quinta-feira, 5 de setembro de 2013

cap.08- 3ª temporada (4/4)

              Um revólver. Puta merda! Eu não tinha ideia de que Joseph tinha uma arma. Eu a pego e verifico o cilindro. Está totalmente carregada, mas está leve... muito leve. Deve ser de fibra de carbono. O que Joseph quer com uma arma? Caramba, eu espero que ele saiba como usá-la. Os sermões eternos de Ray sobre revólveres passam pela minha mente. Seu treinamento de soldado nunca foi esquecido. Isso pode te matar, Demi. Você precisa saber o que está fazendo quando segurar uma arma de fogo. Eu coloco a arma de lado e encontro a tesoura. Guardando a arma, eu corro para Joseph, minha cabeça zumbindo. Taylor e Sra. Jones... o revólver...Na entrada para a sala grande, eu me deparo com Taylor.

— Sra. Jonas, me desculpe. Seu rosto cora assim que vê minha roupa.

— Hmm, Taylor... oi... hmm. Estou cortando o cabelo de Joseph! — Eu digo, envergonhada. Taylor está tão mortificado quanto eu. Ele abre a boca para dizer alguma coisa, mas a fecha rapidamente e fica de lado.

— Depois de você, senhora, — ele diz formalmente. Eu acho que estou da cor do meu antigo Audi. Jesus. Tem como isso ser mais embaraçoso?

— Obrigada, — eu murmuro e vou para o corredor. Merda! Será que um dia vou me acostumar com o fato de que não estamos sozinhos? Eu corro para o banheiro, sem fôlego.

— O que há de errado? — Joseph está de pé em frente ao espelho, segurando meus sapatos. Todas as minhas roupas espalhadas agora estão empilhadas ordenadamente ao lado da pia.

— Eu acabei de esbarrar em Taylor.

— Oh. — Joseph franze a testa.
— Vestida assim.

Oh merda!

— Isso não é culpa de Taylor.

Joseph franze mais a testa.

— Não, mas mesmo assim.

— Eu estou vestida.

— Quase.

— Eu não sei quem ficou mais constrangido, eu ou ele. — Eu tento distrai-lo.
—Você sabia que ele e Gail estão... bem, juntos?

Joseph ri.

— Sim, claro que eu sabia.

— E você nunca me contou?

— Eu pensei que você soubesse, também.

— Não.

— Demi, eles são adultos. Eles vivem debaixo do mesmo teto. Os dois sem compromisso. Os dois atraentes.

Eu coro, me sentindo tola por nunca ter notado.

— Bem, colocando assim... eu pensei que Gail era mais velha que Taylor.

— Ela é, mas não muito. — Ele me encara, perplexo.
— Alguns homens de mulheres mais velhas — e para abruptamente, seus olhos se arregalando.

Eu franzo minha testa para ele.

— Eu sei disso, — eu digo abruptamente.

Joseph parece arrependido. Ele sorri carinhosamente para mim. Sim! Minha técnica de distração funcionou! Meu subconsciente revira os olhos para mim, mas a que custo? Agora a inominável Sra. Robinson está pairando sobre nós.

— Isso me lembra, — ele diz brilhantemente.

— O que? — murmuro petulantemente. Agarrando a cadeira, eu a coloca de frente para o espelho acima das pias.

— Sente-se, — eu ordeno. Joseph me encara com diversão indulgente, mas ele me obedece e senta na cadeira. Eu começo a pentear seus cabelos úmidos.

— Eu estava pensando que nós poderíamos converter os quartos sobre as garagens para eles em nossa nova casa, — Joseph continua.
— Fazer de lá uma casa para eles. Então, talvez, a filha de Taylor poderia ficar com ele mais vezes. — Ele me olha cuidadosamente no espelho.

— Por que ela não fica aqui?

— Taylor nunca me pediu.

— Talvez você devesse oferecer. Mas nós teríamos que nos comportar.

Joseph franze a testa.

— Eu nunca tinha pensado nisso.

— Talvez seja por isso que Taylor nunca pediu. Você já a conheceu?

— Sim. Ela é uma menininha muito doce. Tímida. Muito bonita. Eu pago sua escola.

Oh! Eu paro de pentear e olho para ele no espelho.

— Eu não fazia a menor idéia.

Ele dá de ombros.

— Parecia o mínimo que eu poderia fazer. Além disso, o impede de se demitir.

— Eu tenho certeza que ele gosta de trabalhar para você.

Joseph olha para mim, sem expressão, então dá de ombros.

— Eu não sei.

— Eu acho que ele gosta muito de você, Joseph. — Eu digo enquanto penteio seu cabelo e olho para ele. Seus olhos não deixam os meus.

— Você acha?

— Claro que sim.

Ele bufa um som desdenhoso como se tivesse secretamente satisfeito que seus funcionários possam gostar dele.

— Ótimo. Vai falar com Gia sobre os quartos a mais na garagem?

— Sim, é claro. — Eu não sinto a mesma irritação que eu tinha antes com a menção de sue nome. Meu subconsciente acena sabiamente para mim. Sim... fomos bem hoje. Minha deusa interior regozija. Agora ela vai deixar meu marido sozinho e não fazê-lo desconfortável.

