terça-feira, 12 de novembro de 2013

Cap 13- 3 ° temporada (4/4) + AVISO

Nós pousamos suavemente no Campo Sardy às 12:25 (MST). Stephan pousou o avião um pouco distante do terminal principal, e através das janelas vejo uma grande minivan VW esperando por nós.


Bom pouso. Joseph sorri e aperta a mão de Stephan enquanto prepara-se para sair do avião.


É tudo sobre altitude e densidade, senhor. Stephan sorri de volta. 
— Beighley aqui é boa em matemática
Joseph acena para a primeira oficial de Stephan. 

Você acertou em cheio, Beighley. Pouso suave.


Obrigado, senhor. Ela sorri satisfeita.


Aproveite seu fim de semana, Sr. Jonas, Sra. Jonas. Nos veremos amanhã.  Stephan fica de lado para desembarcarmos e toma a minha mão, Joseph me ajuda a descer as escadas da aeronave para onde Taylor está esperando junto ao veículo.


Minivan? Joseph diz surpreso quando Taylor desliza para abrir a porta. Taylor lhe dá um sorriso apertado, contrito e de ombros.



Última hora, eu sei,Joseph diz rapidamente. Taylor retorna ao avião para recuperar a bagagem. 

Quer fazer na parte de trás da van?Joseph murmura para mim, com um brilho travesso nos olhos.

Eu rio. Quem é este homem e o que ele fez com o Sr. Inacreditavelmente Irritado dos últimos dias? 

Vamos lá, vocês dois. Entrando, Mia diz atrás de nós, escorrendo impaciência ao lado de Ethan. Nós entramos, cambaleando para o assento duplo na parte de trás, e nos sentamos. Eu me aconchego junto a Joseph, e ele coloca o braço ao redor da parte de trás do meu assento. 

Confortável? Ele murmura enquanto Mia e Ethan tomam o assento na frente de nós. 

Sim. Eu sorrio e ele beija minha testa. E por alguma razão insondável eu me sinto tímida com ele hoje. Por quê? Ontem à noite? Estar com companhia? Eu não posso colocar o meu dedo nisso. 

Elliot e Miley se juntam a nós enquanto Taylor abre a porta traseira para colocar a bagagem. Cinco minutos depois, estamos no nosso caminho.

Eu olho pela janela em direção a Aspen. As árvores estão verdes, mas um sussurro do próximo outono é evidente aqui e ali nas pontas amareladas das folhas. O céu é de um azul cristalino, embora haja escurecimento nas nuvens a oeste. Ao redor de nós a distancia se tece nas Montanhas Rochosas, o pico mais alto diretamente adiante. Elas são exuberantes e verdes, e as maiores são cobertas de neve e se parece como o desenho de montanhas feito por uma criança.

Estamos no parque de inverno dos ricos e famosos. E eu tenho uma casa aqui. Eu mal posso acreditar. E de dentro do meu subconsciente, o mal-estar familiarizado que está sempre presente quando eu tento envolver minha cabeça em torno da riqueza de Joseph me provoca, fazendo-me sentir culpada. O que eu fiz para merecer este estilo de vida? Eu não fiz nada, nada, exceto me apaixonar. 


Você já foi para Aspen antes, Demi? Ethan se vira e pergunta, me arrastando para fora do meu devaneio.

Não, primeira vez. Você?

Miley e eu costumávamos vir muito aqui quando éramos adolescentes. Papai é um esquiador sagaz. Mamãe nem tanto.

Eu espero que meu marido me ensine a esquiar. Eu olho para o meu homem.

Não aposte nisso,Joseph murmura

Eu não posso ser tão ruim assim!

Você pode quebrar seu pescoço. Seu sorriso desapareceu.

Oh. Eu não quero discutir e azedar o seu bom humor, assim eu mudo de assunto.

Há quanto tempo você possui esse lugar?

Quase dois anos. É seu agora, também, Sra. Jonas, ele diz em voz baixa.

