quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Cap. 12- 3° temporada (2\4)

Capitulo 12 (2\4)


Eu acordo num sobressalto, desorientada. Onde eu estou? O quarto de jogos. As luzes ainda estão acesas, suavemente iluminando as paredes vermelho-sangue. Joseph geme de novo, e eu percebo que isso é o que me acordou.
— Não, — ele geme. Ele está deitado ao meu lado, com a cabeça para trás, os olhos apertados, o rosto contorcido de angústia.
Puta merda. Ele está tendo um pesadelo.
— Não! — Ele grita novamente.
— Joseph, acorde. — Eu me esforço para me sentar, chutando o lençol. Ajoelhada ao seu lado, eu agarro seus ombros e o sacudo, enquanto lágrimas surgem em meus olhos.
— Joseph, por favor. Acorde!
Seus olhos se abrem, cinzas e selvagens, suas pupilas dilatadas com medo. Ele olha distraidamente para mim.
— Joseph, você está tendo um pesadelo. Você está em casa. Você está seguro. Ele pisca, olha ao redor freneticamente, e franze a testa enquanto ele assimila o
ambiente. Então, os seus olhos estão de volta nos meus. — Demi, — ele respira, e sem qualquer preâmbulo ele agarra meu rosto com as duas mãos, me puxa para baixo de seu peito, e me beija. Duro. Sua língua invade minha boca, e ele tem um gosto de desespero e necessidade. Mal me dando a chance para respirar, ele rola, os lábios colados aos meus de modo que ele me pressiona no colchão duro. Uma de suas mãos aperta minha mandíbula, a outra se espalha em cima da minha cabeça, me mantendo imóvel enquanto seu joelho separa minhas pernas e ele se aninha, ainda vestido seu jeans, entre as minhas coxas.
— Demi, ele suspira, como se não pudesse acreditar que eu estou lá com ele. Ele olha para mim por uma fração de segundo, permitindo-me um momento para respirar. Em seguida, seus lábios estão nos meus novamente, saqueando minha boca, levando tudo o que tenho para dar. Ele geme alto, flexionando os quadris para mim. Sua ereção revestida pelo jeans empurra minha carne macia. Oh... Eu gemo, e toda a tensão sexual reprimida de antes entra em erupção, ressurgindo como uma vingança, enchendo meu corpo de desejo e
necessidade. Impulsionado por seus demônios, ele desesperadamente beija meu rosto,
meus olhos, minhas bochechas, ao longo da minha mandíbula.
— Eu estou aqui, — sussurro, tentando acalmá-lo, nossas respirações quentes e ofegantes se misturando. Eu envolvo meus braços ao redor de seus ombros, enquanto eu aliso minha pélvis contra a sua em sinal de boas-vindas.
— Oh, Demi, — ele arfa, sua voz áspera e baixa. — Eu preciso de você.
— Eu, também, — sussurro urgente, meu corpo desesperado por seu toque. Eu quero ele. Quero ele agora. Quero curá-lo. Quero me curar... Eu preciso disso. Sua mão se estende para baixo até sua braguilha, mexendo rapidamente, e liberando sua ereção.
Puta merda. Eu estava dormindo menos de um minuto atrás.
Ele muda de posição, olhando para mim por uma fração de segundo, suspenso acima de mim.
— Sim. Por favor, — respiro, minha voz rouca e necessitada. E em um movimento rápido, ele enterra-se dentro de mim.
— Ah! — Eu grito, não de dor, mas de surpresa pelo seu entusiasmo.
Ele geme, e seus lábios encontram os meus novamente, enquanto ele empurra para dentro de mim, mais e mais, sua língua me possuindo, também. Ele se move freneticamente, impulsionado pelo seu medo, sua luxúria, seu desejo, seu amor? Eu não sei, mas eu o aceito, impulso por impulso.
— Demi, — ele rosna quase inarticuladamente, e goza com força, derramando-se em mim, o rosto tenso, seu corpo rígido, antes de ele cair com todo seu peso sobre mim, ofegante, e ele me deixa sufocada... novamente.
Puta merda. Esta não é minha noite. Minha deusa interior está se preparando para estripar a si mesma. Eu o seguro, dando uma golfada de ar e praticamente me contorcendo com a necessidade embaixo dele. Ele me segura por alguns minutos... muitos minutos. Finalmente, ele balança a cabeça e inclina-se sobre os cotovelos, levando o seu peso. Ele olha para mim como se me visse pela primeira vez.
— Oh, Demi. Meu Deus. — Ele se inclina e me beija ternamente.
— Você está bem? — Eu respiro, acariciando seu rosto adorável. Ele acena, mas ele parece abalado e definitivamente mais agitado. Meu pobre menino. Ele franze a testa e olha atentamente dentro dos meus olhos como se, finalmente, registrando onde ele está.
— Você? — Pergunta ele, a preocupação em sua voz.
— Hmm... — Eu me contorço debaixo dele, e depois de um momento ele sorri, um sorriso carnal.
— Sra. Jonas, você tem necessidades, — ele murmura. Ele me beija rapidamente, então corre para fora da cama.
Ajoelhado no chão no final da cama, ele estica os braços e me agarra um pouco acima dos joelhos, puxando-me para ele, de modo que minhas costas ficam na beirada da cama.
— Sente-se, — ele murmura. Luto para conseguir ficar sentada na posição, meu cabelo caindo como um véu em torno de mim, até meus seios. Seu olhar cinza está parado em meus olhos, enquanto ele gentilmente empurra minhas pernas até ficarem tão afastadas quanto eu consigo. Eu me inclino para trás em minhas mãos, sabendo muito bem o que ele vai fazer. Mas... Ele é tão... Hmm...
— Você é bonita pra caralho, Demi, — ele respira, e o vejo mergulhar sua cabeça de cabelos cor de cobre e plantar uma trilha de beijos até minha coxa direita, em direção ao meu norte. Meu corpo inteiro aperta em antecipação. Ele olha para mim, seus olhos escurecendo através dos longos cílios.
— Veja, — ele diz e então sua boca está em mim.
Oh meu. Eu grito como se o mundo estivesse concentrado no ápice das minhas coxas, e é tão erótico vê-lo. Assistindo sua língua contra o que parece ser a parte mais sensível do meu corpo. E ele não tem piedade, provocações e insultos, me adorando. Meu corpo fica rígido e meus braços começam a tremer da tensão de ficar de pé.
— Não... ah, — murmuro. Gentilmente, ele coloca um longo dedo dentro de mim, e eu não posso suportar mais, caindo de costas na cama, saboreando essa boca e esse dedo em mim. Lenta e suavemente, ele massageia aquele ponto doce, dentro de mim. E é isso, foi. Eu explodo em volta dele, gritando uma interpretação incoerente de seu nome enquanto meu intenso orgasmo me faz arquear as costas para fora da cama. Eu acho que vejo estrelas, é um sentimento tão visceral e primitivo... Vagamente fico ciente de que ele está acariciando minha barriga, me dando suaves, doces beijos. Descendo as mãos, eu acaricio seu cabelo.
— Eu não terminei com você ainda, — ele murmura. E antes que eu tenha vindo inteiramente de volta para Seattle, Planeta Terra, ele está chegando em mim, segurando