Estou pronta para cortar o cabelo de Joseph.

— Você tem certeza disso? É sua última chance de desistir.

— Faça o seu pior, Sra. Jonas. Eu não preciso olhar pra mim, você que precisa.

Eu sorrio.

— Joseph, eu poderia te observar o dia todo.

Ele balança a cabeça exasperado.

— É apenas um rosto bonito, bebê.

— E por trás disso está um homem muito bonito. — Eu beijo sua têmpora.
— Meu homem.

Ele sorri timidamente.

Levantando a primeira mecha, eu penteio para cima e a seguro entre meu dedo indicador e o médio. Eu coloco o pente em minha boca, pego a tesoura e faço o primeiro corte, um centímetro do comprimento. Joseph fecha os olhos, senta-se como uma estátua, suspirando contente enquanto eu continuo. Ocasionalmente, ele abre os olhos, e eu o pego me observando atentamente. Ele não me toca enquanto eu trabalho, e eu sou grata. Seu toque... me distrai.

Quinze minutos mais tarde, eu termino.

— Pronto. — Estou satisfeita com o resultado. Ele está tão sexy como nunca, seu cabelo também, apenas um pouco mais curto.

Joseph olha para si mesmo no espelho, olhando agradavelmente surpreendido. Ele sorri.

— Ótimo trabalho, Sra. Jonas. — Ele vira a cabeça de lado e coloca seu braço ao redor de mim. Puxando-me para ele, ele me beija.

— Obrigado, — diz ele.

— O prazer é meu. — Eu me curvo e o beijo brevemente.

— É tarde. Cama. — Ele dá um tapa em meu traseiro.

— Ah! Eu deveria limpar aqui. — Há cabelo por todo o chão.

Joseph franze a testa, como se o pensamento nunca tivesse ocorrido a ele.

— Ok, eu vou pegar a vassoura, — ele diz ironicamente.
— Eu não quero que você constranja os funcionários com sua roupa inapropriada.

— Você sabe onde fica a vassoura? — Pergunto inocentemente.

Isso interrompe Joseph.

— Hmm... não.

Eu rio.

— Eu vou.



xxx

              Quando eu subo na cama e espero Joseph se juntar a mim, eu reflito sobre o quão diferente esse dia poderia ter terminado. Eu estava tão brava com ele antes, e ele comigo. Como eu vou lidar com sua bobagem de eu ser dona de uma empresa? Eu não tenho vontade de ter minha própria empresa. Eu não sou como ele. Eu preciso chegar lá por mim mesma. Talvez eu deveria ter uma palavra de segurança pra quando ele está sendo super protetor e dominante, pra quando ele está sendo um idiota. Eu rio. Talvez a palavra de segurança devesse ser idiota. Acho o pensamento muito atraente.

— O que? — Ele diz quando sobe na cama ao meu lado, vestindo apenas as calças de seu pijama.

— Nada, apenas uma idéia.

— Que idéia? — Ele se espreguiça ao meu lado.

Daqui não vai sair nada.

— Joseph, eu não acho que eu quero ter uma empresa.— Ele se apóia sobre os cotovelos e olha para mim.

— Por que você diz isso?

— Porque não é algo que me atraia.

— Você é mais do que capaz, Demetria.

— Eu gosto de ler livros, Joseph. Chefiar uma empresa vai tirar isso de mim.

— Você pode fazer parte do pessoal da criatividade.

Eu franzo a testa.

— Veja, — ele continua,
— Ser dono de uma empresa de sucesso tem tudo a ver sobre abraçar o talento individual que você tem à sua disposição. Se isso é onde seus interesses e talentos estão, então estruture a empresa para isso ser possível. Não rejeite isso logo de cara, Demetria. Você é uma mulher muito capaz. Eu acho que você pode fazer o que quiser, se você se empenhar para isso.

Uau! Como ele pode saber que eu sou tão boa nisso?

— Eu também estou preocupada de que isso vá ocupar muito do meu tempo. —Joseph franze a testa.
— Tempo que eu poderia dedicar a você. — Eu implanto minha arma secreta. Seu olhar escurece.

— Eu sei o que você está fazendo, — ele murmura, divertido.

Droga!

— O que? — Eu finjo inocência.

— Você está tentando me distrair do tema em questão. Você sempre faz isso. Apenas não descarte essa ideia, Demi. Pense sobre isso, é tudo que eu peço. — Ele se inclina e me beija docemente, em seguida desliza o dedo em meu rosto. Essa discussão nunca vai acabar. Eu sorrio para ele, e me lembro de algo que ele disse mais cedo.

— Posso te perguntar uma coisa? — Minha voz é suave, hesitante.

— É claro.

— Hoje cedo, você disse que se eu estava com raiva de você, eu deveria descontar isso na cama. O que você quis dizer com isso?

Ele para.

— O que você acha que eu quis dizer?

Puta merda! Eu deveria apenas dizer a ele de uma vez.

— Que você queria que eu te amarrasse.