Eu sei, — sussurro. 

Mas de alguma forma não sinto a coragem nas minhas convicções. Me inclinando, beijo seu queixo e me aninho mais uma vez ao seu lado ouvindo-o rir e brincar com Ethan e Elliot. Mia grita de vez em quando, mas Miley está quieta, e eu me pergunto se ela está pensando sobre Jack Hyde ou outra coisa. Então eu lembro. Aspen... A casa de Joseph foi redesenhada por Gia Matteo e reconstruída por Elliot. Eu me pergunto  se é isso que está preocupando a Miley. Eu não posso perguntar a ela na frente de Elliot, dada a sua história com Gia. Será que Miley sabe mesmo sobre a conexão de Gia com a casa? Eu sigo me perguntando o que poderia estar incomodando ela e resolvo perguntar-lhe quando estivermos sozinhas.


Nós dirigimos através do centro de Aspen e meu humor ilumina conforme nos aproximamos da cidade. Há edifícios de tijolos vermelhos, chalés em estilo Suíço, e por sua vez nem tão numerosas, casas do século passado pintadas em cores divertidas. Abundância de bancos e lojas de grife, também, atraindo a afluência da população local. Claro que Joseph se encaixa aqui.


Por que você escolheu Aspen? Pergunto a ele.

O que? Ele me olha com curiosidade.

Para comprar um lugar.
Mamãe e papai costumavam nos trazer aqui quando éramos crianças. Eu aprendi a esquiar aqui, e eu gosto do lugar. Espero que você também, do contrário nós vamos vender a casa e escolher outro lugar.


Simples assim!


Ele enfia uma mecha solta do meu cabelo atrás da minha orelha. 

— Você está linda hoje, ele murmura.


Minhas bochechas esquentam. Eu só estou usando minha roupa de viagem: jeans e camiseta com uma jaqueta azul marinho. Droga. Por que ele me faz sentir tímida?


Ele me beija, um suave, doce e amoroso beijo.


Taylor dirige para fora da cidade, e começamos a subir o outro lado do vale, torcendo ao longo de uma estrada de montanha. Quanto mais alto vamos, mais animada eu fico, e Joseph se retesa ao meu lado.


O que há de errado?Eu pergunto quando passamos em uma curva.

Eu espero que você goste,ele diz calmamente. — Nós estamos aqui.


Taylor desacelera e vira através de um portão feito de pedras cinza, bege e vermelho. Ele se dirige a entrada da garagem e finalmente salta para fora na impressionante casa. Dupla fachada com pontudos telhados e construído de madeira escura e mesma mistura de pedras do portão. É impressionante, moderna e austera, muito estilo Joseph.

Casa, ele suspira para mim enquanto descemos da van.

Parece bom.

Venha. Ver,ele diz, em seus olhos há um brilho animado, embora ansioso, como se ele estivesse prestes a mostrar-me o seu projeto de ciências ou algo assim.

Mia apressa seus passos em direção a uma mulher que está parada em frente à porta. Ela é pequena e seu cabelo preto é polvilhado com cinza. Mia arremessa seus braços em volta do seu pescoço e a abraça com força.


Quem é? Eu pergunto enquanto Joseph me ajuda a sair da van.

Sra. Bentley. Ela vive com o marido. Eles cuidam do lugar.

Puta merda... Mais empregados?

Mia está fazendo as apresentações, primeiro Ethan, e então Miley. Elliot abraça a Sra. Bentley, também. Enquanto Taylor descarrega a van, Joseph pega a minha mão e me leva para a porta da frente.

Bem-vindo de volta, Sr. Jonas. — Sra. Bentley sorri.

Carmella, esta é a minha esposa, Demetria, Joseph diz com orgulho. Sua língua acaricia o meu nome, fazendo meu coração gaguejar.