meus quadris e me puxando para fora da cama para onde ele está ajoelhado, para seu colo
e sua ereção à minha espera.
Eu suspiro enquanto ele me preenche. Puta merda...
— Oh, baby, — ele respira enquanto envolve seus braços em volta de mim e para, segurando minha cabeça e beijando meu rosto. Ele flexiona seus quadris, e sinto picos de prazer quente e duro dentro de mim. Ele alcança minhas costas e me levanta, balançando sua virilha para cima.
— Ah, — eu lamento, e seus lábios estão novamente nos meus enquanto ele lentamente, tão lentamente me empurra com força, de novo e de novo. Eu jogo meus braços em volta do pescoço, entregando-me ao seu ritmo suave e para onde quer que ele me leve. Eu flexiono minhas coxas, montando-o... Ele é tão bom. Me inclinando, eu jogo a cabeça para trás, minha boca aberta em uma expressão silenciosa de prazer, me deleitando com seu amor doce.
— Demi, — ele respira, e se inclina para baixo, beijando minha garganta. Segurando-me apertado, lentamente dentro e fora, me empurrando mais alto... Cada vez mais alto...
Tão primorosamente cronometrado, uma força carnal. Um prazer feliz irradia profundamente, dentro de mim, enquanto ele me segura tão intimamente.
— Eu te amo, Demi, — ele sussurra perto do meu ouvido, sua voz baixa e áspera, e ele me levanta outra vez pra cima, pra baixo, pra cima, pra baixo. Eu enrolo minhas mãos em torno de seu pescoço em seu cabelo.
— Eu te amo, também, Joseph. — Abrindo os olhos, vejo que ele está olhando para mim, e tudo que eu vejo é o seu amor, brilhando forte na luz suave do quarto de jogos, seu pesadelo aparentemente esquecido. E à medida que eu sinto o meu corpo construindo minha libertação eu percebo que isso é o que eu queria, esta conexão, esta demonstração do nosso amor.
— Goze para mim, baby, — ele sussurra, com voz baixa. Eu aperto meus olhos enquanto meu corpo se contrai com o som baixo de sua voz, e eu gozo em voz alta, em um clímax intenso. Ele silencia, sua testa contra a minha, enquanto ele sussurra suavemente o meu nome, envolvendo seus braços em volta de mim, e encontra sua própria libertação.
Ele me levanta delicadamente e me coloca na cama. Eu deito em seus braços, torcida e finalmente saciada. Ele cheira o meu pescoço.
— Melhor agora? — Ele sussurra.
— Hmm.
— Devemos ir para a cama, ou você quer dormir aqui?
— Hmm.
— Sra. Jonas, fale comigo. — Ele soa divertido.
— Hmm.
— É o melhor que você pode fazer?
— Hmm.
— Venha. Me deixe colocá-la na cama. Eu não gosto de dormir aqui. Relutantemente, eu viro o rosto para olhar para ele. — Espere, — sussurro. Ele
pisca para mim, olhando de olhos arregalados e inocentes, e ao mesmo tempo completamente fodido e satisfeito consigo mesmo.
— Você está bem? — Eu pergunto.
Ele acena, sorrindo presunçosamente como um adolescente. — Eu estou agora.
— Oh, Joseph, — eu o repreendo e gentilmente acaricio seu rosto adorável. — Eu estava falando sobre o seu pesadelo.
Sua expressão congela momentaneamente, em seguida, ele fecha os olhos e aperta seus braços ao redor de mim, enterrando seu rosto no meu pescoço.
— Não, — ele sussurra, sua voz rouca e crua. Meu coração se aperta mais uma vez no meu peito, e eu o agarro com força, passando minhas mãos por suas costas e por seu cabelo.
— Sinto muito, — sussurro, alarmada com a reação dele. Puta merda, como posso acompanhar essas mudanças de humor? Que diabos foi seu pesadelo? Eu não quero lhe causar mais dor, fazendo-o reviver os detalhes. — Está tudo bem, — murmuro baixinho, desesperada para trazê-lo de volta para o menino brincalhão de um momento atrás. —
Está tudo bem, — repito mais e mais suavemente.
— Vamos para a cama, — ele diz em voz baixa depois de um tempo, e se afasta de mim, me deixando vazia e dolorida enquanto ele se levanta da cama. Eu levanto depois dele, mantendo o lençol de cetim em volta de mim, e agacho para pegar minhas roupas.
— Deixe-as, — ele diz, e antes que eu saiba, ele me pega em seus braços. — Eu não quero que você tropece nesse lençol e quebre seu pescoço. — Eu coloco meus braços em torno dele maravilhada que ele recuperou a compostura, e o acaricio enquanto ele me leva para o quarto no andar de baixo.



