão. Taylor está correndo os dedos pelo seu rosto e sorrindo docemente para ela. Depois ele se inclina e a beija. Puta merda! Taylor e Sra. Jones? Eu pasmo, quer dizer, eu pensei... bem, eu meio que suspeitava. Mas, obviamente, eles estão juntos! Eu coro, me sentindo uma intrusa, e consigo fazer meus pés se movimentarem. Eu vou até a sala grande para o escritório de Joseph. Acendo a luz, e vou para sua mesa. Taylor e Sra. Jones... Uau! Estou em choque. Eu sempre pensei que a Sra. Jones era mais velha que Taylor. Oh, que tenho que pensar sobre isso. Eu abro a gaveta de cima e imediatamente me distraio quando encontro uma arma. Joseph tem uma arma!


____________________________________________________________________

O que a Demi vai fazer com a arma? Gostaram do hot? Aproveitem enquanto tudo está bem,
pois isso não vai durar...... rsrsrsrrs
Comentem...

17 comentários:

  1. aaaai ta muito lindo, e que hot é esse, Jesuuuuus, ai meu Deus o Joseph tem uma arma ???? anciosaaa posta logo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim, ele tem... demi nao vai fazer nada dms rs

      Excluir
  2. nessa casa deles tudo pode acontecer ate taylor e sra.jones quem diria. safadinhos
    capitulo hot,perfeito,lindo demais

    ResponderExcluir
  3. Como assim não vai durar? kkkk' Taylor e Sra. Jones hummm... Que fofo!! Não me surpreenda que o Joe tenha uma arma.. Poderosos sempre tem uma kkkkk' Amei amei ameiii !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, poderosos sempre tem uma...

      posto um hoje

      Excluir
  4. - Falei que ia ter Hot *------* Cara, Jemi continua mais safados que tudo, falei que era falta de JoeJunior, e Lógico que Joe teria uma arma, ele é super mega power rico, precisa se prevenir. Acho que a Demi não vai fazer nada, apenas falar pro Joe o que ela achou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem que vc falou, tai a irritação passou kkk

      Sim, ela n vai fazer nada kkk

      Excluir
  5. SOOCOORROOOO
    QUE HOT PFTO, já tava até sentindo falta de hot kakskakdja, MAIS HOT'S COMO ESSE PF kzksjahahs to muito safa scrr
    lua esse capitulo alem de quente me surpreendeu... Joseph tem uma arma OMG mas é claro, esse homi tem tudo e não ia ter uma arma?!
    então eu acho melhor vc dividir os capitulos assim pq vc ficar sem postar por um dia eu ja tenho um ataque, imagina só se vc postasse uma vez na semana?
    bom essa arma au vai dar problema, mas se tiver briga, todos nos sabemos aonde eles fazem as pazes ksksks dai bigjoe entra em açao kskaks
    beijao lua posta logo
    nanda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ah e taylor e Sr. Jones eu shippei en vou shippar. kskskwkd
      nanda

      Excluir
    2. Socorro, ainda vai ter hot, mas eu dividi os capitulos ai parece que os hots diminuiram, mas é a mesma quantidade kkk....
      a arma da em nada, fica tranquila kkk

      Excluir
    3. Qual vc prefere pra colocar nome de shipper taylor e senhora jones?

      taynes ou joylor? kkkkkk

      Excluir
  6. Ownt *-----* Curti esse romance do Taylor cm a Sra. Jones !! Haha ja estavamos um tempinho sem hot né kkkkk
    Aproveitem enquanto tudo está bem, - Ok , juro que me deu ate medo quando li essa frase garota :O #help
    Ja to ansiosa pra saber o que qe vem por ai :D
    Ta lindo o capitulo , como sempre né dona Lua (:
    Bjos - Marina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkk tava sim, essa fic é a reta final tem mais emoção e tal...

      KKKKKKKKKKKKKKK vai ferrar pra eles, Demi vai descobrir uma coisa e o Joe fica mega assustado :(

      Posto ja ja bjs mari

      Excluir
  7. amei amei ta perfeito
    ai que otimo
    desculpa nap ter postado acho que nem vou conseguir comentar mais desculpa

    ResponderExcluir