Sra. Jonas. Sra. Bentley acena com uma saudação respeitosa. Eu estendo minha mão e nos cumprimentamos. Não é nenhuma surpresa para mim que ela é muito mais formal com Joseph do que com o resto da família.

Espero que você tenha tido um vôo agradável. Espera-se que o tempo fique bom todo o final de semana, embora eu não tenha certeza. Ela olha as nuvens escuras atrás de nós. 

O almoço está pronto quando você quiser. Ela sorri de novo, seus olhos escuros brilhando, e eu imediatamente passo a gostar dela.


Aqui. — Joseph me agarra e me pega no colo.

O que você está fazendo? Eu grito.

Carregando você por outra porta de entrada, Sra. Jonas.


Eu sorrio quando ele me leva para o amplo corredor, e depois de um breve beijo, ele me coloca suavemente no chão de madeira. A decoração interior é austera e me lembra a grande sala do Escala, todas as paredes brancas, madeira escura, e arte abstrata contemporânea. O corredor se abre em uma grande área de estar onde três sofás de couro branco cercam uma lareira de pedra que domina o ambiente. A única cor é das almofadas macias espalhadas nos sofás. Mia pega a mão de Ethan e o arrasta para dentro da casa. Joseph estreita os olhos para sua partida, sua boca comprimida. Ele balança a cabeça então se vira para mim.

Miley assobia alto. 

— Belo lugar.

Eu olho em volta e vejo Elliot ajudar Taylor com a bagagem. Eu me pergunto novamente se ela sabe que Gia tem uma mão neste lugar.


Um tour? Joseph me pergunta, e tudo o que se passava em minha mente sobre Gia e Ethan passou. Ele está irradiando excitação, ou é ansiedade? É difícil dizer.


Claro. Mais uma vez estou oprimida pela riqueza. 

Quanto este lugar custou? E eu não contribuí em nada para ele. Resumidamente sou transportada de volta para a primeira vez que Joseph me levou a Escala. Eu estava sobrecarregada então. Você se acostumou a ele, meu subconsciente sibila para mim. Joseph franze a testa, mas pega a minha mão, levando-me através das várias salas. A cozinha é o estado-da-arte, toda de mármore pálido e armários pretos. Há uma impressionante adega, e embaixo uma sala extensa, preenchida com uma televisão de plasma, sofás macios... E uma mesa de bilhar. Eu o encaro boquiaberta e coro quando Joseph me pega.

Gosta de um jogo?Ele pergunta, um brilho malicioso em seus olhos. Eu balanço minha cabeça, e ele franze a testa mais uma vez. Tomando minha mão de novo, ele me leva até o primeiro piso. Há quatro quartos no andar de cima, cada um com banheiro privativo. 

A suíte principal é outra coisa. A cama é enorme, maior que a cama em nossa casa, em frente a uma enorme janela panorâmica com vista sobre Aspen na direção das montanhas verdejantes.

É Ajax Mountain... ou Aspen Mountain, se você gosta,diz Joseph, me olhando com cautela. Ele está de pé na soleira da porta, seus polegares enganchados através dos passantes do cinto de seu jeans preto.

Concordo com a cabeça.

Você está muito quieta,ele murmura.

É adorável, Joseph. E de repente estou sentindo dor para estar de volta ao

Escala.

Em cinco passos largos ele está em pé diante de mim, puxando meu queixo, e liberando meu lábio inferior das garras dos meus dentes.


O que é isso? Ele pergunta ele, seus olhos procurando os meus.

Você é muito rico.

Sim.

Às vezes, só me pego de surpresa quão rico você é.

Somos.

Somos, murmuro automaticamente.

Não insista sobre isso, Demi, por favor. É apenas uma casa.

E o que Gia fez aqui, exatamente?

Gia? Ele levanta as sobrancelhas em surpresa.

Sim. Ela reformou este lugar?

Ela fez. Ela projetou o salão do andar de baixo. Elliot construiu. Ele passa a mão pelo seu cabelo e franze a testa para mim. 