By Karoline Nunes...
COMENTÁRIOS RESPONDIDOS
Olá meninas obrigada pela confiança e pelas orações para a Lua...Beeeeeeeeeijos
Espero terminar o capitulo 12 nesse fim de semana...
Beeeeeeeijos

18 comentários:

  1. tiaaaaaaaaaa minha lindaa :)
    vc é a melhor ..
    eu estava aki desesperada por um cap e vc ouviu minhas preses !!! love you. mas eu sei q vc sabe disso.

    o que dizer do cap?
    PERFEITOOO
    hot hot hot como eu amoo kkkk pq sou dessas kkk

    pooosta logo tiaaa
    e manda bjs pra lua

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jujuba meu amor...
      Obrigada mais uma vez pelo seu apoio...
      Beeijios

      Excluir
  2. Que capitulo mais que perfeito... amo ver o amor entre eles <3333

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wlu por acompanhar Mandy
      Beeeeeeeiios e obrigada

      Excluir
  3. Que hoooot foi esse aiiiiie dlç kkkk que isso hein tia arrasando, manda beijos pra lua, e que ela esta nas minhas orações

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Iza beijos dados a Lua
      Obrigada numero 3 por estar aqui me acompanhado também
      Meritos todos da Lua eu só estou postando
      Beeeeijios

      Excluir
  4. Adorei posta logo, beijinhos

    ResponderExcluir
  5. oiii! vc n me conhece mais eu sou a Alice :D! to amando a fic, e espero que a Lua melhore!! Pena que os caps estao pequenos pq eu to muito curiosa pros proximos!! te amo tiaa
    Alice ;D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oie Alice que lindinha você
      espero encontrar você lá no meu blog também tá
      beeeeeijios e muito obrigada

      Excluir
  6. perfeiçao de capitulo
    amo forte
    beijo karol, e você esta cuidando perfeitamente do blog e da nossa fic preferida <3
    ps.: melhoras lua linda do meu coraçao
    bj da nanda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Onw Nanda xuxuzinha da tia
      muito obrigada
      beeeijos

      Excluir
  7. Posta logo, eles são tão fofos, bjus Dani

    ResponderExcluir
  8. oi. posta logo por favor estou super ansiosa para os próximos capítulos
    bjs

    ResponderExcluir