Suas sobrancelhas arqueiam com surpresa.

— Hmm... não. Não foi isso que eu quis dizer.

— Oh. — Estou surpresa com a pontada de decepção em minha voz.

— Você quer me amarrar? — Ele pergunta, obviamente lendo minha expressão. Ele parece chocado. Eu coro.

— Bem...

— Demi, eu — ele para, e algo escuro atravessa seu rosto.

— Joseph, — eu sussurro, alarmada.

Eu me movo, de modo que estou ao seu lado, apoiada sobre meu cotovelo como ele. Eu acaricio seu rosto. Seus olhos estão grandes e com medo. Ele balança a cabeça tristemente.

Merda!

— Joseph, pare. Não importa. Eu pensei que era o que você quis dizer. — Ele pega a minha mão e a coloca em seu coração batendo. Porra! O que é isso?

— Demi, eu não sei como me sinto sobre você me tocando se estiver amarrado.— Meu couro cabeludo se arrepia. É como se ele estivesse confessando algo profundo escuro.

— Isso ainda é muito novo. — Sua voz é baixa.

Foda-se. Foi apenas uma pergunta, e eu percebo que ele já fez muito progresso, mas ainda há um longo caminho a percorrer. Oh, Cinqüenta, Cinqüenta, Cinqüenta. Meu coração se aperta de ansiedade. Eu me inclino para ele e ele não se move, mas eu planto um beijo suave no canto de sua boca.

— Joseph, eu me enganei. Por favor, não se preocupe com isso. Por favor, não pense sobre isso. — Eu o beijo. Ele fecha os olhos e retribui, empurrando-me no colchão, com as mãos apertando meu queixo. E logo estamos perdidos... um no outro.




__________________________________________________________________

Ixe, Taylor pegou Demi com pouca roupa, Demi quer amarrar Joe... onde isso vai dar? Elena ta chegando ein.... PREpara que ai vem coisa 

25 comentários:

  1. Perfeiiiitooooo, ai a Elena tq vindo, q merdaaaaaaaa, posta logooooo ta lindp Lua

    ResponderExcluir
  2. aaaaa nao elena de novo, eu mandaria ela catar coquinho e deixar jemi em paz.
    muito bom o capitulo
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu também mandaria ela ir pra pqp viu kkk

      bjs

      Excluir
  3. Que perfeitooo!!! Elena ARGH ô mulher chata ela hein? A vacelena e aquele peste ambulante -.- A filha do Taylor deve ser tão fofinha <33

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. P.S: MAL POSSO ESPERAR PARA O PRÓXIMO!!!

      Excluir
    2. peste ambulante é o melhor kkkkkk

      Excluir
    3. saiu, mas eu amei chamar ele assim só vou chama-lo desse jeito agora! kkkkk' Minha criatividade tava a mil nesse dia que eu dei esse apelido pra ele , só pode kkk'

      Excluir
    4. KKKKKKKKKKK PERCEBI, E AMEI O APELIDO

      Excluir
    5. kkkkkkkk de nada! Amei também!! kkkk

      Excluir
  4. Esse negócio de amarrar o Joe vai ser complicado. Eu vou pegar a arma do Joe e dá um tiro na cara dessa Elena. Huum, a filhinha do Taylor vai começar a frequentar a casa nova de Jemi, assim eles ficam mais empolgados e pode vir um bebê né?! Sra. Jones e Taylor juntos é tipo *-* ! Amando sua fic, agora eu espero o próximo, ah preciso confessar uma coisa: Quando a Demi é amarrada por Joe, eu sinto muito frio na barriga e quando o Joe deu uma "surra" nela com chicote e ela foi embora, eu senti a dor pela Demi. Então assim, se quiser maneirar nessas cenas, eu agradeceria ! KKKKKKKKKKKKKKKKK Mas se quiser continuar também, vou ler do mesmo jeito. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah! Então, no começo da fic eu avisei que o Joe era sadomasoquista, e até que ele melhorou muito por amor a Demi... Se eu mudar o contexto da história acaba, desculpa :(

      Excluir
  5. A neeeeeeeeeeem :x A bruxa dessa mulher de novo nao !! Vixi tenso essa historia de amarrar :o E eu ja to ate ficando cm medo do que vem por ai #heeelp
    Sra. Jonas lerda qe não percebeu o lance do Taylor antes kkkkkkkkkk Achei bacana a ideia do Joee (:
    Bjos - Marina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fica tranquila, o pior ainda tá pra acontecer...
      (fica tranquila é ótimo)

      Bjs ma

      Excluir
  6. capitulo perfeitoo, amei, posta logo bjss.

    ResponderExcluir
  7. amei o capitulo
    posta logo

    ResponderExcluir
  8. por favor posta o proximo capitulo
    porque eu
    estou pirando

    ResponderExcluir
  9. Heyyy quando você vai postar mais????
    Pirando aquuiiii!!!!
    Posta logo por favor!!!

    ResponderExcluir
  10. wool , posta logoo *--* , sua fic é uma das melhores q eu ja li .

    ResponderExcluir