— Por que estamos falando de Gia?

Você sabia que ela tinha um caso com Elliot?

Joseph olha para mim por um momento, os olhos cinzentos ilegível. 
— Elliot fodeu a maior parte de Seattle, Demi.

Eu suspiro.

Principalmente as mulheres, acredito, Joseph brinca. Acho que ele está se divertindo com minha expressão.


Não!

Joseph concorda. 

— Não é da minha conta. Ele levanta suas mãos para cima.

Eu não acho que Miley sabe.

Eu não tenho certeza se ele transmitiu essa informação. Miley parece estar suportando isso sozinha.

Estou chocada. Doce, despretensioso, moreno, Elliot? Eu fico olhando, incrédula.

Joseph inclina a cabeça para o lado, me examinando. 

— Isso não pode ser apenas sobre Gia ou a promiscuidade de Elliot.

Eu sei. Sinto muito. Depois de tudo o que aconteceu esta semana, é só... Dou de ombros, sentindo as lágrimas de repente. Joseph parece cair em alívio. Puxando-me em seus braços, ele me segura com força, seu nariz no meu cabelo.

Eu sei. Sinto muito, também. Vamos relaxar e nos divertir, ok? Você pode ficar aqui e ler, assistir a horrível TV, fazer compras, ir caminhar, ou mesmo pescar. Tudo o que você quiser fazer. E esquecer o que disse sobre Elliot. Isso foi indiscreto da minha parte. 

Vai de alguma maneira me explicar por que ele está sempre brincando com você, — murmuro, aninhando-me em seu peito.

Ele realmente não tem idéia sobre o meu passado. Eu disse a você, minha família achava que eu era gay. Celibato, mas gay.

Eu rio e começo a relaxar em seus braços. 

— Eu pensei que você era celibatário. Como eu estava errada. Eu envolvo meus braços em torno dele, maravilhada com a ridícula idéia de Joseph ser gay.


Sra. Jonas, você está sorrindo para mim?

Talvez um pouco. Eu aquiesço. 

— Você sabe, o que eu não entendo é por que você tem esse lugar?

O que você quer dizer? Ele beija meu cabelo.

Você tem o barco, que eu entendo, você tem o lugar em Nova York para negócios, mas por que aqui? Não é como se você dividisse com alguém.

Joseph para e fica em silêncio por vários segundos. 

— Eu estava esperando por você, ele diz suavemente, seus olhos cinza-escuro se iluminando.




Oi meninas, aqui é a lua... Tirei uma folga pra postar pra vocês e dar um descanso pra Karol rs... não twnho muito tempo, então o aviso rápido.. Desconsiderem o capítulo 14 que foi postado ontem, e leiam esse... mais tarde tem mais, se tiver bastante comentários... Felizes com minha volta? Espero que sim...bjs

8 comentários:

  1. Aaaah vc voltouuuu Luuua, que boom...vc esta nas minhas oraçoes...ta lindo o capituloo posta logooooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Posto um amanhã sem falta, obrigada iza ♡

      Excluir
  2. Feliz? Isso é pouco! Quer dizer.. eu amo a Tia Karol, ms estava com saudades de você!! Capitulo perfeito, amei amei amei <33333

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Karol é um anjo né, imagina vcs esse tempo todo sem fic skjsks amanhã tem mais

      Excluir
  3. E o plágio continua... E todo mundo adorando achando que uma história original!! Aff

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Plágio onde babaca? Se vc nao sabe ler, o problema não é meu.. procura no começo do blog e em várias temporadas eu deixei claro nos comentários que é uma ADAPTAÇÃO... E qualquer idiota percebe isso ;) não pense que com esse comentário vc vai abalar minha volta... idiota :) aprende a ler, aprende a compreender e aprende o significado de plágio..
      Depois a gente conversa.

      Excluir
  4. perfeitoooo , posta logo pfvr <3

    ResponderExcluir